Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



domingo, 30 de janeiro de 2011

Aventura de Louco...Todo Mundo Quer um Pouco!... VIII

Onde Nasce uma Paixão!

E me olhando, me beijou e eu deixei porque eu gosto dele e aquele aperto,  em meu corpo, me deixou nas nuvens. Tinha mais que desculpá-lo ao admitir que errou. Que sorriso lindo que me deu juntamente com seus olhos que brilhavam ao me olhar! 
Depois de tudo me fez cavalinho em seus ombros, querendo me fazer lembrar do nosso primeiro momento, querendo me dizer que seria impossível esquecer aquele início!
Que momento delicioso, nem poderia desejar algo melhor!



E assim, a estória continua...
 A Satisfação

 - Preto... eu prefiro o preto! Esta é a minha cor predileta!
Foi isto que ele falou, ao caminharmos para o armazém... Não consegui entender porque dizia aquilo, naquele momento. Pensava que ele iria me dizer que me adora, que estava feliz ao meu lado, que não queria mais que brigássemos, mas em vez, ele diz a palavra preto!
"Mas o que ele está querendo dizer com isto? Gosta de preto... Eu nem perguntei nada! E falou com um sorriso no rosto que eu não sabia o que responder"... 
Foi como se quisesse me dizer já da tempo isto e quando pode falar, se sentiu aliviado e muito contente de ter conseguido falar. Aquele meu silêncio, o impediu de falar algo que ele queria tanto me dizer... E eu ao olhar para ele, assim sem não entender nada e ainda demonstrando com o meu rosto, ele começa a gargalhar sem parar. E então gargalhando me diz:
- Que alívio, eu pude falar para você antes que você o comprasse! ... Desde quando você disse que iria comprar um biquíni, eu queria poder te dizer que gostava da cor preta, queria que você escolhesse o preto mas não poderia dizer, porque você nem me olhava mais!
E continuava a rir dizendo:
- Eu não via a hora de te dizer, estava já me apavorando, porque estávamos chegando aqui e eu sem coragem de falar com você... você estava muito distante e eu ali dentro do carro... Sem poder demonstrar o quanto gostaria de te ver vestida com ele! Eu adoro biquíni preto e você assim com a pele branca, ficaria lindo demais!
- Você levou a sério? Ficou mesmo pensando nisto, por todo tempo dentro do carro?
Falei de um modo ingênuo, mas dentro de mim havia uma satisfação em sentir suas palavras...
"Sabia que ele não se daria paz, quando disse que iria colocar um biquíni! Depois que me beijou eu esqueci o que tinha feito... Mas sabia, que com a briga que tivemos, não me colocar a mão quando eu estivesse de biquíni, seria para ele um drama... Saber que eu estaria naquela cachoeira de biquíni, o deixou foi tenso... 
Que satisfação, agora, que estou havendo, em saber que ele não teria sossego longe de mim!"
Pensei por instantes..
Eu sabia que aquela minha frase seria um desmoronar de sua agressividade, seria um aumentar de desejo misturado com ansiedade, um apavoramento em não poder estar do meu lado quando vestisse um biquíni... Eu sabia disso, e quando falei, eu falei mesmo com esta intenção de perturbá-lo, acabar com o seu sossego e consegui perfeitamente acertar o alvo!
Quando perguntei disfarçadamente a ele, como se não sentisse a vitória na pele, para que ele não percebesse o meu jogo, ele me sacode a cabeça confirmando que sim e então comecei a sorrir junto à ele de satisfação, em ver que aquele homem que me encanta tanto, estava realmente se apaixonando por mim. Então, respondi:
- Eu vou comprar um biquíni preto se encontrar... é lógico que eu compro! Você gosta, é?
- Sim... vou ficar louco! Você me deixa doido, sabia? Você é minha delícia!
Grudados um no outro e quase entrando no armazém eu falei:
- Nesta manhã, você se chateou porque eu queria esconder de minha irmã sobre nós dois estarmos juntos, e você não gostou. Agora, você havia feito o mesmo e eu senti o mesmo que você sentiu... me senti ferida!
- Eu sei, eu sei o que você sentiu... não faço mais!
E então me beijou ardentemente!
- Posso te pedir uma coisa? Não bebe pinga. Por favor, não beba porque não gosto do cheiro...
Falei toda carinhosa e ele responde:
- Não vou beber, podem me chamar do que quiserem, mas não vou beber!
 Entramos no armazém bem abraçados... 
O armazém era muito grande! Realmente tinha de tudo e... mesmo se tivesse a tal da felicidade para vender, eu não precisaria comprar, porque depois de hoje, em minha vida, a felicidade eu já tinha aos montes!
O que a vida estava me proporcionando, era maravilhoso demais...
Lucas já estava falando com Letícia lá dentro e ao entrarmos, nos aproximamos deles e assim, Lucas faz a apresentação para o casal do armazém. Quando fui me apresentar, dizendo o meu nome, aparece um macaco e dá um grito, berro, não sei dizer o que era aquilo, só sei que me apavorei... senti medo dele e agarrei Júnior escondendo o meu rosto... Letícia começou a rir e o seu Filipe disse de não me assustar, que o macaquinho não faria nada de mal... Disse que ele era dócil demais!


