Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



quinta-feira, 14 de abril de 2011

Aventura de Louco...Todo Mundo Quer um Pouco!... XIV

 Onde Nasce uma Paixão!

Só sei que o sol, lá fora, estava maravilhoso. A chuva se foi, trazendo um frescor para dentro da casa e um sol que brilhava intensamente... Ele saiu dizendo que voltava logo e... eu estou aqui terminando de ler esta carta. Ainda não sei como devo fazer para dizer tudo  a ele sobre o que li, mas acharei um modo justo! Sim, terei de encontrar, de qualquer maneira, sem que ele brigue comigo.

E assim, a estória continua... 
Eu já sei o que fazer... Vai ser fácil resolver!

Sorria... eu sorria sozinha, beijava aquela agenda como se fosse ele, e sorria com a mente longe... Eu estava vendo o rosto dele, eu estava flutuando de felicidade por saber que ele me amava muito!
- Toc, toc... Estou entrando, posso?
Falou Cornélia toda ansiosa e antes que eu falasse alguma coisa, ela continuou a falar, pois, eu nem notei ela bater na porta. Eu estava longe daquele lugar e quando ela continuou a falar, foi preciso me chamar muitas vezes antes que eu percebesse. Eu sou assim, vou para o mundo da lua e ninguém consegue entrar em contacto comigo.
Olívia! Olívia estou falando com você... Olívia! Santo Deus, você se perdeu!
- Cornélia, desculpe! Não percebi você entrar. Eu estava pensando em tudo que li... Era tudo tão lindo! 
- Você está muito apaixonada Olívia e quando estas férias acabar e vocês se separarem, acho que vai se sentir triste... Eu não desejaria que fosse assim, mas você está muito envolvida e será impossível não entristecer.
- Eu sei... Mas a gente vai dar um jeito, ele me quer perto dele, Cornélia, ele escreveu aqui!
- Mas quem não quer estar perto de você, linda bonequinha? Eu sentirei uma enorme falta de você, e sei que vou chorar quando você se for.
- Cornélia! Que coisa mais linda que você está dizendo. Olha só os seus olhos, estão caindo água. Oh meu Deus, eu também já me acostumei com você perto de mim! Sinto-me feliz quando falo com você. Mas nada de chorar, sinto nervoso. A vida é assim e são tantas as pessoas em que a gente conhece que passa a ser importante mas não podemos estar perto. Nada disto importa, quando sabemos que o pouco que fez parte de nossas vidas, nos deu tanto amor e aprendizado e que estarão para sempre dentro do nossos corações. Você concorda com isto?
- Claro que eu concordo! Jamais irei te esquecer. Agora, vamos mudar de conversa... Pelo visto você já leu e releu tudo que está escrito e eles ainda não chegaram, mas a qualquer momento, podem chegar. Então, o que você terá de fazer imediatamente é colocar esta agenda no lugar e vir tomar o café, pois, está aqui prontinho e muito especial! Eu cortei enormes fatias de bolos para você se alimentar bem.
- Mas eu queria reler... Aliás, eu estava relendo quando você entrou!
- Você estava era no mundo da lua!
- E' sim, eu parei um pouquinho e comecei a imaginar... Cornélia, ele a um certo ponto da carta, se tornou brincalhão e atrevido...
- E pelo visto você gostou foi muito, porque olha só este seu rosto de sapeca quando fala. Seu semblante é alegria pura!
- Ele foi atrevido com as palavras... Eu tirei toda a sua atenção quando ele estava escrevendo. Me olhava dormindo e escrevia tudo que via e foi ficando louco de desejo!
Me atrai este seu modo de ser... Realmente ele demonstrou muito de seus mistérios ao escrever... e por favor, não me olhar com este rosto de pedinte... eu vou sim contar um pouco para você, apesar de ser sentimentos particulares, eu vou falar, mas você terá de me prometer que não vai falar com Antônio e com ninguém. Ele não poderá saber que te contei, pois, é assim que os segredos se espalham... Bem que minha mãe Helena sempre falava:
"Se você quiser que um de seus segredos jamais seja revelado, então, não diga a ninguém, pois, saindo de sua mente ele poderá andar milhas de distância e você não conseguiria mais fazer com que parasse."
- Sua mãe tem toda razão... E estou pensando que não deveria me intrometer tanto não, Olívia
Queria apenas saber o que ele disse de picante pra te deixar assim toda feliz! 
Queria saber também se ele escreve bem? Digo assim... se ele, ao escrever, é como um verdadeiro escritor? Você que lê muito percebeu este dom nele? Estou curiosa é de saber coisas assim, pois eu adoro ler textos que nos envolvem. Olhando para você, deu para perceber isto, que foi uma bela carta!
- A carta é sim muito envolvente. Ele soube escrever o que desejava de uma forma completamente agradável que me fez sentir vontade de reler.


