Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



quinta-feira, 13 de setembro de 2012

CIRCULO VICIOSO

CIRCULO VICIOSO 
MENTE SUJA E PERIGOSA


No meu quarto, agora, relato... Neste quarto, escrevo minhas mais certas linhas com todo inverno lá fora que, olhando pela janela, o que vejo são enormes flocos de neve que tomou conta dos telhados, carros, estradas e jardins desta linda cidade chamada Londres! Maravilhoso olhar toda a cidade branca, como se houvesse uma completa inocência, onde, na verdade, esta inocência não existe em nenhum lugar deste Mundo.


Sou uma pessoa que desiludiu com amores. Mas ao improviso... Tudo mudou em mim.
Com a vida eu nunca me desiludi! Procuro buscar a felicidade nas coisas que faço e em tudo que vejo. 
Eu sempre gostei de ser um homem sozinho. A solidão para mim é auto descoberta, é visão. Eu me sinto bem assim! Não preciso estar ao lado de alguém para dividir meu aprendizado e conceitos. 
Preferi este caminho que parecia ter menos espinhos. 
Assim era como pensava... 
Mas mesmo assim as pessoas se aproximam de mim, me contam suas historias, seus desabafos e eu as escuto sempre como se fosse uma esponja que absorve tudo e ali fica sem retirar de mim, sem confidenciar com ninguém.
Em minha casa, em meu trabalho tem sempre alguém que vem à mim contar seus segredos e com todos esses segredos que escuto e que convivo, pude perceber, observar que mesmo estando em vários ambientes em que vivo, essas vidas se cruzam! E' impressionante como que em uma cidade como esta, enorme, uma só pessoa pode estar no meio de tantas vidas. Se não soubesse absorver todos estes segredos muitas coisas complicariam... 
Que se dane a complicação! 
Pois hoje nesta folha em que escrevo vou revelar, desabafar e denunciar tudo que sei, tudo que relatei e vivi e que por muito tempo me perturbou. Agora não quero mais esconder!


Me chamo Peter Carl e por muitos anos vivi em Manhattan. 
Nasci no subúrbio de New York, Nova Jersey. 
Me tornando um escritor, escolhi viver a Manhattan em um loft aconchegante, cheio de quadros importantes na parede, uma decoração de classe com uma cozinha personalizada, muitas plantas, e um cão que se chama Charles. 
Charles é o meu amigo fiel, meu companheiro de jornadas. Nos entendemos em tudo como se falássemos um para o outro!
Foi sempre nesta casa que me refugiei para escrever. Esta casa tinha meus segredos revelados em livros, grandes livros que escrevi.
Eu, além de usar meu tempo nesta casa para escrever, também trabalhava em uma Editora chamada Phoenix. A Editora carrega o sobrenome de uma família muito conceituada onde um de seus fundadores é pai de John. John Phoenix.
Nesta Editora que trabalhava via tantas pessoas e eu sou criador de duas revistas famosas desta empresa.