Quando nos sentamos em uma das mesas que tinha ali, como se fosse um restaurante, vem o macaco de novo e sobe na mesa. Lucas falava com ele, passando a mão na sua cabeça e eu comecei a imaginar que se ele subisse em mim o que eu poderia fazer? 
Eu não suportaria o pavor... Imaginei ali um macaco no meu ombro e eu dando banana para ele. Eu sei que isto seria impossível, mas não saía esta imaginação da minha cabeça!
Então pedi para Lucas de tirar ele dali...  Sentia muito medo!
- Por favor, tire ele daqui Lucas! 
Dizia apavorada!


Letícia ao contrario de mim já estava colocando a mão nele, dava amendoim que havia ali na mesa, colocava dentro da boca dele sem nenhum medo! Como pode ser tão diferente de mim?
- Olívia, não tenha medo! Não viu que o dono dele falou que ele é dócil? Olha que lindo quando a gente faz carinho nele... Vida, será como ele se chama? Você sabe? 
- Já me falaram mas eu esqueci... Seu Filipe... Qual é mesmo o nome dele?
Gritou Lucas lá da mesa, tentando falar com o dono.
- Este, se chama Kiko! O pessoal aqui fala Kiko boy, porque se deixar ele à vontade, parece gente! Ele é muito brincalhão! Kiko brinca mais do que o outro... o outro quase não vem perto das pessoas, gosta mais de ficar no galho do viveiro...
Ali tinha um enorme viveiro parecido com um daqueles do zoológico.
Eu querendo sair dali de perto do Kiko, chamei Letícia para ligar para a nossa mãe e assim fizemos... Eu estava com muitas saudades dela, não via a hora de ouvir a sua voz... enquanto Letícia fazia a ligação, perguntei a mulher de seu Filipe, se ali eu poderia encontrar biquínis e então, ela me levou até um local onde tinha muitos deles... E lá estava aquele que chamou a minha atenção em questão de segundos, ao olhar, pois, além de ser preto era também muito lindo! Estava completamente satisfeita com que havia encontrado.
Peguei para experimentar, quando Letícia me chama para falar com dona Helena, minha querida mãe!
Estava tudo tranquilo em nossa casa, minha mãe fez milhões de perguntas e quando respondi, ela disse que tinha uma novidade... me disse que o meu ex namorado, havia ligado, queria falar comigo, queria me pedir desculpas por tudo que fez... Minha mãe continuou dizendo que, ao saber que estava viajando, ele mudou o tom de voz, ficou nervoso e queria a todo o custo o número do telefone onde eu estava, implorou a minha mãe... Minha mãe contou que dizia para ele que não tinha nenhum número ainda, e assim, ele falou que ligaria de novo, depois de alguns dias, para pegar o número... 
Eu respondi áspera de não dar nenhum número e sim dizer que nós não tínhamos telefone onde estávamos, porque era um sítio. Falei para que ela contasse tudo, que estávamos reunidos em um sítio, por todo o mês, com amigos... Queria irritá-lo, pois seria a minha vingança a minha satisfação... Não voltaria com ele por nada neste mundo! 
Mesmo depois deste transtorno, minha mãe me falou que estava muito feliz com a minha reação, recomendou que eu aproveitasse o máximo e nem pensasse em tudo que ela disse... Ela mesmo iria resolver tudo aquilo que estava acontecendo lá,  tão distante daqui... 
Mas, toda aquela noticia me abalou muito, não esperava e mudei o meu comportamento diante de Júnior quando voltei para a mesa. Letícia percebeu e me chamou para escolher o biquíni dela e comprarmos alimentos. Foi a melhor coisa que ela poderia ter feito, assim falaria um pouco com ela e me acalmaria.

 

E assim começamos a comprar de tudo um pouco. Primeiro, começamos escolhendo os biquíni que para nossa alegria havia tanto o preto quanto o amarelo. 
Letícia comprando, começou a falar comigo do que havia acontecido e me disse de não demonstrar nada a Júnior, porque nós dois estávamos bem e que ela estava adorando ver tudo aquilo acontecer comigo.
- Olívia, seus olhos brilham quando você o olha! Eu fico observando de longe o quanto vocês dois estão extasiados... Ele então, quando te olha, parece que já te conhece tanto!
Cá pra nós, sem que eles saibam, mas Júnior é lindo! Nossa!... Quando ele te pegou no colo lá no sítio, você viu como ele fez? Não pensou duas vezes em te dar a atenção que você queria... eu estou muito feliz. Não esperava toda esta aventura... e lá na cachoeira, então? 
E por falar em cachoeira, vamos apressar para que não fique muito tarde, não vejo a hora de entrar na água, aqui faz calor demais e tem Lucas ali também que não quer parar de beber... ele me pediu para não controlar, mas me desculpe... se ele continuar, eu vou derrubar o barraco!
- Calma... calma...
Quando estávamos falando, eu podia ver Júnior lá perto de Lucas que tomava a sua cerveja. Estava perto dele, mas os seus olhos estavam me vigiando... me seguiam.  
Lucas conversava com ele e bebia sem parar. Se não saíssemos dali, daqui a pouco, Letícia começaria a controlar, e ele pediu tanto para não fazer isto.


