Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



sábado, 11 de novembro de 2017

Aventura de Louco...Todo Mundo Quer um Pouco!... XXIV

Onde Nasce uma Paixão!

Quando penso, posso perceber que em uma verdadeira prisão é assim...  Te aprisionam para que este ser possa se corrigir e conseguir ser novamente uma pessoa correta e... A cada visita inesperada tem sempre um alguém que ao te visitar, traz algo que o prisioneiro gostava tanto.
Eu,  agora, sempre me pergunto porque ainda amo tanto a minha mãe? Nada disto me fez odiá-la... Ao contrario, ela é o meu modelo de pessoa, aquela que desejo ser quando crescer, cada dia mais."
Não quero ter segredos que façam me sentir aprisionada comigo mesma. No meus dias atuais, desejo ser límpida, para conquistar o que desejo e o primeiro passo é decidir ser mais clara com Júnior.
Capitulo 23

E assim, a estória continua... 
Virei Gata Borralheira,
Em Plena Segunda-Feira!

Sabe a tal Cinderela? Aquela que queria ser ainda mais bela? Deixou seu sapatinho perdido para não viver em perigo... Sabe, ela parece comigo! Eu também esqueci alguma coisa... A que horas? Ao Meio Dia. Sim, eu esqueci ao Meio Dia!
Virei Gata Borralheira em plena Segunda-feira. Sai correndo ao Meio Dia, esquecendo algo que me pertencia... Era uma parte íntima de meu corpo aveludado, esqueci meu sutiã caramelado. Exato, esqueci. Afinal, tinha de correr... Me perguntava:"Isto são modos de viver?
O sutiã era normal... Havia um outro igual. Ninguém é perfeito, tem que errar para fazer direito!
Mais um segredo na minha lista... Fugi para não ser vista! Se colocar tudo em fila, vira uma pista, daquelas que se perde de vista, desse jeito, não se arrisca! 
Eu sei que estou errada, mas perto de outras coisas, acho que isto não é nada!
Minha irmã estaria a minha espera no Bar Primavera... Era o lugar programado, próximo ao Cinema Colorado. Eu deveria chegar ao Meio Dia por isso, corria para voltarmos juntas ao hotel como duas garotas bem comportadas e depois, ficarmos caladas... Mas, isto virou foi Contos de Fadas.
Enquanto isto, ela faria belas compras sozinha... Pulseiras, um vestido e uma blusinha. Compraria tanta coisa bela e eu aproveitei para fazer pela primeira vez uma escapadela.
Tive que fazer isto... Era necessário, era preciso. Afinal, ele estava, bem ali,  com tantas flores e um lindo sorriso! Eu também fiquei muito contente com ele sorrindo na minha frente!


Parado a esperar respostas... Minha irmã bateu na minhas costas, ela falou baixinho, me atiçou e eu pensei: "Eu vou"... Na verdade, nem sei mais quem eu sou!
Primeiro, a levei ao banheiro, sempre faço assim quando estou nervosa e com minha irmã, precisava de uma prosa. Precisava da sua atenção para saber se me aprovava de coração
Este meu erro, acho que ninguém notaria e se notassem, ainda acho que mentiria. Isto deve ser coisas do amor... Desejar alguém com muito ardor!
Ao entrar no banheiro, Letícia falava e eu escutava:
- Vai, vai! O que está esperando? Não deveria nem ter vindo aqui para confirmar algo que para mim está bem claro. Você gosta é dele, não precisa se culpar. Se demorar muito ele vai acabar desistindo.