E assim, li para ela alguns pequenos trechos da carta, onde Júnior demonstrou ansiedade e vontade de estar ao meu lado quando escrevia.
Cornélia se divertiu com suas palavras. Ela sorria muito em ver que a vontade de estar comigo aumentava e ao mesmo tempo, procurava escrever mas não conseguia...




Fui para a janela com meu café na mão e um pedaço do bolo, para ver se havia sinal de todos chegando mas ainda não estavam chegando...  Olhei para Cornélia e de repente falei:
- Hum... Ai que bolo gostoso, Cornélia! Eu quero que você me ensine a fazer porque quando eu for embora, quero fazer um igual para minha mãe. 
- Claro que eu te ensino. O próximo que fizer você me acompanha, observando tudo que faço. Se é que você vai ter tempo, pois, quando você melhorar, você não vai parar aqui, por nem um momento. A vida lá fora te espera, bonequinha e estas férias você tem mais é que ficar por todo o tempo ao lado dele, pois, tudo passa tão rápido!
Eu achava tão lindo ela me chamar deste modo totalmente carinhoso... Bonequinha! Eu me sentia uma porcelana que deveria ser bem cuidada, para não se machucar. Sorri e respondi:
- Esta é uma boa ideia e eu vou sim achar tempo para isto, porque estar com você é um prazer. Minha mãe vai adorar saber que consegui fazer um bolo.
- Eu vou preparar um presente para você levar para sua mãe.
- Um presente? O que é?
- Um bolo!
- Mas como vou poder levar um bolo... aqui é longe demais, acho que não teria como chegar inteiro.
- Esteja tranquila, eu sei como embalar. Vai chegar perfeito. Vou fazer dois... Um eu embalo e o outro vou cortar em pedaços e embalar com papel alumínio, assim você e Letícia podem comer por toda a viagem. Para você vou preparar aquele que você gosta mais que todos.
- Qual? E como você sabe de qual eu gostei mais?
- Você só comia dele... Antes que ele chegasse ao fim, não te vi comer outro. Estou falando do bolo de cenoura com rodelas de laranja em calda, no fundo e todo coberto com calda de chocolate.
- Ai, Cornélia, este bolo é maravilhoso, não vejo a hora de prová-lo novamente. 
Cornélia, escuta o que eu vou ler... olha este trecho aqui que lindo:


"Olivia, eu não queria mais ir embora daqui. Não quero estar longe de você! A vida mudou para mim quando te conheci. Cada momento ao seu lado, vejo algo a mais que me faz sentir necessidade de ter você ao meu lado, em cada estação do ano... Ver a primavera florescer, amor dentro de nós dois, um outono a nos desfazer de tempos vividos e criarmos um outro amanhecer, um inverno grudados para nos aquecer, e um verão com novas aventuras... Que exagero, se você ler isto, vai rir de mim! Eu sou romântico, amor..."


- A carta parece linda... na verdade, estou louca para ver você lendo ela toda para mim. Ele é muito romântico. Que modo de descrever o amor de vocês. Achei muito interessante e perfeito falar de um amor assim. 
Olívia, ele além de romântico é tremendo! Que fogo o dele quando te deseja.
- Mas como ele pode descrever algo assim e não ter coragem de dizer para mim? Não vejo a hora de ver ele colocar tudo aquilo em pratica.
Falei dando risadas fortes, com um olhar envergonhado e ao mesmo tempo malicioso.