O problema de Lucas beber, é que quando ele bebe, ele fica calado demais... O álcool da esta reação nele. Letícia sente muita raiva, porque ela gosta do jeito dele brincalhão e não quando está sério e calado.
O calor estava muito forte, então eles foram para uma mesa fora do armazém, e o seu Filipe não parava de levar a tal da cachaça para ele. Letícia estava já se descontrolando, pois, havia pedido que ele tomasse só cerveja, mas acabou que não se controlou. 
Júnior não bebeu nada... 
"Que lindo quando um namoro está começando... O casal se respeita muito mais! Acho que é porque ainda se sentem inseguros e sentem medo de perder a sua mais nova conquista! Mas todo este medo, vem somente se existir muita atração, senão... Este medo não existiria de forma alguma!"
Ele estava tão quieto em um canto que eu estava era estranhando... 


Pensei:
"Será que tudo isto é o meu poder sobre ele? Minha nossa! Será que realmente eu posso haver todo este domínio sobre ele? Se for assim, posso dizer que isto sim é para mim a maior satisfação! O poder sobre um homem... Nossa, é demais!... 
Sonha Olívia, porque isto só mesmo sonhando...
Que lindo que ele é para mim... Não vejo a hora de vestir meu biquíni para ver o seu olhar!"
E lá de longe o olhei, jogando um beijo para ele.
Ele me sorriu! 


Eu e Letícia aproveitamos que ele nos olhava, e fizemos um sinal, assim ele se aproximou...
- Júnior, não deixa Lucas beber mais, por favor!
Falou Letícia, nervosa...
- Pode deixar, eu vou recolher tudo da mesa com a desculpa de vir ajudar vocês.
Falo para sairmos logo, rumo à cachoeira. Vou inventar uma desculpa, vou chamá-lo para olhar anzóis.
- Vai, faz isto! Ela adora pescar, vai aceitar na mesma hora!
Fala Letícia toda satisfeita com a ideia de Júnior.
E assim ele fez, conseguiu animar Lucas a escolher anzol e até compraram uns dois anzóis, dizendo que conseguiriam pegar alguns peixes. 
Eu gosto de pescar, e agora, para mim tudo vai ser muito mais divertido. 
Compramos tudo que podíamos e ali vamos nós para aquela tão esperada aventura... Irmos em uma cachoeira no meio de uma mata, onde deveríamos abandonar o carro a alguns quilômetros, antes de chegarmos nela. Deveríamos fazer uma trilha... 
Alguns metros à pé para mim, seria uma tortura se fosse em minha cidade, mas ali, acho que não! 
Ali tudo estava com sabor de alegria, sabor de descoberta, sabor de desejo.
Júnior me pegava no colo e nos divertíamos pelo caminho... Aquele vento de verão que sentia em meu rosto, tinha sabor de satisfação! 

Autora: Aymée Campos Lucas
Aventura de Louco... Todo Mundo quer um Pouco.
Capitulo 8
 

Todos os direitos reservados 

Elenco musical deste capítulo:
U2 - Stuck In a Moment
Travis - Writing To Reach You
Oasis - Little By Little
Beatles - Something
As músicas foram retiradas porque o programa não estava funcionando.


Para quem desejar ler, este link é o inicio de meu Livro:

 
E assim mais um capítulo acaba de surgir... 
Em breve, a aventura na cachoeira com dois pescadores tremendos! 


sábado, 29 de janeiro de 2011

Aventura de Louco...Todo Mundo Quer um Pouco!... VII

Onde Nasce uma Paixão!

Ela sempre dizia:
"Nunca, mas nunca mesmo desejem algo e sintam medo de realizá-lo, caso seja algo de valor ou algo que poderia dar a vocês felicidade! Nunca se esqueçam que só existe um modo de concretizar... ou será comprando por ser uma coisa material ou será pedindo! Quando se trata de sentimento, o segredo é pedir... Peçam!"
- Claro, é verdade, ela fala isto para gente o tempo todo! 
- Eu amo esta dona Helena mais que tudo nesta vida!
- Eu também... não tenho palavras para dizer qual é o tamanho do meu amor por ela! 
E por falar nela, vamos chamar aqueles dois para irmos. Quero ligar... ela deve estar muito preocupada.
E assim fizemos, e lá vamos nós para a estrada rumo ao armazém do seu Filipe...