- Eu estou apavorada por estar fazendo coisa errada! Eu estou suando e meu corpo está melando. Não consigo nem respirar direito e ele pode ver este meu defeito.
- Olivia, não vai me dizer que você está nervosa? Não acredito que esta situação está te colocando em pane. 
- Claro que não estou! Isto não existe mais em mim, já acabou. Aquelas crises de nervos que tinha, a muito tempo já se curou!
- Você está nervosa sim e, para dizer a verdade, é muito nervosismo porque você está rimando em triplo! Não adianta se enganar maninha, eu te conheço muito bem e quando você fala rimando é pura demonstração de nervoso. Tem gente que gagueja, mas você quando está nervosa é até muito engraçado porque você rima a todo instante que fala. Vê se não vai dar vexame ao lado dele. Esteja atenta para não rimar.
Falava Letícia drástica para me explicar, mas ao mesmo tempo queria gargalhar para se aliviar. Então falei sussurrando:
- Letícia, você está na verdade exagerando... Eu não sou mais assim de falar rimando!
- Ah não? Tem certeza disto? 
Bem, me escuta com muita atenção. O que você tem de fazer é não ficar nervosa, não fique nervosa, entendeu? Acalme, porque não é um bicho de sete cabeças o que você está para enfrentar.
E agora, por favor, vai. Vai! Não perde tempo.
- Ai, Letícia, você  deve parar de falar assim, deve parar de assustar à mim! Assim, você me assusta... Você teria que me acalmar, puxa vida, o que te custa?
Letícia, então, mesmo demonstrando muito calma ordenou:


- Olha como eu tenho razão! Viu o tanto que você rimou? Será que eu vou ter que dar um tapa no seu rosto para que você volte para a realidade e perceba que trair é a coisa mais simples do mundo? Não precisa se apavorar.
- Letícia!! Mas que absurdo você falar assim! Onde você aprendeu isto? Porque com a nossa mãe é que não foi!
- Ah, agora sim o seu nervoso acabou. Não está mais rimando como antes. E não é nenhum absurdo isto que estou dizendo. Agora é simples e normal trair. Por toda parte deste mundo é o que as pessoas mais fazem.
- Mas, eu não! Vou ficar com ele porque o desejo muito perto de mim e, é por isto que depois, eu vou terminar com Júnior, vou falar tudo!
- Tudo bem, faz isto, mas não precisa de falar tudo, basta terminar. Para que falar?... Só vai magoá-lo e isto não seria necessário. Mas, agora vai! Vai porque ele estava te olhando tão lindo!
- Ele nem me merece... Sabia que ele estava lá na discoteca com uma garota? Eu vi... Eu vi esta garota que o abraçava. Ela o abraçava forte. Vi, mas não falei para ninguém, não queria alarmar.
- Ai, graças a Deus você parou de rimar... Olivia, esta coisa foi toda programada. Lucas e Juliano combinaram tudo porque ele confessou ao Lucas de sentir algo muito forte e profundo por você, mas disse que teria de ir embora porque você lá na Chapada dos Guimarães, brigou com ele. Ele contou tudo sobre o passeio.
Quando ele veio para Cuiabá, Lucas também veio, mas ele saberia onde estaríamos, onde iríamos naquela noite de domingo. Por isto, que ele deixou o carro com a gente. 
Ele queria novamente um momento a sós com você, mas Júnior se sentiu mal e tivemos que ir embora.
- Você está brincando comigo, não está, Letícia?
- Não... Não é brincadeira. Lucas decidiu fazer isto porque eu disse que seria a melhor coisa, pois eu sabia que você não estava assim tão contente com Júnior. Júnior jamais falou algo parecido a Lucas sobre sentimentos que tem por você, como Juliano falou. 
Decidimos fazer isto só para você ver realmente de quem você gosta. Você mais do que ninguém sabe que esta viagem está chegando ao fim e Júnior vai embora daqui a 5 dias lembra? Ele vai primeiro que a gente, seu ônibus é diferente do nosso porque vai para outra direção de Minas. 
- Eu sei , ele vai para Patos de Minas... Mas, mesmo assim, isto foi um pouco desleal. Lucas está traindo Júnior que é o seu amigo.
- Mas, Juliano também é, e depois, será com Juliano que ele vai conviver sempre ali no sítio, serão grandes amigos. Um estará ajudando o outro em trabalhos do sítio. E... A confissão dele foi linda, Olivia... Eu ouvi tudo!