Hema! O que dizer de Hema Kuhn! Hema era a minha secretaria. 
Sempre quando me dirigia a ela era muito conservador e só falava dos trabalhos, da produção que desejava da parte dela, de seu trabalho, mas, Hema se sentia segura falando comigo, e muitas vezes confidenciava seus segredos, pois, sabia que eu escutava e me calava!
Hema desde jovem iniciou a trabalhar e conseguiu este cargo aos seus 23anos. Muito inteligente e capaz e atualmente tem 26anos.
Um dia, ela se aproximou de mim e respirou forte para conseguir desabafar e disse:
- Sr Carl, posso lhe pedir ajuda?
Que estranho... naquele instante meu coração bateu mais forte, não entendi...
Para que ela se sentisse mais a vontade, eu disse:
- Hema, se você precisa de minha ajuda, que tal me chamar de Peter?
- Me desculpe! Tudo bem. 
E sorriu para mim, e seus olhos se abaixaram de vergonha!
- Então, fale! Que tipo de ajuda poderia te dar? Saiba que se eu puder te ajudar, estarei a sua disposição.
Ela respirou forte novamente e falou:
- Eu... me apaixonei por um jovem de minha idade e queria poder entender seu silencio. 
Queria poder conquistá-lo, pois, o vejo sempre, somos íntimos, é meu namorado e está sempre comigo em minha casa, mas não sei porquê o sinto distante a cada dia. Antes, não era assim e agora, não recebo a sua atenção. Esta sempre ali, mas sempre distante, frio e muitas vezes defensivo e isto, eu preciso entender!
Eu queria saber, se ele está assim, por que continua indo ao meu encontro?
- Eu o conheço, Hema?
- Sim... talvez... não sei dizer!
Ele não trabalha aqui, mas o conheci aqui, pois, é filho de Sr John Phoenix.
Ele é um homem independente de seu pai, tem a sua profissão, é um advogado de carreira promissora, tem seu próprio apartamento na 54°Avenida Edifício 17. Seu nome é Erick Phoenix.
... Ao pensar, este nome não era estranho para mim! 
Não conhecia o filho de John. E jamais poderia imaginar que Erick fosse filho de John!
Ouvindo aquele endereço, pude perceber que era o mesmo edifício ao qual eu vivia, e Erick, já o conhecia!
A olhei calmamente como se não soubesse quem era Erick e falei:
- Hema, posso sim te ajudar... com mais tempo, analisaremos esta situação e se você aceitar podemos almoçar juntos, tudo bem?
- Sim e agradeço desde já! 
- Então, volte ao trabalho e não esteja a pensar nas coisas que te perturbam, para não afetar seu trabalho. 
- Sim, Senhor Carl. Me desculpe... Peter! 
- Hema... me desculpe, mas como chamam seus pais?
- Meus pais? Por quê? 
- Apenas curiosidade em saber seus nomes, nada mais!
- Se chamam Richard e Sophia Kuhn. Mais alguma coisa que deseja? 
- Não, obrigado, Hema.
E sorriu saindo, deixando a porta um pouco aberta e assim eu sentia pela primeira vez o seu perfume vindo até a mim e respirei forte... era muito bom, um aroma que te transportava para mil desejos e imaginação.

Erick era meu vizinho, filho de um grande amigo de minha família, John Phoenix.
Mas eu não sabia! Eu nunca soube o sobrenome de Erick.
John era um colega de escola de meu pai e quando se formou, assumiu o cargo de editor chefe da Editora de seu pai e anos depois me contratou. 
John se casou muito cedo, mas sua família eu não conhecia profundamente.
Sei que ele ainda está casado mas não vive bem seu casamento. 
Sabia que sua mulher Stella tinha um amante chamado Richard Kuhn, motorista particular de sua casa. John havia mencionado este fato à mim. Depois que o contratou, exigiu que dormisse com sua mulher, assim, teria liberdade para viver como desejava. E agora, por minha surpresa este motorista é o pai de Hema!
Foi depois de unir estes personagens, que pude contar esta história de um circulo amoroso e vicioso  que no final, eu mesmo entrei ao me apaixonar por Hema.
Não sei porquê, a cada dia que ela relatava seus sentimentos, fui me envolvendo, desejando poder livrá-la de um sentimento insano, sujo, que não parecia fazer parte de uma pessoa tão pura e sentimental.