E assim a estória continua...
A BUSCA DO EQUILÍBRIO

Dentro do carro, todos falavam sobre vários assuntos e de repente, Letícia pronunciou sobre se sentir muito feliz e que aqueles momentos ficariam eternamente em sua memória... 
E eu concordei e comecei a refletir sobre tudo que me estava acontecendo e realmente eram momentos que estavam a cada hora do dia me trazendo vida. Eu, na verdade, comecei a querer entender porque a vida é assim e comecei a pensar me distraindo do que estavam continuando a falar... desapareci daquele lugar por uns segundos a pensar:
"Muitas vezes, me pergunto sobre coisas que observo e não compreendo bem como que funcionam os sentimentos de um ser?
Como que muitos conseguem estar sempre equilibrados e outros tão abalados? Como uma pessoa consegue ser capaz de direcionar bem a sua vida e outros nunca encontram respostas?
Equilíbrio seria a palavra certa... Equilíbrio Emocional seria o conjunto necessário para viver bem.
Toda esta curiosidade que está surgindo em mim, nesse mundo de pensamentos dentro de um carro é simplesmente porque tudo isto aconteceu comigo. Eu havia perdido todo o meu Equilíbrio Emocional. 
E agora, recordando, eu vejo que todo este desequilíbrio está desaparecendo... mas como pode ser assim? A uma semana atrás parecia que iria morrer de tristeza... eu não comia, não falava, não sorria... só chorava! Agora, tenho tanta luz dentro de mim que estou radiante! Não consigo ver mais aquela tristeza escondida no meu ser, que mais parecia escuridão!
Foi como se antes não houvesse nenhuma energia contida dentro de mim... e agora, aquele fusível queimado, foi trocado e a luz resplandeceu novamente... as batidas do meu coração estão se acelerando cada vez mais... a lâmpada está muito forte e tudo isto é próprio o meu coração!
Mas, por quê e de onde vem toda esta energia que parecia que não existiria nunca mais? 
Eu imagino que é a Luz Divina que é ali dentro, existe sempre dentro de nós! Esta luz nos faz enxergar tudo que tem diante de nós... eu imagino que Deus é dentro de nós e quando Ele nos faz ver tudo à frente, Ele nos deixa escolher, não influindo nas nossas escolhas. 
Ele, ali dentro, aponta milhões de caminhos aos nossos olhos, que dependendo do que escolhemos Ele sofre ali dentro, por nos ver seguir o que poderá nos fazer mal... Ele sofre por não poder nos falar... Ele se cala! Foi uma escolha e deve ser vivida, mas...Ele sabe que lá na frente algo de ruim talvez poderá acontecer. Ele fica mudo, surdo e cego até o ponto de não suportar o nosso erro e o nosso sofrimento por ser um filho seu... Ele dá o livre arbítrio, mas quando nos perdemos Ele nos protege novamente... assim, age dando Luz aos nossos olhos, sons belos aos ouvidos, e através da boca nos faz sentir o sabor da vida!
Ele estará ali te guiando novamente por ser um Pai amoroso querendo dar o melhor para a gente. 
E ele está fazendo isto comigo neste momento em que me perdi, me deu novos caminhos, novas escolhas e eu queria não errar, mas sei que ainda terei muito que aprender...
Mas, nós humanos não compreendemos isto facilmente e pensamos que a nossa capacidade é criada por nós mesmos e por isto sempre erramos... São milhões de caminhos, milhões de escolhas... Qual será a certa? Ele não fala, Ele só nos mostra e segue juntamente conosco mais uma de nossas aventuras!
Não posso nem abrir minha boca para falar disto... Todos irão rir de mim... Falar de Deus é sempre um mistério e cada um procura entender do seu modo. Tentar dividir esta minha ideia poderá criar milhões de polêmicas é um argumento maravilhoso mas muito complicado, melhor ficar calada! 
Eu só sei que o vejo assim. A minha Luz Eterna que me induz a fazer escolhas e vai junto a mim para cada felicidade, para cada sofrimento, para cada renascer! Ele está aqui dentro de mim e espero tanto que estes momentos que me ofertou me traga muita felicidade. Sei que serão momentos passageiros, mas para minha vida serão eternos! Obrigado meu Deus por existir em mim, em todos nós!"


Senti um respiro perto do meu rosto... Eu estava tão distante em meus pensamentos que não via nada que ali estava acontecendo e um grito me acordou de todo aquele pensamento e olhei seu rosto se aproximando de mim...


- Olha Olivia, você viu? Um macaco vida! Vocês viram?
Era Letícia me trazendo para a realidade... Me empolguei e gritei sem nem dar aquela atenção que ele queria como se me pedisse carinho...
- Onde? Onde? Eu quero ver!
Falei eufórica...
- Na árvore, mas já passou!
- Até que enfim você apareceu novamente... Minha nossa você parecia muito distante!
Ele percebeu que não estava participando das conversas, mas não poderia explicar o que pensava, seria complicado demais, pois nem mesmo eu tenho respostas... Esta foi a resposta que encontrei, para analisar e descobrir porque somos mutáveis!
- Verdade... Eu comecei a pensar o quanto estou feliz e me perdi em pensamentos...
Respondi
- Você está feliz? Que bom saber que se sente feliz! Talvez parte desta sua felicidade, possa ser eu entrando em sua vida! Sou eu que te deixo feliz?
"Convencido que ele era! Mas estes homens sempre acham que são a razão da nossa felicidade. Porque não somos nós, a sua razão? 
Os homens são sempre tão independentes de sentimentos... Para eles tudo se baseia em conquistas, mas não se perdem, não se importam porque tem ainda tanta conquista pela frente! São como os navegadores em alto mar à procura de uma terra perdida, e desta vez eu estou sendo para ele esta terra deslocada, vinda de algum lugar querendo me atracar a alguma coisa que me fará sentir firme novamente. 
Quanto são petulantes os homens mas... Eu amo este poder deles! Eu na verdade queria chegar ao nível deles e não me importar em atracar em algo e sim sair sempre a conquistar, sempre a descobrir e... O único ser que estará comigo será a minha Luz, meu Pai, meu Deus... O resto será apenas mais um de meus prazeres... 
Mas não é assim! Comigo ainda não é assim... Eu quero pousar, aterrar! E ele é tão lindo que se posso, ali seria eternamente o meu pouso!" 
Disfarçadamente eu sorri para ele... Que sorriso irônico e ao mesmo tempo malicioso. Sacudi a minha cabeça dizendo que realmente era ele a minha felicidade, mas naquele momento eu estava mesmo querendo era ver o macaco. Eu nunca havia visto um na minha frente e não via a hora de ver. 
Ele queria ser romântico ali naquele momento e eu simplesmente uma aventureira e assim falei:
- Eu queria tanto ver o macaco e não consegui...Lucas porque você não parou um pouco para a gente ver?
- Não precisa Olivia, daqui a pouco você vai poder ver mais e mais, eles estão em toda a parte! Tudo bem próxima vez eu paro.
- Olivia esta certa... Eu fiquei toda empolgada mas nem vi direito e nem assim você parou!
Fala Letícia toda dengosa, ela sabe que assim o convence a realizar seus desejos rapidamente... Ela sempre usa a sedução quando quer algo.
- Mas vocês duas são osso duro de roer... Minha nossa! Não sabem esperar nada. Amor eu não parei para que a gente possa chegar o mais rápido possível la no armazém porque assim depois poderemos seguir trilhas deles quando formos à cachoeira.
Me fez recordar que ele havia falado desta cachoeira, e então o olhei sorridente e falei sussurrando... Ele gosta de sentir meu sussurro porque assim pode estar pertinho de mim.