- Você ouviu?
Falei com um ar de surpresa, desejando que ele dissesse isto à mim mais do que nunca e continuei:
- Mas, então quem era aquela garota lá na discoteca?
- Você sentiu ciúmes! Sentiu um enorme ciúme... Eu sabia que daria certo. Aquela garota é a prima dele. Filha do irmão da mãe de Juliano... Um daqueles filhos com nome de anjos, lembra? Um deles mora aqui em Cuiabá e tem duas filhas e quando Juliano vem aqui, sempre sai com elas para diverti-las.
Neste momento, eu sorri com tanta vontade de sorrir! Eu sorria sem parar e pensei:
"Oh meu Deus, eu insultei tanto aquela garota sem nem conhecê-la e agora, é somente uma prima."
Pensava e Letícia continuava falando:
- Olivia, não fique com raiva, não estrague este momento. Não modifique algo em sua vida que poderia ser tão belo porque, não se vê outra coisa em sua face que não seja a vontade de tocar a pele deste homem. Júnior não precisa saber de nada.
E agora, vai... Vai! O que está esperando? 
Única coisa que você deve fazer é não esquecer de me encontrar aqui neste bar. Estarei aqui nas doze  badaladas do relógio, ao Meio Dia, ouviu? Isto é, se você quiser que Júnior não saiba de nada e assim, voltaremos juntas para o hotel.
- Eu vou, eu vou sim. Vou porque gosto dele demais!
Falei sorrindo e Letícia diz:
- Mas, ele não pode saber disto! Tenta se controlar porque ainda não é o momento certo para confissões. O máximo que você poderia dizer é que se sente muito bem ao lado dele.
- Tudo bem, eu vou fazer assim. Nossa, ele deve estar cansado de esperar.
- Homem apaixonado não se cansa de esperar... Isto é bom para deixar ele tenso. Ele deve estar pensando um monte de coisas... Deve estar mais ansioso que você agora.
Letícia falou rindo muito. Ela gosta disto... Ela sabe lidar com os homens, conhece muitos truques de sedução e de conquista e, eu estava aprendendo com ela, apesar de achar que muitos de seus atos são errados.
Eu não estava mais rimando... Surgiu em mim uma tranquilidade, mas tinha medo de recomeçar a rimar, quando o visse novamente. 
Ao aproximar um pouco dele e olhar, ele se levantou veloz ainda com as flores na mão e foi se aproximando de mim cada vez mais... Meu coração disparava assustadoramente.  Eu comecei a ficar com pensamentos rimados novamente, perdi todo o controle da minha mente! Não sabia como agir, se deveria ficar sorridente ou logo beijar naquela boca que parecia quente... Foi ele que agiu, todo mundo viu!
"Estou feliz como uma aprendiz... Estou vendo uma manhã primorosa! Ai meu Deus, eu acho que estou é nervosa! Eu estou nervosa, nervosa, muito nervosa!
Aquele homem me pegou no colo e me levou para uma Avenida movimentada de Cuiabá... Aquele homem me fazia tremer por inteiro, sentia seu cheiro e todo o meu corpo se arrepiava porque, aquele homem, me olhava ao profundo, desejando de mim um beijo bem maior que o Mundo!
Ele me levou em um hotel... Já pensou? Isto é mesmo coisa de homem cruel que não tem pena do outro. Afinal, as coisas nem sempre caem do céu. Esta oportunidade, para ele se tornou única, desse jeito não pude fazer nada, só deixei ele tirar a minha túnica.
Como é lindo ele na cama, seu olhar o tempo todo me chama.
 