Hema amava Erick, isto era certo! E Erick?
Erick todas as manhãs caminhava comigo, levando nossos cães ao parque. E por sermos vizinhos e amigos sempre tínhamos o mesmo horário para conversarmos de tudo, falar da vida!
Um dia, em uma de nossas caminhadas ele falou, aliás, mais parecia um pedido de ajuda e... perdendo o controle me confidenciou algo pedindo conselhos...
- Peter, eu nunca te falei mas tenho uma namorada. 
Namoro esta bela jovem à dois anos e agora, não sinto mais a mesma coisa por ela como sentia ao inicio. Perdi o controle da situação quando me apaixonei por sua mãe. Nos apaixonamos. Durmo com ela, fazemos loucuras para nos encontrarmos... mas estou sem coragem de dizer a verdade a minha namorada, não sei como ela poderá reagir.
Me recordo que não sabendo quem era esta namorada, o aconselhei de ser sincero e falei:
- Erick, não manipular as pessoas, não jogar com vidas porque cada vida tem sentimentos e você além de ferir, perde tempo para poder crescer e escolher a coisa justa para você. Outra coisa, Erick, aprenda desde já, nunca fique por cima de um muro... ou você afaste dele, ou ultrapasse e viva o que escolheu, o que foi melhor para você.
Se você quer desenvolver, crescer, então faça assim, não pense em meios termos, só vai adiar o que você já sabe!
Ele me olhou extasiado e disse:
- Nossa... minha nossa! Você... o que posso dizer? Você me ensinou uma coisa que jamais havia refletido dessa maneira! E' maravilhoso esse seu modo de pensar, sinceramente, eu estou pasmo! Eu nunca quis magoar minha namorada, ela não merece o que fiz!
- Mas, magoou... agora não tem mais volta, não tem como adiar, fale! Isto seria o certo a fazer, para se sentir ainda um pouco digno!
Erick, a mãe de sua namorada é divorciada?
- Não... não é! Quando conheci minha namorada seu pai estava a procura de trabalho e eu o ajudei oferecendo um cargo de motorista particular de minha família. Seu pai se tornou motorista de minha família e um dia, descobri que ele dormia com minha mãe.
- E você não fez nada?
- Não... era a vida de minha mãe, e sei que ela sofre no meio em que vive. Meu pai a despreza! Eu odeio meu pai por isto, por ter tirado de minha mãe toda a alegria que nela existia. E também eu não poderia fazer nada porque carregava uma culpa!
- Isto é verdade. Mas, então, antes de saber que ele dormia com sua mãe você já estava com a mulher dele?
- Sim, me envolvi com a mãe de minha namorada logo depois de estar apenas meses junto a ela.
- Meses? E você deixou passar dois anos para resolver o que fazer? Isto só tem um nome... se chama injustiça, me desculpe dizer, mas você privou uma pessoa de ser feliz!
- Eu sei, agora vejo o quanto errei com minhas escolhas, e tenho de fazer algo.
- Isto sim seria o justo.
Neste momento continuamos a caminhar...


Depois de me recordar destas palavras e ligar os fatos, fiquei imaginando em que confusão eu estava entrando. 
Pensei veloz:
"Hema Kuhn ama Erick Phoenix que é filho de John Phoenix
Erick Phoenix ama Sophia Kuln que é mãe de Hema kuln.
Sophia Kuhn ama Erick Phoenix.
O Marido de Sophia Kuln, Richard Kuhn é amante de Stella Phoenix, mãe de Erick Phoenix.
John Phoenix pai de Erick Phoenix, casado com Stella Phoenix deseja Hema Kuhn a todo custo. John Phoenix é um homem que não desiste do que quer.
John era um amigo e agora, mais do nunca, se tornou meu inimigo!
Círculo vicioso, círculo falso, insano! Todos escolheram uma vida e as destruíram.
Estão todos casados e Erick que não é casado, usa falsidade para estar perto de uma mulher, que não tem coragem de jogar fora a sua vida de casada.
 Havia passado meses depois que conversamos e a situação que ele criou não tinha mudado.


Neste circulo vicioso em que entrei, tem Hema, desejada por um homem que é frustrado, sem direção, dependente financeiramente de seus pais, que eram ricos, muito ricos!
John é um pervertido, poderoso, usa drogas sem fim e cada noite dorme com um estranho ou mulheres promíscuas. 
E é assim, que John usa suas riquezas. Ignora a sua mulher... ela não existe para ele.
Um dia, em uma de nossas reuniões de trabalho ele veio a mim desesperado, dizendo de sentir vontade posseder a namorada de seu filho. Quando me confidenciou isto, não poderia imaginar que esta namorada fosse Hema. 
John desejava Hema, aquele porco homem desejava tocá-la e agora que sei não poderia permitir. Estando todos os dias em sua presença sei muito mais sobre seus desejos insanos. Tudo isto, eu sei através de suas confissões constantes ao trabalho que eu era obrigado a escutar. 
E para aliviar minha cabeça eu escrevia, assim, esquecia que vivia dentro de um ambiente tão indesejado por mim! 