Continuei...
- Ele ainda não agiu assim comigo, mas sente vontade.
- Olivia, na minha opinião, você terá de ir ao ataque. Faça isto sem que ele perceba que você sabe de seus desejos descritos. Leve ele para o mato, propõe coisas picantes para ele se animar.
- Mas, eu no mato já estive e até debaixo de chuva já aconteceu e não foi nada ruim, aliás, foi maravilhoso para mim, mas aqui na carta ele descreve de ser muito mais atrevido.
- Ele talvez não tenha dado tudo de si ainda, por ser início e também naquele dia, o seu pé estava machucado, assim, ele sentiu receio de avançar. Deve ter ficado preocupado que seu pé piorasse e por isto, não deve ter mostrado o melhor dele. 
Tudo tem seu tempo, mas na minha opinião não devemos ser fleumáticos.
- Sabia que eu só falo da minha vida íntima para a minha irmã? Mas com você eu me sinto bem em poder me abrir...
- Que bom saber! Penso que você deveria agir quando ele menos esperar. Você não deve estar a esperar suas ações. Talvez, ele tenha ainda um pouco de receio, achando que você poderá rejeitá-lo do modo que ele é verdadeiramente. Faça você o início se tornar fogo, então, ele se sentirá mais seguro para poder ser ele mesmo.
Muitos homens seguem a estrada que as mulheres oferecem. São poucos os que ultrapassam os limites se a mulher não permitir. Somente o tempo é que faz com que muitos se libertem. Se a estrada de uma mulher for muito vagarosa ou fechada "assim dizendo" um homem vai estar ali a esperar que ela se abra... que demonstre que ele pode invadir... Caso contrário  poderá até desistir se não ver nenhuma mudança. 
Não penso que Júnior seja deste tipo... Ele demonstra ser muito paciente em tudo que faz.
Cada homem tem o seu jeito e a sua forma de agir. Muitos achariam tudo isto um grande desafio e não sairiam de perto de uma mulher, enquanto não conseguir realizar seus devaneios...
Outros se cansam rápido, não esperam a realização de um resultado. 
- Por que não?
- Porque sabem que existem mulheres que darão a eles o que eles propõem de imediato. Assim, pensam:"Por que esperar?" Ou talvez, esperam, mas enquanto isto, irão trair, encontrando tudo que uma mulher não ofereceu, em outras. Digo outras, porque serão várias, para não se envolverem. Usam as outras como objeto de prazer enquanto a titular, é o seu pensamento de um futuro promissor. Deste jeito, terão toda a paciência do mundo por esperar... Mas que tolos eles são, sabia?
- Me deixou curiosa... Por que são tolos? E onde fica o amor em tudo isto? O amor fala mais alto que tudo isto, não?
Perguntei tentando acreditar que ela pudesse estar exagerando.
- Quanto ao amor, eles amam, talvez de uma maneira diferente da maioria das mulheres, mas se tratando de sexo a conversa muda. Seria difícil o amor falar mais alto, pois muitos, não resistem à tentações.
E quando digo que são tolos, é porque a gente sente, Olivia quando um homem age assim, pois, se tornam na verdade frios e inconstantes. Não tem tempo para passar melhores momentos junto a você. Arranjam mil desculpas para ir ao encontro do quem estiver dando o que você não deu. 
- Nossa, que aula! Mas como você sabe tanto assim, Cornélia? Você viveu experiências como estas?
- Algumas, posso dizer que sim, outras, aprendi através de livros de romances... Muitos dizem que os romances são pura ilusão, mas não é verdade. Dentro deles tem tanto ensinamento e a gente aprende muito. 
Aprendi muito também com Antônio, que por não falar tanto, eu precisei de aprender a interpretar seus sentimentos como desejos, iras, satisfações e insatisfações, segredos. Aprendia apenas o observando. 