Estava envergonhada... tentei fugir, por alguns momentos, escapar...  Inventei de me lavar e quando, por um segundo, fui ao banho, ele me esperava com algo na mão de um tamanho! Era um grande urso segurando um coração. Era perfeito, um carinho assim não esperava não!
Me olhou e disse: "Não quero te esquecer! E' amor forte que venho sentindo aqui dentro! E' amor e tesão por você o tempo todo!"
"O que ele estava me dizendo? Assim, ele me deixa mais nervosa, em ver tudo isto que estou vivendo.
Me lembrei que esquecer foi o que eu pedi que ele fizesse dias antes, e acho que para ele foram dias agoniantes.
Eu não posso rimar quando falar, porque ele vai notar. Não quero que ele perceba o meu nervoso... Nossa ele está tão carinhoso!"
Neste momento, decidi parar de pensar para ver se toda esta rima iria acabar... Com um pouco de controle, eu sei que conseguiria... 
Finalmente acabou, acho que minha mente se acalmou.
Não queria pensar em mais nada, só queria deixar ele me acariciar. 
"Olha o que ele está fazendo... Me despindo devagar. Retirou primeiro meus acessórios, que paciência a dele! Talvez, não quer se encastrar em alguns deles, até meu brinco ele tirou... Eu estou rindo disto, ninguém nunca foi assim comigo. Ele vai me beijando e tirando... Tirou a minha blusa... Ai que beijos macios... Eu estou ficando louca de vontade, mas vou ser dura com ele!  Nem vou dar muito carinho.... Que vergonha, ele olha tudo em mim. Ele vai ver a minha pintinha... Tenho que disfarçar, ele não pode notar que este seus olhares me constringem. Quando toca meus seios eu me arrepio toda.... Jogou meu sutiã longe... Não posso esquecer de pegá-lo depois.... Desse jeito eu esqueço de tudo, ele me toca sem parar...  Ai! Eu sinto o seu corpo nu em mim, mas ele não tirou a minha calcinha... O que ele está fazendo? Dentro de mim...  Ah! Ah! Ele entrou em mim... Com a minha calcinha? Vai sujar e depois o que vou... Ah!... Não consigo pensar mais em nada... Me perdi com ele dentro de mim... Fica falando palavras, frases promíscuas... Coisas sujas no meu ouvido e eu sentia vontade de não sair dali nunca mais! Nunca mais!"
Não queria que o tal Meio Dia chegasse e dali, eu tivesse que sair. Estava sem vontade de ficar longe dele, mas eu não tinha outra escolha. Antes que eu não terminasse com Júnior, eu não poderia amar como eu desejava amar este homem.
Ele foi carinhoso comigo, fez amor  de um modo tão sereno, tão paciente em querer me satisfazer... Com toda calma ao meu lado, se aconchegou e conversamos muito sobre tanta coisa que poderia se relacionar com nós dois. Brincamos, divertíamos ao nos tocar... Olhava seu rosto contente de estar ao meu lado, ele queria mostrar tudo que lhe pertencia naquele quarto de hotel. Ele queria me mostrar como era o seu jeito de ser. Falou sobre tantos assuntos que em alguns momentos, até esquecemos do melhor que era envolver os nossos corpos. Tudo virou um jogo de conquistas para nos desejarmos ainda mais. Não me sentia sozinha... Tinha muito calor! Eram dois corpos que somados formava um... Um corpo somente. Um corpo cheio de desejos e amor!
- Fazer amor com você é tão bom! Estar com você me faz feliz! Eu também não quero te esquecer. Eu poderia dizer apenas que me sinto bem perto de você, mas não é! O estar com você é muito mais que isto.
Me lembrei, neste momento, das palavras de minha irmã... Eu fiz tudo diferente das recomendações que ela havia me dado... Eu falei tudo o que sentia.
Quando ele me beijava, eu fechava meus olhos e sentia um mundo só nosso.
Depois que falei, senti ele me apertar forte e um pouco adormecido do cansaço, respirou nas minhas costas e disse:
- Sou louco por você. Louco! Eu não quero mais te perder e não quero que ele te toque.
Me virei e o beijei de uma maneira que jamais esquecerei... 
São momentos inesquecíveis este que estou vivendo, mas não queria falar muito das coisas que desejava, queria apenas viver o agora para sempre relembrar... Logo estaria tão longe... Longe de tudo!