Hema é de uma beleza fulminante, radiante! 
Tão clara, tão singela! Cabelos ruivos, rosto com sardas, olhos cor de mel, corpo desejável, sorriso extremamente cativante e um olhar fatal mas sofrido!
Eu comecei a perceber que desejava toda aquela beleza ao meu lado a cada dia que se aproximava de mim para confidenciar seus segredos e desejos.
Eu não poderia relatar coisas que sabia. Não era justo... ou era?
Não.. ela não acreditaria! Eu teria que agir de um outro modo e fazer com que seus olhos mudassem de direção.  
Deveria fazer com que seus olhos me enxergasse não como um amigo, um conselheiro e sim como um homem carente de amor. Um homem que deseja novamente amar!
Mudei todo o modo de ser e agir quando a conheci mais profundamente.
Com o passar do tempo, a Erick eu sempre aconselhava de amar quem ele desejava. Aconselhava de aceitar seus erros e aceitar verdades que não teria como voltar atrás. Amar a mãe de Hema e assumir. Assim Erick deixaria Hema livre para mim!
Eu estava dentro desta trama e somente eu sabia as verdades, podendo fazer tudo que quisesse. Mudar a historia, o rumo da historia...
Mas, eu não importava em mudar nada! Eu desejava somente Hema, desejava afastá-la desse irreal e viver momentos verdadeiro e felizes com ela.
Mas, tinha um grande problema, a Editora. Pois o dono da Editora, a desejava em seu leito. John era um homem cruel. 
Eu me afastei dele depois que me revelou isto, conseguindo tratar minha vida profissional sem tanta aproximação. Muitas vezes, depois de reuniões ele me convidava para comemorarmos e falarmos um pouco mas sempre encontrava desculpas para evitar.
John tem um poder enorme e, eu dependia deste cargo pois era ali que meus livros eram publicados e minhas revista divulgadas. Recomeçar seria difícil, mas estaria disposto a tudo para fugir deste ambiente pérfido, onde era o paraíso deste pervertido, que muitas vezes se drogava antes de importantes reuniões, deixando toda a equipe desgovernada.
Hema não sabia que John era assim e o considerava muito, pois era o pai de Erick. Mas, Erick o odiava escondendo sempre de Hema toda a verdade sobre seu pai.