- Muito inteligente o seu modo de ser. Você é uma pessoa muito atenta, Cornélia. A vida te ensinou muito. 
Eu desejo aprender o mais que posso para saber governar a minha vida, em direções que me recompensam! Mas eu ainda acredito no amor e penso seriamente que ele fale mais alto que tudo isto que você citou.  
Eu acredito que exista um alguém que irá me amar por toda a minha vida e agora, eu queria que fosse Augusto Júnior, porque realmente eu estou gostando muito dele! 
Eu acredito que o amor consegue privar os homens de ser assim tão vulneráveis, fazendo-os tornarem um pouco mais individuais, dando amor a quem o ama sem sentir necessidade de procurar outra mulher. 
Acredito que suas insatisfações e falta de paciência possa existir sim, mas espero tanto que ele encontre uma outra forma de se realizar, sem sentir necessidade de trair. 
Eu acredito, apesar de sempre ver ao contrario! Eu vejo casais que não vivem em sintonia. Tudo isto que você falou é muito curioso e rico em verdades e eu espero de não ter de viver coisas deste tipo. Desejo encontrar alguém em minha vida que não me engane, que não se esconda por detrás de mentiras e que tenha coragem de dialogar, revelar segredos e mostrar o que pode estar perturbando ou incomodando em nosso relacionamento.


Cornélia, você acha que eu devo falar para ele que sei de alguns de seus segredos, que li o que ele escreveu? Ele na carta diz que não devemos esconder nada um do outro, e pouco antes de machucar meu pé, eu havia escondido algo que o deixou magoado. Penso que se ele venha a descobrir poderá se irritar.
Eu tomei em ação uma situação que não deveria, pois ele escreveu coisas de seu íntimo, e isto foi uma invasão... invadi a sua mente, sem a sua permissão.
Estou preferindo dizer. Falar o que fiz e mostrar o que senti, depois de ter lido seus pensamentos.
- Mas, por que você faria isto, não vejo razão?
- Porque assim me faria aproximar mais dele e no início da leitura, ele dizia que escrevia para mim. Tem também outra razão... eu adorei a carta, mas prefiro falar olhando nos olhos. Eu prefiro sentir tudo isto que ele escreveu, estando ao seu lado. Estou aqui pensando que não devo esconder que sei.
- Na minha opinião, penso que você deveria levar este segredo para o túmulo. Você simplesmente viu como ele é, e pode utilizar isto para saber compreendê-lo,  fazendo ele pensar que você é muito intuitiva e consegue entendê-lo mais que todos.
- Não sei, não! Vou pensar... mas saiba que você é minha cúmplice em tudo isto e não quero que fale para Antônio de maneira alguma.
- Claro que não. Os homens são muito aliados e se eu disser a Antônio, ele corre e conta. Aprendi isto também. Eles são muito fieis aos amigos, muito mais que as mulheres. 
- Então, vamos colocar a agenda no lugar. Qual foi a posição que você a encontrou?
- Como assim? Eu não me lembro!
- Mas, Cornélia, Júnior é muito observador! Qualquer detalhe para ele, não passa despercebido e ele poder notar que mexemos.
- Não terá problema, porque eu limpo e mexo em tudo, não teria como pensar que foi você. Quando conversarem, diga que eu limpei tudo aqui, hoje. 
- Estou tendo uma bela ideia, Cornélia!
- E qual seria?
- Vou fazer tudo parecer ao contrario do que é. Vou fazer com que ele diga o que tem dentro. Estou aqui imaginando em deitar em sua cama e assim, sinto a agenda me incomodando e vou ver o que é, e quando olho, encontro a agenda... Ele não terá saída, porque vou querer ver. O que acha desta ideia?
- Minha Nossa Senhora do Amparo, você teve uma belíssima ideia! A melhor ideia que alguém pudesse ter. Depois, me chama de inteligente. Inteligente, aqui, na verdade é você!
- Também não exagerar, viu! Está sendo somente um pouco de esperteza.
Neste momento, começamos a escutar barulho e Cornélia olha pela janela e diz:
- Estão chegando! Estão chegando...
Vou para a cozinha e você fique quieta aí na cama dele.
- Vou dizer que senti saudades dele, por isto deitei na cama dele. Ah... vou pegar meu livro de revelações de sonhos e fingir que estou lendo.
- Faça isto então, mas corre porque estão descendo do cavalo.
E assim fiz e fiquei quieta a esperar... Minha irmã foi a primeira a entrar no quarto e me encheu de beijos. Contou de sua deliciosa aventura e eu escutei tudo tranquilamente. Júnior ficou a esperar na porta a me olhar, não queria atrapalhar minha irmã em seu momento de euforia. Segurava um copo de água e bebia me olhando e sorrindo.
Letícia, neste momento, percebeu que era hora de sair e disse que iria comer algo, pois, sentia fome e assim, saiu gritando Cornélia, como se estivesse pedindo "socorro, estou com fome!" 