Surgiu um cansaço que o impediu de continuar a me olhar, a me abraçar forte. Impediu de falarmos de tudo. 
Eu teria que sair, não poderia continuar ali... Era tarde. Me afastei sorrateiramente... Me vesti rapidamente e ao sair silenciosamente, senti uma de suas mãos em meu corpo e a outro segurando aquela porta...  
- Onde você pensa que vai? Me diz... Onde vai?... Vem aqui...
- Tenho que ir... Eu preciso... 
Falava respirando forte.
- Só mais uma vez... Tira, vai! Eu quero sexo... Quero fazer outra vez amor com você. Quero sexo, vai... Olha o que você faz comigo... Me deixa louco... 
Falava no meu ouvido com um tom de voz muito excitante, forte e exigente... Me deixei levar, perdi meu controle, desejava tudo que ele queria. Ele me atacou contra o muro, fiquei sem saída... Eu queria todo aquele fogo, estava fervendo de desejo. A sua mão estava por toda parte do meu corpo e não parava de falar palavras picantes ao meu ouvido...
- Ah...Ah... 
Eu suspirava forte... Ele me tocava com força... Minhas pernas estavam trêmulas em seu total controle. Me pegou em seu colo, me levando para perto de um móvel que havia ali e me apoiou sobre a mesa, fazendo loucuras em meu corpo com seus toques de mãos que surgiam inesperadamente, onde eu mais desejava.
- Ah... Ah... 
Não fazia outra coisa que respirar em tom ofegante... Isso o provocava ainda mais.. Suspiros... Fortes desejos, amor sem briga, amor sem rima... Amor quente!


Ele brincava com os meus desejos... Eu queria ele em mim, mas ele ainda brincava... Me mordia, falava... Falava coisas que me provocavam mais e mais...
- Vem cá meu tesão, minha gostosa... Não faz de anjinho! Vira, vira para mim... Vai! Faz aquilo que quero... Se transforma vai! Onde está escondida? Onde... Diz pra mim!
- O que? O que disse?
- O monstrinho... Vira este monstrinho para mim. Diz para mim onde está aquele monstrinho que eu sei que existe... Ele existe, ele é fogo, ele é a minha paixão! Vem mostra para mim, eu te quero fogo! 
Olha para mim garotinha levada... Olha o que você faz comigo... Olha para ele... Minha mulher... Minha.... Você é minha! Só minha!
O meu pensar me levava a imaginar somente uma coisa... Eu quero mais, mais... Vai, vai... Eu te quero em mim! E este momento, chegou louco... Fez de mim o que eu mais esperava... Ele entrou quente, ligeiro, estava toda molhada... Cada movimento seu, me esquentava... Era paixão, era paixão louca! Nasceu em mim uma paixão! Estava chegando, estava chegando... Ah... Ah... Ah... ouvia ele gritar junto à mim... 
Ofegante, muito ofegante estávamos... Caídos ao chão trêmulos, comecei a escutar sons de sinos. Eram sinos de uma igreja... Era Meio Dia, e eu estava ainda naquele lugar.
E foi neste momento que pude perceber que virei Gata Borralheira, em plena Segunda-feira... Sai como uma fugitiva, esquecendo o meu sutiã caramelado que em alguma parte daquele quarto se perdeu como eu.



Corri ao encontro de minha irmã pois já estava até um pouco atrasada. A encontrei naquele bar que programamos e depois de esperar que ela terminasse o seu café, voltamos ao hotel como duas inocentes. Letícia em momento algum me perguntou sobre como poderia ter sido... Ela sabia que aquele momento era só meu! Só  meu e de mais ninguém!
Chegando ao Hotel, rapidamente partimos para o sítio. Seria uma longa viagem.
Júnior estava bem melhor da febre. O meu carinho era muito grande por ele mas não o amava... Permaneci muda por toda a viagem... Quando o olhava, me sentia muito envergonhada mas de maneira alguma arrependida.
Eu amava toda a maneira de ser de Juliano. Não teria espaço para mais ninguém.


Autora: Aymée Campos Lucas
 Aventura de Louco... Todo Mundo quer um Pouco.
Capitulo 24
Todos os direitos reservados 


Elenco musical deste capitulo:
INXS - By My Side
Sinead O Connor - Nothing Compares to You
Paulo Ricardo - Dois
U2 - One
Biagio Antonacci feat Club Dogo - Ubbidirò
Eric Clapton - Tears In Heaven
Foi preciso excluir o programa com musicas, pois estava prejudicando o meu blog, havia dificuldades para recarregar.