-- O que vai querer Hema? Aqui servem pratos saborosos e preparados com temperos dos Reis!
Falei sorrindo para ela.
-- Para dizer a verdade não tenho fome, não costumo almoçar em restaurantes. Eu não me sinto tão bem em ambientes refinados como este, me desculpe.
-- Então porque não mudarmos de ambiente? Compramos um belo sanduiche e comemos ao caminhar pelo parque próximo a empresa, que pense?
-- Eu adoraria, agora sim que minha fome apareceu!
E foi assim que pude estar mais próximo dela pela primeira vez. Tudo estava andando bem, quando iniciou a falar de Erick, afinal estava junto a mim por este motivo.
Então falei:
-- Já que o mencionou, conte-me como foi que o conheceu?
-- Foi de um modo surpreendente conhecer Erick. Conheci quando estávamos caminhando pelos corredores da empresa, onde ele derrubou todos os manuscritos que havia em minhas mãos, e envergonhado começou a pedir desculpas e ao me ajudar a recolher me olhou com carinho me convidando para sair com ele e assim... eu aceitei e desde então passamos a nos conhecer até quando iniciou um namoro.
-- Hema você no escritório me fez uma pergunta e eu para te ajudar poderia te responder de dois modos.
-- E quais seriam?
-- Se Erick esta frio com você mas continua a ir ao seu encontro sendo defensivo, o que pensei foi que neste ambiente tem uma outra coisa que o faz estar ali.
-- Mas o que por exemplo?
-- Isto não tem como te dizer porque não sei o que tem ali.
-- Televisão... ele odeia televisão, não poderia ser! 
E sorriu dizendo:
-- Estava brincando! E qual seria o outro modo?
-- O outro modo seria que você deveria afrontar este problema diante dele, pedindo esclarecimentos, ou mesmo antes que te dissesse qualquer verdade que você não queira escutar, se afastar dele. Porque se existe algo ele aceitara seu afastamento, mas se na existir ele ira te procurar para corrigir qualquer erro que ele tem cometido, por te amar.
Hema às vezes na vida coisas surgem sem que nos a desejássemos e devemos afronta-la. Tudo que surge em nossas vidas servem de lições para que andando estrada a fora tudo se torne mais claro e construtivo.
Eu sei que agindo assim é cruel e você poderá perder algo que tanto ama, mas se não afrontar jamais saberá se realmente esta pessoa te ama, jamais saberá o que ele seria capaz de fazer para não te perder.
Você não teria outra escolha para poder se sentir bem com você mesma, pois existem coisas que nos perturbam, nos atrapalham estar bem no dia a dia, nos fazendo perder interesse por tudo que realmente é grande e importante para nos. Nos perdemos nossa dignidade Hema e olhamos tudo ao nosso redor com a cabeça baixa.
-- Nisto você tem razão, pois eu tenho me sentido assim, mal comigo mesma. Tenho me olhado no espelho e não tenho gostado do que vejo, pensando que ele também não goste.
--Me escute Hema, eu quero muito te ajudar, porque você é muito especial e eu quando te olho te vejo linda e inteligente, é isto que você é. Aquela imagem que você esta vendo por enquanto é só você que vê, mas se não mudar, serão poucos que irão te levantar e te orientar. Pessoas em geral não gostam de estar perto de seres que não trazem conforto e alegria, elas se afastam, mas somos nos que fazemos com que se afaste.
E saiba que eu te admiro muito para te perder!
E foi assim que mostrei meu lado amoroso para ela... falando e olhando em seus olhos profundamente.
Que sensação maravilhosa que estava sentindo. Eu estava admirando aquela singela mulher com outros olhos. Olhos de desejos! 
-- Peter sempre fui curiosa em uma coisa... Qual a sua idade?
-- Tenho 42anos. Porque esta curiosidade?
-- Em seus livros sempre via sua biografia, mas sempre achei que esta idade fosse irreal por te ver mais jovem!
-- Sempre me dizem isto, mas a idade é mesmo esta. Desejaria poder haver menos!
-- Porque? Retornar me parece perda de experiências e aprendizado. Você com a idade que tem aprendeu tanto! Eu posso dizer que te admiro demais por haver grande percepção das coisas que esta em seu redor. Não consigo ver o porque de retornar. 
-- Você tem sim razão, mas tem vezes que sentiria vontade de ser olhado não só por haver experiência e sim por ser um homem que se sente muitas vezes só e carente de um amor. 
-- Não é possível que estou escutando isto de você, pois você tem tudo para fazer uma mulher se apaixonar por você!
-- Não a mulher que desejo! Ela esta com olhos direccionado a um outro alguém.
-- Então existe uma mulher? Quem é? Eu a conheço?
-- Hema esta ficando tarde, que tal voltarmos? 
-- Sim é verdade, vamos então, mas agora estou muito curiosa!
E sorriu...
-- Esquece, não existe ninguém!
e assim me calei, retornando ao trabalho. 