Me olhou sempre sorrindo e veio caminhando lentamente ao meu encontro... 
Mergulhou em mim, como se eu fosse um rio profundo! Me beijou... me beijou e me beijou...
Todo contente perguntou:
- Por que está na minha cama? Sentiu saudades de mim?
- Muita, amor! Eu estou aqui porque queria sentir seu cheiro, você me faz falta!
De repente, me senti incomodada quando me abraçava e perguntei, utilizando, naquele momento, o meu truque de salvação.
- O que é isto?
- Isto o quê?
- Aqui em baixo do travesseiro tem algo, o que é?Tem um livro!
- Ah... isto? É a minha agenda.
- O que ela faz  aqui em baixo do travesseiro? Por que ela esta aqui, você dorme com ela? Tem dinheiro aqui? O que tem escrito nela?
Falei sorrindo...
- Nada de importante, amor... Nada de dinheiro, tem apenas contas para pagar. Só isto. Eu, ontem, andei controlando algumas contas porque sou eu quem pago as despesas que minha avó faz e agora que estou longe de casa, estou a controlar, pois, vou ter de pagar online quando for a Cárceres. Prometi isto à minha avó para que ela não ficasse preocupada.
- Que proteção... quanto carinho! Você deve gostar muito dela, não? Ela deve ser para você uma pessoa que te dá apoio, uma pessoa que se preocupa com você por te ver tão dedicado a ela, acertei?
- Sim! Minha avó é tudo para mim, me apoia em tudo. Eu a amo! 
- Isto é tão belo! Vai, me deixa ver o que você anda pagando?
- Para quê  Deixa pra lá! São somente bobagens como contas de água, luz, telefone, Salão de beleza onde ela frequenta, super mercado. E' só isto!
-Mas o que tem de mal eu olhar... se somos namorados, a gente pode dividir tudo que se passa em nossas vidas, não? Nós somos namorados, não somos? Eu queria que fossemos! É sim, eu quero ser sua namorada, você quer?
- Olívia... eu estou tendo uma ligeira impressão.... amor, o que você fez na minha ausência?
- Tanta coisa... Passei a manhã com Cornélia, depois ela me preparou um lanche delicioso e ficamos aqui no quarto a falar de tudo um pouco. Ela vai me ensinar a fazer um de seus bolos. Depois, eu peguei o livro de sonhos e estava procurando o significado daquele seu sonho, lembra? Andei revelando alguns sonhos de Cornélia para ela. Ela ficou foi muito surpresa com o livro.
Não mudar de assunto, vai, me deixa ver sua agenda, eu quero!
- Não... mas como você é teimosa. 
- Amor, do jeito que você está agindo, está me fazendo pensar que aí tem muito mais que contas a pagar. Eu não queria que escondêssemos nada um do outro, pois quero poder dividir tudo com você, quero poder ter uma vida de namorados apaixonados por todo sempre e em cada estação do ano a gente possa se descobrir coisas diferentes um do outro.
- Por que você está falando isto?
- Isto o quê?
- Esta coisa de mudança de estação do ano?
- Ah.... Eu penso assim! Eu penso que as estações tende a nos modificar quando elas se alteram. Isto é comprovado, a gente se modifica quando elas se modificam, pois o tempo vai passando e a gente vai amadurecendo. E muitas vezes, o clima ajuda e influi em nossas vidas. Você não sabia disto, não?
- Sim, eu penso assim também, acho que elas nos modifica e posso até comprovar que penso assim... Vai pode abrir a agenda e ver tudo que tem dentro. 
- Posso? 
- Sim, vai... abra!
E assim, o fiz... Abri e olhei tudo um pouco, mas com uma vontade enorme de chegar na página que pretendia...  Folheava lentamente observando as tais contas a pagar, mas no meio de tudo estava lá, aquela linda carta, escrita para mim e antes que a lesse, eu sorri para ele mostrando uma enorme satisfação dele não ter escondido isto de mim, dele ser a pessoa que amo tanto! 
E para compensar, mostrei para ele que também não estava escondendo nada dele, pois ao abrir, fui para o final da carta e o mostrei que tudo aquilo que li, bem antes dele chegar, me emocionou demais. Assim, deixei escrito juntamente com um coração desenhado e uma enorme letra, a frase:
"Não esconda nada de mim, amor, porque eu te amo muito!"