Para quem desejar ler o inicio do meu livro, este é o Link:

Agora, vou falar... 
Não sei como irão reagir os leitores ao ler as cenas picantes que, desta vez, inclui no meu livro. Estava faltando isto no meu livro. 
Sempre quando eu escrevia cenas de sexo em antigos capítulos, procurava não ser tão explicita, talvez, porque me envergonhava e escrevê-las me causava, às vezes, muito constrangimento. Mas, o meu livro precisava disto, principalmente por ser Juliano, que por todo o tempo demonstrou ser muito livre e descontraído no seu modo de ser... Mostrou ser um homem que não tem medo de nada, e então decidi escrever. 
Eu decidi depois que, dias atrás, lendo um livro de Fábio Volo - Il Tempo Che Vorrei apreciei como ele escrevia... Ele escrevia com tamanha naturalidade sobre este assunto. 
Eu gostei do que li, achei perfeito. Muitas vezes, me fazia rir, outras eu pensava "incrível!"  Era de total descontração e então,  pensei... "Oras! Se o Fábio Volo escreve assim e todo mundo compra seus livros, então, eu também vou escrever. (risos).
E assim, fiz! Espero que apreciem  porque foi pura criação, pura imaginação!



Casa... Comida...Roupa Lavada!


OU ISTO... OU AQUILO?

Casa... Comida... Roupa lavada!
Foi assim que ele me disse
Me deixando assustada!
Eu não pretendia
Toda vez que me via
Fazê-lo apaixonar
Mas o destino colocou
Tudo isto no ar!
Agora estou pensando...
O que faço com Fernando?

Fernando é meu namorado
E um homem muito calado
Voado... Acanhado
E' bondoso, carinhoso
Fervoroso, delicado
Dedicado demais
Sem saber o porquè
Eu queria muito mais!

Casa... Comida... Roupa lavada!
Como posso acreditar nesta cantada?
Deixar o certo pelo duvidoso
Ou isto... Ou aquilo?
Com Fernando ou com Murilo?
Fernando é carinhoso
Murilo Atencioso
Fernando é muito sincero
Murilo é um tipo severo
Fernando tem sempre um olhar manhoso
Seu olhar é precioso
Parece se sentir orgulhoso
Murilo um olhar perigoso
Seu olhar é fatal
Me tirando do normal
Desgovernando todo o meu poder mental

Ou isto... Ou aquilo?
Quanta duvida a me sufocar
Não sei mais como governar
Não sei o que pensar
Não sei o que desejar
Não sei com quem falar
Fugir ou enfrentar?
Decidir ou esperar?
Esperar para analisar
O que meu coração
Fará com a minha razão!

Por que a vida, muitas vezes, se divide,
Pendurando decisões no cabide?
Nos transporta para cima de um muro
Pensando que assim não dará um furo?
Isto não é sensato
Isto não é o exato!
Adiar o que a vida me impõe
E' deixar meu tempo lento
Seguido pelo vento!

Casa... Comida... Roupa lavada!
Está mais parecendo uma cilada
Pode ser uma casa grande e bela
Mas a comida quem faz é ela
A roupa quem lava é ela
Isto é estoria de Cinderela
Desejando que sua vida amarela
Se transforme em uma linda Aquarela!

Já tomei uma decisão
Este Murilo, eu não quero não!
Vou seguir a minha razão
Fazendo brilhar meu coração
Tudo que quero já existe
Basta olhar nos olhos de Fernando
Para sentir o quanto estou amando
Quando me olha...
Ele flutua no mundo da lua!
Vai voando... Voando
Em busca de meus lábios
Como se encontrasse um doce mel
Fazendo tudo girar como um carrossel!
Eu tinha simplesmente esquecido
O que a vida desde muito tempo
Tinha me oferecido!

Autora: Aymée Campos Lucas  

domingo, 7 de maio de 2017

As Cores do Arco-íris... Tem as Cores de Seus Sonhos!