Passados dias depois daquele encontro, tudo andava normalmente, quando um certo dia não via Hema chegar ao trabalho.
Me dirigi a uma colega sua de trabalho e questionei a sua ausência quando ela me responde: 
-- Hema chegou, desde cedo esta em uma reunião com Sr John Phoenix.
-- Reunião? Que estranho, não ouvi nada sobre isto!
Me afastei dali, mas confesso estava muito preocupado! 
Achei muito estranho tudo isto. O que aquele homem poderia estar elaborando? Seria alguma coisa ruim e programada só isto. Eu sei muito bem onde ele queria chegar.
Com todos os meus pensamentos Hema retorna à sua sala e se aproximando de minha porta pede para entrar:
-- Posso entrar Peter?
-- Hema, entre!
-- Estou muito magoada, muito triste com tudo que me aconteceu ontem, queria sumir!
-- O que houve?
-- Ontem quando voltei para casa depois do trabalho, estava decidida em conversar com Erick como me aconselhou, pensei que seria a coisa justa a fazer.
-- E o que falou, o que aconteceu?
-- Nada, Eu não falei nada! Não foi preciso.
-- O que houve Hema? Como assim não foi preciso?
-- Peter, Erick estava em minha casa... Estava com minha mãe! Estava ali os dois se beijando e se tocando. Eu estou muito mal, não sei mais o que fazer!
Alias, sei sim o que fazer. Naquela casa eu não volto mais.
-- Hema o que você estava fazendo na sala de John?
-- Estou falando uma coisa importante para você sobre mim e você quer saber o que fazia ali?
-- Hema tudo isto eu já sabia! Preciso saber o que John queria com você?
-- Já sabia? Como assim já sabia?
Sem pensar e enraivecido com John falei o que não deveria dizer. Eu sou assim quando fico nervoso, perco a razão.
-- Hema por favor, uma coisa de cada vez... Eu sabia de Erick com sua mãe, não podia te dizer porque era um problema em que ele e você deveriam afrontar, era ele que deveria te dizer, não poderia falar!
-- Como não? Éramos amigos, te pedi ajuda!
-- Você não acreditaria, como não ira acreditar se eu te disser uma outra coisa agora que sei!
-- Outra coisa?
-- E' sobre John Hema! Ele te deseja a todo custo! Ele te quer em seu leito.
-- Que coisa esta dizendo? Que absurdo, eu não acredito em você! Você diz isto só porque soube que vou trabalhar para ele. E fique sabendo que depois que ele soube de tudo que aconteceu quis me ajudar, sabia? Ele me deu a chave de um apartamento onde poderei estar tranquilamente!
-- O que disse? Vai trabalhar para ele? Chave de apartamento? Mas que loucura é esta Hema? Você não tem ideia do problema que esta indo de frente! Onde esta esta chave? Dai-me!
-- Ele só quer me ajudar! Você é um ser desprezível, malicioso e falso, não te darei nenhuma chave, esteja longe de mim!
Neste instante a peguei pelo braço e com um impulso puxei para junto de meu corpo e a beijei ardentemente e com um olhar profundo disse:
-- Você não ira para nenhum apartamento, eu não vou deixar!
-- Solta-me, mas o que esta fazendo?
E naquele instante tentou me bater avançando sua mão em meu rosto, mas a segurei e a olhei enraivecido por não me entender e gritou:
-- Eu te odeio!
-- E eu te amo!
Não resisti e a beijei novamente deixando-a pensativa dentro de minha sala.
Disse:
-- Não saia desta sala! Tenho que falar com John! 
Entrei em sua sala sem ao menos avisar e com tamanho nervoso olhei agressivamente... E com minha voz estava alterada e tremula disse:
-- Ou você desfaz o que planejou ou eu te denuncio por tudo que sei sobre o que anda fazendo neste período em que esta crescendo nesta editora.
-- O que esta dizendo Peter? Porque toda esta agressividade?
-- Você não muda! Sempre com este ar de poder que te faz pensar que pode passar por cima de todos! Como ousa fazer com que Hema venha trabalhar para você! Hema é minha secretaria, você não deveria invadir a minha privacidade como se o mundo fosse manipulado por você John! Mas afinal, quem você pensa que é?
Você não passa de um viciado dependente de tudo, porque se não existisse otimos escritores nesta sua empresa ela já teria falido.
O seu poder te levou para um fracasso John quando as drogas te dominou,  passando a usar a empresa como escudo para o seu trafico maldito! 
Eu neste momento não vou mais me calar, dentro desta organização eu não estarei mais fazendo o meu silencio. E a partir de hoje, me demito. 
Mas saiba que te destruo se não deixar Hema em paz! Te destruo John, e nem queira pensar em me eliminar porque minhas provas não estão somente aqui em minha mente, caso aconteça qualquer coisa  comigo este segredo será revelado de qualquer maneira. Nem a morte poderá me silenciar!
E dali sai sem nem ouvir suas palavras. Seriam palavras falsas apenas para adiar e acalmar toda aquela minha ira,mas desta vez não me serviria acalmar.
Quando voltei para minha sala Hema já não estava mais. Ela não acreditou em mim, não deu valor para tudo que revelei. Hema não sentiu nada quando a beijei, senão não teria saído, teria me escutado.