- Esta cachoeira é aquela que você falou não?
Ele só sacudiu a cabeça e olhou para fora. Parecia que estava zangado... 
"Mas porque? Só porque não lhe dei atenção? Ele é uma pessoa muito doce, mas sabe mostrar aquele seu lado salgado e provocador quando quer... Nele é muito raro de se ver, e isto me excita! 
Para mim um homem não pode ser totalmente doce... Fica enjoativo. Eu gosto de homem que procura me dominar, porque é difícil me dominar quando estou bem comigo mesma, eu sei dar o meu grito de guerra.
Com o meu ex eu não conseguia dar este grito, porque ele era agressivo com as suas palavras, em vez de conversarmos para chegar em um acordo comum... Não existia aquela cumplicidade, a nossa divisão não existia... Existia o inteiro que fazia parte só dele. Mas mesmo assim, o amava e tentava mudar isto mas nada mudava e o tempo passava, sem que eu percebesse que estava errando de continuar com alguém que não te escutava."
- Mas o que faz? Te fiz uma pergunta e você preferiu olhar a paisagem?
Falei me aproximando dele procurando o domínio...
- Eu também falei com você e você preferiu ver macacos... Eles parecem que são mais interessantes do que eu.
- Que comparação... Isto não é justo! Como posso comparar você com um macaco? Você nem cabelo tem. 
Falei dando boas risada, para ironizar, mas acho que ele não gostou, porque logo respondeu como se tivesse ferido sua vaidade.
- Porque diz isto? Você nem me viu direito... Nem tocou meu corpo para sentir se tem ou não muito cabelo... Não pode me basear só pelo meu rosto e quando me tocar verdadeiramente, vai poder imaginar, que aqui tem muito pelo para você apreciar, fazendo te esquecer de todos os macacos que tem por ai...
Não aguentei e sorri pensando:
"Pronto, falou de novo daquele jeito que me provoca, querendo me deixar curiosa em querer conhecer e... Eu adoro pelos e se ele tiver pelos no peito, vai me deixar doida de desejo."
- Talvez na cachoeira eu possa ver quando entrarmos na água...
Seu rosto mudou quando dei atenção! Ao se descrever, aquelas palavras me animou fazendo com que eu buscasse uma frase, la do fundo de meu pensamentos, daquelas que já não usava mais da tempo!
Ele gostou tanto do que falei, que se virou para me provocar mais e.. Eu ali deixei ele dominar aquela situação, onde por muito tempo não fazíamos outra coisa que não fosse se tocar e se beijar. Procurei tocar em seu peito, certificando que ali haveria pelos e era pura verdade... Existia milhões deles, que ao tocar o deixava todo arrepiado.
Minha irmã nem se intrometeu percebendo o silêncio que ali existia... Era nos dois nos conhecendo e nos querendo...


Quase não sentindo o que me dizia, como se ele estivesse com temor de dizer falou:
- Te beijar na cachoeira, com você toda molhada eu vou adorar! Vou te tocar, te olhar, te provocar... Quero ver o que você faz, quando eu não te der um minuto de paz dentro de toda aquela água! Eu sei que eu, vou esquecer do mundo la fora!
"Mas que provocação! Agora o que faço? Esperar esta hora chegar? E se eu não gostar? Ele é muito provocante, amoroso, beija gostoso mas já sabe onde quer chegar, já sabe que pode me dominar, e isto não pode ser assim... Será que ele pensa que só me tocando eu já vou ficar toda derretida para ele?
Eu estou me vendo em uma enrascada das grossas, porque eu não vejo a hora dessa cachoeira aparecer na minha frente, para ver tudo isto acontecer! 
Mas vou tentar resistir o máximo! Será que consigo meu Deus? Não se esqueça que eu estou muito carente de carinho ouviu? Será você a me mostrar com sua luz, o que devo fazer. Mas vê se não me priva tanto desse momento não, ouviu?
Nossa eu estou é ficando louca... Olha só o que estava ali a pensar e a falar com Deus. Deus tem tanto com que se preocupar, não posso chama-lo a todo momento que achar necessário. Melhor deixar Ele de lado desta historia, tanto já estou bem grandinha para fazer minhas escolhas."
E assim fala o bicho homem, quando quer seguir a estrada sem a Luz dele, por saber que esta errando....
Estava tentando encontrar o meu equilíbrio e ele ali perto de mim, querendo usar o seu domínio fazendo desequilibrar todo o meu ser, que na verdade estava carente de desejo e emoção!
 