Autora: Aymée Campos Lucas
 Aventura de Louco... Todo Mundo quer um Pouco.
Capitulo 14
Todos os direitos reservados 


Elenco musical deste capitulo:
The Parlotones - The Stars Fall Down
Mat Kearney - Breathe in Breathe Out
Biagio Antonacci - Pazzo di Lei
Lifehouse - Good Enough
Beatles - Hey Jude
Foi preciso retirar as mùsicas do meu blog, pois, o programa 4 shared estava causando problemas.

Queria dizer que andei muito ocupada, nesta semana, não podendo visitar os amigos que aqui passam, principalmente, os que seguem este meu livro que,  a cada dia, me dá mais prazer em escrevê-lo.
Mas saibam que vou compensar isto e, a partir de amanhã, estarei perambulando por ai para deixar meu carinho! 
E vamos que vamos rumo ao capítulo 15! O que acham? Devo continuar esta Aventura?
Claro que sim! Mesmo que dissessem que não deveria, eu não iria escutar ninguém, pois este livro, esta Aventura louca, tem mais é que continuar para poder criar um belo final!

Para quem desejar ler o inicio do meu livro, este é o Link:



5 comentários:

  1. Bela sequência, ragazza!
    Demorou, mas fez um bom trabalho.
    Sua Olívia arranjou um jeito de acomodar as coisas, limpar a consciência, abrir o jogo e ainda continuar numa boa com o rapaz.
    Afinal, quando o amor é mútuo, tudo se resolve.
    Bom o papo das duas sobre os homens.
    Parabéns por mais este belo capítulo!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Querida,

    Não sei o que ocorre.....tento te responder e não aparece aqui nos teus comentários.

    Amei teu texto!
    Beijinhossss

    ResponderExcluir
  3. A verdade é sempre bem vinda. Ser transparente trás o outro pra dentro da vida da gente. E mulher tem seus jeitinhos né. Ela soube muito bem o que fazer, e já estou a espera do próximo capítulo. Cada um tem superado o anterior. Está tudo muito bom mesmo. Tens um jeito peculiar de escrever, que prende, detalha e encanta ao mesmo tempo. Sou suspeita para falar porque adoro teu gênero.
    Aproveito para agradecer tua presença no meu blog. Sua opinião é muito importante pra mim. A Carina não existe como todos os outros nomes dos meus contos, todos fictícios. Mas procuro detalhar sentimentos, independente de já tê-los sentido ou não. E gosto muito disso. Me faz um bem danado, meus escritos são meus momentos de felicidades. E assim cmo vc, eu particularmente tbm aceito críticas. So não aceito negatividade. Inveja, e maus sentimentos. Tudo que fizer bem, for positivo e me fizer crescer eu absorvo. Um ótimo fim de semana pra ti querida. Beijos da Joii.

    ResponderExcluir
  4. Minha linda amiga Aymée...

    Eu simplesmente ADOROOOOO os seus comentários!!! rsrs. Obrigada, amiga!

    Esse teu post "Onde Nasce uma Paixão" está um primor! Eu diria que uma paixão pode nascer nesse seu olhar: doce, penetrante... É de fazer qualquer príncipe encantado cair do cavalo branco rsrs.

    Bjo gde amiga, tenha um lindo final de semana!

    ResponderExcluir
  5. A verdade acima de tudo, a verdade vos libertará, libertas quae sera tamen, enfim a verdade sempre é o melhor para qualquer relacionamento com certeza.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...