Eu sempre evitei sentir o que vinha sentindo, mas descobri que eram sentimentos que não se pode evitar. São sentimentos verdadeiros com desejos incontroláveis, que eu não conseguia mais esconder a mim mesmo.
Hema não entendeu o quanto a amava e assim preferi recomeçar.
Passados dias trancado em minha casa tomei uma decisão, e com minha pequena fortuna recomeçaria minha vida a Londres.
Seria o lugar certo para meu recomeço, Longe de todos que um dia convivi, e distante de Hema conseguiria acalmar meu sofrido coração!
Passei a semana me organizando para a mudança. Coloquei a venda meus quadros valiosos pois não valia a pena transporta-los e a venda imediata serviria para a compra de uma editora que seria minha. Uma Editora toda minha, teria o meu nome! Editora Carl books.
Ali vivia minha irmã que se formou em Oxford e se estabilizou em Londres depois que se casou, montando o seu Atelier expondo quadros importantes juntamente com suas obras. Tinha uma vida serena, era casada com um grande bacharel e havia seus pequenos filhos Thimothy e Arthur, meus lindos sobrinhos.
Ainda fazia caminhadas juntamente com Erick antes de partir e ali revelei todo o meu sentimento, deveria dizer pois afinal era a sua namorada e não queria que me odiasse mesmo sabendo que entre eles não existia mais nada, pois Erick era o único que eu tinha grande afecto, o considerava como um amigo que sempre pude confiar e tinha pena de saber que havia um pai tão sem valor!
Quando falei de meus sentimentos, contei tudo sobre seu pai, o que ele pretendia na verdade com Hema, e pedi que impedisse, que fizesse algo para amparar Hema que neste momento estava transtornada e procurando amparo onde não devia!
Erick ficou assustado com tudo e mais que nunca iria corrigir seu erro, conversando com Hema de sua indiferença.
Mas na semana que me organizava para partir não pude fazer caminhadas, e neste período encontrei alguem para cuidar de Charles até o dia em que o embarquei para Londres juntamente com todas as minhas bagagens para minha nova casa onde meu auxiliar começaria a organiza-la até a minha chegada.
Erick não sabia que iria para Londres e quando soube veio até a mim se despedir. 
- Peter eu sentirei realmente muito a sua falta! Você me ensinou tanto em nossas caminhadas. Sempre gostava das manhas que saiamos, e realmente eu aprendi a ser leal e a fazer minhas escolhas. E sei que não encontrarei alguém para conversar como sempre fazíamos.
- Eu também sentirei sua falta, mas desejaria te rever e quando for a Londres me procure, ficaria feliz em te ver! Te deixo meu endereço e assim não nos perderemos de vista.
- E saiba que farei questão em fazer esta viagem! 
- Erick você conseguiu falar com Hema? Ela não fala comigo desde a ultima vez, sinto uma enorme falta dela. Eu tentei mas uma amiga disse que ela não queria falar comigo.
- Sei que esta vivendo com uma amiga, e que não trabalha mais na empresa de meu pai. Sua amiga me contou que meu pai tentou seduzi-la mas ela conseguiu se defender e nunca mais voltou ao trabalho. 
- Aquele bastardo! Então mesmo o ameaçando como fiz ele não a deixou em paz! Ela deve estar muito mal, me ajude Erick, só você poderia me ajudar.
- Conte comigo, ela não aceita falar comigo mas forçarei um encontro.
E assim nos despedimos e os dias se passaram mas nada mudou, estava pronto para partir, faltava apenas um dia, e minha tristeza era saber que não poderia mais vê-la, que tudo para mim seria um recomeço. 
Minha editora já estava toda preparada com a ajuda de minha irmã e chegando a Londres já teria tudo em ordem para seleccionar um grupo de jornalistas e escritores competentes capazes de criar junto a mim uma revista que fosse o sucesso do momento. 
Neste período de preparação para viagem criei o nome de minha primeira revista e alguns artigos produzidos seriam relacionado ao seu nome. Seriam artigos que ajudariam a pessoas encontrarem soluções em dificuldades cotidianas, fazendo que a própria pessoa tivesse a capacidade de resolve-los. Se chamaria The square world? Mundo quadrado?
Quando chegasse selecionaria novos escritores em que acreditando em seus manuscritos, se tornariam grandes escritores como um dia consegui ser dentro de uma metrópole como New York onde na verdade somos pequenas formigas!