Lucas ao improviso freia o carro, para nos mostrar um macaco que ele avistou... 
- Vocês queriam ver, olha um ali em cima da árvore!
- E' pequenino... Ele não cresce mais que isto não vida?
Pergunta Letícia
- Não amor, eles atingem uns quarenta centímetros e mais quarenta centímetros da cauda, apenas isto! São muitos leves também o peso deles chega ao máximo 4 quilos, mas são muito inteligentes, e quase  não descem das árvores... Dormem ali, recolhem o alimento através das árvores. Eles só descem para beber água ou atacar plantações de fazendeiros que tem por aqui. Dizem que é um animal muito inteligente e hábil... Tem mãos habilidosas conseguindo abrir frutos que tem a casca dura. Eles vivem bem em cativeiro e la no armazém do seu Filipe, tem uns dois que são domésticos, mas frequentemente criam problemas com os fregueses. Muitos quando  vão ali, levam bananas para poder dar a eles. Eu imagino que eles passam o dia a comer bananas! 
Vocês quando chegarem la vão se divertir com eles, vão poder ver de perto... Eu gosto deles!
- Que lindo! todo peludo...
Falei assim sorrindo e olhando para Júnior,só para provoca-lo...
- Se você gostou, porque não olha para ele em vez de mim?
- Minha nossa Júnior, você ta com ciume do macaco? Amigo não queria dizer não, mas você esta se apaixonando... Ciume do macaco?
Fala Lucas, fazendo ele ficar todo sem graça em demonstrar algo que realmente estava sendo a pura verdade... Ele estava querendo me conquistar ao completo, onde meus olhos fossem só para ele. 
"Mas será que ele é um outro possessivo querendo entrar em minha vida? Não... acho que não... Acho que é só porque quer a minha atenção! Na verdade ele brinca querendo chamar a minha atenção. Ele não tem o tipo de homem possessivo, parece mais do tipo que quer carinho constante."
- Claro que não! Mas de onde você tirou esta ideia?
Falou Júnior se defendendo...
Eu o olhei e falei:
- Não entendi sua resposta... Este "claro que não" que você diz, foi uma defesa onde você demonstra de não ter ciume do macaco ou quer mostrar que não esta se apaixonando?
- Uma resposta leva a outra... Não estou com ciume porque não estou me apaixonando!
- Ah... Eu agora entendi! 
Lucas você exagerou!  Não tem como ninguém aqui estar se apaixonando... eu nem poderia e você sabe o porquê, e Júnior mal me conhece...
Falei assim com um ar de defesa... Não queria demonstrar naquele momento um sentimento que estava nascendo, para alguém que estava ignorando isto. Senti muita raiva e fui para perto de minha irmã para ver o macaco que nem conseguia mais ver... quis demonstrar indiferença a tudo aquilo que ele falou, como se não me importasse, mas meu sangue estava fervendo.  Não queria ter ouvido aquilo, eu estava me apaixonando por ele e agora, não diria jamais isto a ele!
"Por que os homens fazem isto? Te olham nos olhos, te dizem palavras doces cheias de desejos e depois, tentam negar um sentimento que todos estavam vendo a olho nu... sentimento é uma coisa abstrata, mas muitas vezes são visíveis para muitos, quando o ser que está sentindo, demonstra em atos e nos olhos. Mas constantemente, os homens tentam ignorá-los, por pensar que os havendo, possam se tornar frágeis"


Não queria mais falar com ele, não queria nem estar ao lado dele no carro... me senti um lixo com a sua resposta, como se ele quisesse somente tirar proveito daquela situação, como se eu fosse apenas mais uma de suas conquistas.
Não fazia outra coisa que pensar depois do que falou...
"Mas, quem é Júnior afinal? Não sabia nada dele, não sei nem se ele já se apaixonou um dia ou se é apenas um aventureiro em busca de pequenos prazeres. Esta sensação que senti, foi surpresa para mim"...
Sentia raiva, mas sentia tudo isto como um desafio e naquele momento eu queria mostrar para ele, que ele estava muito interessado por mim, mas não sabia como agir, fazendo uma figura de homem frio, insensato.
Eu estava vivendo um momento tão prazeroso, eu estava tão feliz ao ponto de esquecer que sofria, estava encontrando um equilíbrio em meu ser e ele ignorou tudo isto. 
Pouco tempo faz, eu achava impossível deixar de sofrer... Estava encontrando respostas para o meu silencio, ao encontrar uma felicidade que estava nascendo, abandonando uma dor que eu não conseguia abandonar... 
Estava chegando a conclusão que são poucas as pessoas que vivem no sofrimento quando encontram na sua frente alguém que está querendo te dar carinho, muito afeto... te deseja e ao sentir este desejo, nos faz sentir feliz... principalmente quando este alguém te atrai muito! E ele conseguiu tirar de mim este pouco que estava nascendo...
"Como poderia acreditar nele novamente? Como poderia entender que tudo aquilo foi apenas uma defesa de machão, para não demonstrar ao amigo o que estava sentindo realmente? Muitas vezes, um machão se torna um cretino... se demonstram vazios de sentimentos como se estes sentimentos fosse algo impuro, sujo. Sentimento para mim é a coisa mais linda que possa existir em um ser. 
A dor para muitos parece uma coisa tão feia, mas a dor é algo que não tenho como descrever o quanto tem valor. Ela nos faz ver o mundo mais colorido quando em nosso corpo, ela se acalma, dorme... ela ao se acalmar, nos dá uma fragilidade que ao olhar o sol , a lua, a água tudo tem mais brilho, beleza... com esta fragilidade existente, ao apreciar um pequeno animal, um cão indefeso no nosso colo, um bebe sorrindo para gente, nasce uma emoção maravilhosa... eu agradeço à Deus por ter me mostrado a dor, e muitos outros sentimentos, que faz só crescer dentro de mim um mundo de inversos iluminado!"
Quanta raiva eu estava sentindo com a sua frase, e ele notou o meu distanciamento... agora, quero saber o que ele poderia fazer para desfazer isto, se for somente um mal entendido... temos um mês pela frente e uma cachoeira que nos esperava para nos divertirmos. 
Eu queria tanto estar ali vendo o macaco, mas abraçado com ele, e em vez, ele estragou tudo!
Entramos no carro e poucos minutos depois estávamos chegando no armazém de seu Filipe. Dentro do carro, eu não abri mais a minha boca, passei o tempo todo olhando para fora do carro olhando todo aquele verde da mata que contornava a estrada. 
Minha irmã tentou falar coisas comigo, mas eu respondia friamente tudo que falava... eu queria apenas chegar ali e ligar para minha mãe... ela, neste momento, estava me fazendo muita falta!