 Mas Isto Existe?

Eu quero brilhar,
mas, olha onde eu vim parar!
Vivo em uma ilha,
com toda a minha família.
A ilha é muito grande e quente,
um lugar com pouca gente.
Na verdade, não tem nada,
se ao menos encontrasse uma fada!

O que eu faço todos os dias,
não me dão tantas alegrias!
Vou sempre pescar com meu pai,
em todo lugar que ele vai...
 Ao longo do mar grande,
onde a onda não cai!

Todo dia ao Por do Sol,
vou à praia fazer caminhada.
Mas, minha mãe me fala assustada:
"Cuidado... Cuidado, Carol,
não ultrapasse o farol!"
  A praia era maravilhosa...
Tinha areia branca, era formosa!
Isto me deixava curiosa! 
 Não tinha medo, sou corajosa.
Minha mãe se preocupava,
mas, quando de longe eu olhava,
Queria ir, eu desejava!
Quando a via,
Queria explorar, é uma mania!

O tempo passava e Carol ainda sonhava...

Com a minha mãe fiquei dengosa,
dando atenção, toda carinhosa! 
Desta maneira, poderia ter uma prosa
e... Um dia, decidida, colhi uma rosa.
Era uma linda flor
e a dediquei com muito amor!
Pedia para ver,
O que, naquela praia, poderia ter.
"Mãe, lá não deve ser perigoso,
parece um lugar tão formoso!
 Talvez tenha flores ou quem sabe até outra rosa!"
Mas, ao contrário, ela ficou foi furiosa!

Naquele momento, meu pai me defendeu:
"Deixa nossa filha ser como eu!
Deixa ela sonhar... Explorar...
E, quem sabe, até navegar!
Ela tem desejos a realizar,
que são iguais ao Arco-íris a brilhar!
Neste Mundo existe mil cores, Maria das Dores!
Ela quer descobrir tudo que Deus lhe deu!
É a sua felicidade, um desejo seu!"
E assim me permitiu
de tanto que meu pai insistiu!


Corria, como uma louca, nada via!
Sorridente corria... corria...
Queria chegar antes que acabasse o dia!
A praia era distante...
Eu parecia um viajante!
 Se localizava depois de uma trilha, 
mais parecia uma outra ilha!
Quando cheguei, pensei:
"Que praia linda!" Depois, Gritei:
"Olá... Olá, estou aqui eu cheguei!"
A praia era vazia, com muita ventania,
Mas a impressão que sentia,
era que não estava sozinha, era sombria!

"Mas o que estou pensando?
O que está me assustando?
Tudo aqui é tão lindo!
Eu deveria estar sorrindo!"
Um mar azul com ondas indo e vindo,
 O vento soprava forte como cantigas,   
as ondas quebrando nas rochas antigas,
só para formar um lodo todo verde, 
junto com algas que sentiam sede!
Elas queriam ficar brincando...
 Ficavam a todo momento provando
o gosto salgado do mar... 
Pareciam ter paladar!


Sentir todo este sal... 
Porque não faz mal?
Saborear esta água o dia inteiro,
não é o mesmo que sentir o cheiro!
Por mais que eu ame o mar,
não consigo imaginar!
E... Os peixes dentro d'água a nadar,
 ficam sem respirar o nosso ar! 

 Cada um de nós tem o seu lugar.
Isto é natureza...
Isto é toda a beleza
deste nosso mundo explorável
que às vezes é inexplicável ou inaceitável!
Mas, porque é aqui, que a minha mãe me cria?
Aqui eu não vejo tanta alegria!
 O que eu mais queria,
era um lugar diferente...
Esta ilha não tem gente!
Vou parar de reclamar.
Estou aqui, então, vou olhar!
Vou apreciar tudo que vejo.
É! Tem tanto tempo que pelejo.

"Que monótono... O mesmo mar,
Eu canso de olhar!
A areia é um pouco diferente...
Ela é mais quente!
A onda é mais forte,
o vento sopra pro norte...
 Para muitos, aqui seria incrível!
Para mim é terrível!
 Tudo se tornou normal...
É quase tudo igual!"