Pouco antes de chegar ouvi Lucas pedir uma coisa a Letícia...
- Amor, quando chegarmos ali por favor não me controlar, por favor! 
- Não entendi, vida! O que você quis dizer com isto? Que eu te controlo?
"Pronto agora só faltava esta... Será que os dois também vão brigar?"
- Claro que não quis dizer isto, amor, é só porque ali no armazém tem sempre uns homens, que sou seguro que ao me ver irão me oferecer uma pinga. Eu eu nem vou poder dizer não, é só por isto! Eu vou ter de beber pelo ao menos um copo, senão fizer isto, eles não vão me deixar em paz, e assim começam a criticar...
Ali no armazém é assim, então vocês ao entrar, liguem para sua mãe, compra tudo que precisar e eu vou ter de dar atenção a eles somente um pouco, só para disfarçar...
- Ah, tudo bem, mas só um pouco! Vida, bebe cerveja, não beber pinga. Entra e pede logo a cerveja e assim terá a desculpa que já está bebendo. 
- Tudo bem! Você vai achar engraçado quando ver o armazém... Tem de tudo ali, tudo, amor!
Você encontra da agulha à comida, do sapato ao brinquedo, da ferramenta ao remédio... tem tudo!
- Tem biquíni? Eu queria comprar um para usar na cachoeira!
Falei assim para chamar a atenção dele... Vestiria um biquíni para provocá-lo, pois estava decidida que não colocaria a mão em mim, enquanto ele não acertasse aquela situação!
Quando falei eu vi os seus olhos arregalarem de desejo e satisfação mas ele sabia que tinha errado...
- Olivia, ali tem de tudo e para dizer a verdade as roupas dali são bonitas. A mulher do seu Filipe tem bom gosto!  Aqui tem muita gente que vem de longe para comprar ali.
- Eu também quero comprar um. Tomara que tenha amarelo, eu adoro amarelo no meu corpo quando me bronzeio. Vida, qual a cor que você gosta de ver em meu corpo?
- Qualquer cor te cai bem, mas eu gosto demais quando você usa o branco... Você fica linda, por ter esta pele morena! 
Sabia que eu te amo, Dona Letícia? Te amo demais! 
O sorriso de minha irmã foi enorme nesta hora. Ela respondeu a ele o mesmo... 
- Eu também te amo tanto, vida minha! 
Eu achava lindo quando ela falava com ele assim... quando dizia vida!
"Será que se eu estivesse com ele por toda as férias, ele me chamaria com algum apelido carinhoso? Mas qual poderia ser? São tantos... Vida não poderia, já tem dono, mas tem outros como: Meu doce... amor... gata minha... querida... Este eu não gosto tanto! E se me chamasse de Chuchu? Minha nossa! Por favor, este não?
Se falasse assim, eu esconderia o meu rosto de vergonha, e também Chuchu nem tem sabor! Chamar alguém assim é como se dissesse que a pessoa é sem sabor, sem gosto... E eu quero na verdade ser um gosto de pimenta em um momento, torta de morango em outro, mousse de chocolate quando ficar toda macia... 
Eu quero estar com ele! Eu quero! Não tem como sentir raiva dele, eu gosto dele e para dizer a verdade, eu já estou sentindo falta do beijo dele mais que tudo! Mas quando é que ele vai desfazer o estrago que fez? Não vejo a hora!"

Momentos depois, chegamos ao lugar desejado... desci do carro silenciosamente e quando estava me aproximando de minha irmã e distanciando dele, ele me puxa pelo braço ao improviso, me abraça bem forte de um modo que não tive como escapar, foi forte demais o seu abraço! Me olhou diretamente nos olhos e falou:
- Me desculpe, linda! Me desculpe por ter agido daquela maneira... Eu estou completamente apaixonado por você... Completamente! Só não queria que meu amigo tivesse notado mas... quero que saiba que eu não sou ciumento não! Você pode brincar com qualquer pessoa que quiser, qualquer macaco, eu não vou ter ciúmes ao sentir que você me dá valor e me deseja... diz que me deseja vai... me diz!
Continuei silenciosa mas a respiração dizia tudo!
Eu fui estúpido, cretino... Eu te adoro e sem a sua presença ali no carro me dando atenção, eu senti sua falta, não gosto mais de te ver distante de mim. 
E me olhando me beijou e eu deixei porque eu gosto dele e aquele aperto em meu corpo me deixou nas nuvens. Tinha mais que desculpá-lo ao admitir que errou. Que sorriso lindo que me deu juntamente com seus olhos que brilhavam ao me olhar! 
Depois de tudo, me fez cavalinho em seus ombros, querendo me fazer lembrar do nosso primeiro momento, querendo me dizer que seria impossível esquecer aquele inicio!
Que momento delicioso, nem poderia desejar algo melhor!

Autora: Aymée Campos Lucas
Aventura de Louco... Todo Mundo quer um Pouco.
Capitulo 7

Todos os direitos reservados 

Elenco musical deste capítulo:
The Parlotones - The Stars Fall Down
Travis - Sing
The Parlotones - Funny Face
The Verve - Sonnet
The Parlotones - I Il Be There
Ozzy Osbourne - Goodbye To Romances
Foi preciso retirar o programa musical 4Shared, pois, ele estava prejudicando o blog.  



Para quem desejar ler  livro desde o inicio clique aqui:
Capitulo 1 de Aventura de Louco... Todo Quer um Pouco
 

Estou indo para o VIII capitulo do meu livro! Ipi Ipi Urra! Estou muito satisfeita com tudo que escrevi... Eu sinto que o meu livro é envolvente... Muito envolvente, juntamente com um pouco de diversão onde nesta Aventura de Louco... Todo Mundo Quer Ler um Pouco!
Daqui a alguns dias estará pronto o próximo capitulo...Aguardem!



quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

O que desejei... Na minha mente eu pintei!

O Sonho

Dos sonhos que desejava...
Queria ser uma bailarina
Era o que eu esperava!
Poder ver o mundo girar
Sem sair do lugar!
O Mundo seria meu,
Imaginava... Deus me deu!

Eram sonhos de juventude
Sonhos que realizar... eu não pude!
Pensava, desejava e sonhava,
Um dos sonhos de minha lista...
Eu queria ser uma artista!

Pintei na mente uma imagem 
Que mais parecia uma miragem!
E a minha mente o que fazia?
Ela idealizava... espelhava e refletia.
A minha mente para mim dizia:
- Vai bailarina! Sonha...
Tenha sonhos de fada
Não será você a não sonhar nada!
Vai bailarina... dorme e sonha...
Coloque seu rosto 
Nesta linda fronha
Sonha... sonha...
E, sonhando vai às nuvens
Com sua mente a pensar
Naquele lindo baile
Que te fará delirar!


- Vai bailarina... se veste!
Faz dela a sua fantasia
Imagina... era o que você queria.
Quando eu via... eu sorria...
Eu ali me tornava uma bailarina
Era a minha sina!
- Dança bailarina... dança!
Assim todos diziam, pediam,
Querendo me ver dançar.
Não conseguia bailar,
Mas, me sentia como uma princesa
Naquele grande Salão,
Arrebatando a multidão!

Eles me viam bela,
Como uma bailarina em uma tela...
Charmosa, insinuante, brilhante,
E a Lua me fazia radiante!
Noite de baile de fantasia
Aquele baile que eu queria...
E, desejei e via
Que o sonho de minha mente,
Iria se transformar
Numa festa de folia,
Como um carnaval
E eu estava fenomenal!

Queria realçar naquele lugar,
Havia um príncipe encantado
Imaginava que estava ali 
A me olhar... a me admirar!
Seria um dia inesquecível,
Sentir minha beleza
Com toda aquela clareza!

De repente... ninguém mais me olhava,
Nem me admirava.


- Vai Bailarina... não chora!
Não importa que toda esta gente
Te ignora...
Você ainda está sonhando
Você desejou,
Você criou,
Mas não implora!
Seja única, 
 faz somente ele te notar nesta hora.
Mostra a sua beleza,
Se transforma em princesa,
Com o seu olhar desnudo
Demonstrando desejo...
E quando ao te tocar,
Serão felizes mais que tudo! 


- Vai bailarina... sorria!
Agora você via... você sabia
Que ele distante te queria!
Aproxima... aproxima bailarina,
Não deixe este momento esquecido
Para que seu coração 
Não se sinta ferido
por viver somente em sua mente,
Um momento assim tão eloquente!

E, o que um dia desejei...
Na minha mente eu pintei...
eu memorizei...
Hoje virou história
O conto da bailarina de memoria!
Vai bailarina... escreve!
Tudo que em sua mente
Esta flutuando bem leve!

Autora: Aymée Campos Lucas

E você... o que sonhou ser? Eu queria saber!
Quem passar por aqui e ler, fale para mim o que desejou ser lá longe em seus pensamentos, quando a sua alma perdida, te pedia acalento.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...