Acho que perdi a paciência...
Vivo em delírios  com a minha consciência.
Eu vou continuar a ver,
Para o meu pai, vou querer descrever!
Vou falar de toda esta beleza
Talvez assim, vai embora esta minha tristeza!
Que raiva, eu não consigo,
a tristeza continua comigo!
Não sei o que falar,
cansei de apreciar este mar!

Se eu fosse um homem, daqui eu escapava,
remava...remava!
Eu quero remar e bem longe explorar.
Quem sabe assim, me levaria a qualquer outro lugar!
Somente uma magia me transformaria,
só ela me faria
viver do modo que espero
neste outro mundo que mais quero!
Melhor é parar de pensar...
Eu vou andar por ai, vou caminhar!

 
"Ai... Ai... Ai!
Olha onde você vai!
Olha onde você pisa, 
isto aqui não é uma brisa!
 Olha onde você chuta, 
quase quebrou minha nuca!"

"Uma garrafa falante... Acho que estou maluca?"

"Não perca tempo, passe a sua mão,
quero sair daqui como um avião!"

"Você está mesmo falando comigo?
Oh Deus, este lugar é mesmo um perigo!" 

"Por favor, não se assuste, isto é a coisa mais normal! 
Eu não sou mau... Eu sou real!
Não perca tempo não,
quero sair daqui para pegar a sua mão!
Vou me apresentar
para você não mais se assustar!
Acredite, você vai ver
quando me conhecer...
Vou te fazer feliz,
Você vai querer até me pedir bis..."

"Eu vou fazer o que me pediu,
mas não me assuste, ouviu?"

"Não tenha medo,
é só passar o dedo!
Eu sou carinhoso, 
sou bondoso
e nem sou horroroso!"

"Ai meu Deus, eu nem quero ver
o que vai acontecer!
Olha, eu já fiz o que você pediu...
Não me apavore, viu?"

"Obrigado por me soltar,
não via a hora de me coçar...
Ali dentro é muito apertado,
não me mexia para nenhum lado!
Fazia séculos que estava ali parado...
Nossa, eu estou encantado!
Este lugar é belo, eu estou admirado!
Escute bem, eu agora vou falar sério,
para acabar com todo este mistério.
Eu sei o que você vem reclamando...
Sei até que vive chorando.
Não se apavore! 
Ore!
Eu sou seu Gênio
e o meu nome é Eugênio!
Estou aqui para te ajudar
não precisa mais chorar!
Acho que foi Ele quem me mandou,
de tanto que você implorou!
Daqui pra frente,
tudo aqui, vai ser diferente!
Vou fazer este povoado
encher de gente!
Vou levantar montes,
vou criar lindas fontes...
Até um Corcovado vai ter,
pode crer!
Lá em cima terá a estátua de Cristo 
do jeito que ninguém tinha visto!
Seus braços estarão abertos,
iluminando todos os homens espertos
para se tornarem cada vez mais certos!
 Do outro lado, 
a gente coloca um monte melado,
dá o nome de Pão de Açúcar pra ficar marcado.
 Vai subir gente até apressado,
vão correr atrás de doce, todo desconfiado!
Os espertos vão ficar embaixo parado
Só pra não ficar suado! 
E você, menina linda, vai ter até namorado
e ele vai ser muito desejado
  Vão brincar no mar e ficarem molhados."

 

"Vou trazer tanta gente, e aqui tudo vai enriquecer...
E você, nunca mais, vai desejar daqui correr!
Todo este  povo vai ser Mineiro
E a cidade vai se chamar Rio de Janeiro!
Quem reclamar
Que trate de mudar!"

"Mas, não era só três pedidos na estória?
Isto que está me falando é uma Glória!"

"Para você, Ele abriu uma exceção,
não queria te deixar na mão!
Se você for embora,
A sua família chora!
Sua mãe é sua protetora e seu pai te adora!
E agora, chegou a hora...
Vamos logo construir esta cidade,
Porque o tempo tem idade!"

Autora: Aymée Campos Lucas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...