Chegou o dia de meu embarque e a três dias já estava em um quarto de hotel por ter conseguido vender meu loft com tudo dentro. Foi um otimo afari! Vendi em um valor muito acima do que imaginava. A agência de imóveis fez um ótimo trabalho!
Minha bagagem era pequena, não havia mais tanta coisa para levar. 
Sentia saudades de meu cão, meus livros e para dizer a verdade sentia falta também de meu loft, mas o apartamento que iria encontrar era perfeito, todo renovado e decorado da maneira que desejava.
Sentia falta de Hema, sentia muita falta de Hema, às vezes nem sabia como poderia viver sem poder toca-la, sem poder ao menos vê-la por alguns instantes.
Pensei em procura-la e tentar falar que estava partindo, mas seria inútil ela não queria mais me ver! Eu estava completamente triste por tudo. Esta cidade em que cresci deveria deixa-la, isto me magoa porque eu sou uma pessoa que se afeiçoa por tudo que admiro!
Agora Chamo um táxi e vou, não tem mais tempo para desistir. E assim fiz... Chegando ao aeroporto me preparei para o embarque e somente depois de algumas horas que partiria, assim comecei a caminhar pelo aeroporto quando...

Em um outro lugar pela manha Erick tentava falar com Hema. Ficou horas a esperar que ela saísse para o seu novo trabalho. Hema estava trabalhando em um restaurante, foi o trabalho que conseguiu sem poder escolher tanto. Quando saiu Erick a olhou e viu um rosto triste, solitário que o fez sentir culpado por ter agido de uma forma cruel com ela. No mesmo instante a abordou e disse:
- Hema! 
Ela se virou para olhar e se assustou dizendo:
- O que quer de mim? Não quero falar com você, saia daqui!
- Hema por favor eu preciso falar com você, eu preciso me desculpar por tudo e  você deve me ouvir Hema! Ele esta indo embora!
- O que? O que disse? Ele quem?
- Peter. Ele esta partindo para Londres hoje Hema, esta indo para longe e te ama! Aquele homem te ama mais que tudo, só você que não consegue ver!
- Ele me traiu, mentiu para mim, escondeu coisas de mim, não é verdadeiro!
- Ele te protegeu, ele na verdade só queria te proteger por te amar e você tem de fazer alguma coisa porque esta tarde talvez você não poderá mais vê-lo se não for ao seu encontro agora! 
Me desculpe Hema por tudo que te fiz passar, eu te peço desculpas por ter perdido a razão em amar quem não poderia mas aconteceu, eu perdi o controle!
- Erick cale esta boca e me diz onde posso encontra-lo! Onde ele esta?
- Em um hotel, mas daqui a pouco estará no aeroporto. Acho que é melhor irmos direto para la!
- Irmos? Você pretende ir comigo, mas você perdeu mesmo a razão!
- Eu não perderia esta cena por nada deste mundo! E também teria que te ajudar a encontra-lo e comprar sua passagem!
- Minha passagem? Mas eu nem tenho uma bagagem, e meu passaporte?
- Pegue apenas algumas coisas e o passaporte, não podemos perder tempo, anda, vamos!
Correndo ao apartamento ela pega pouca coisa e em uma velocidade máxima conseguimos chegar ao aeroporto. 
O rosto de Hema mudou, havia brilho, muita luz e seu sorriso estava descontrolado! 
Neste momento eu pude ver que ela o amava mais que tudo! Eu consegui fazer com que ela revivesse. 
E depois de conseguirmos uma passagem no mesmo voo pois eu sabia qual seria, começamos a caminhar pelo aeroporto a procura de Peter, tentei chama-lo pelo celular mas estava desligado. 
Isto me deixou furioso, como Peter foi desatento, sabendo que eu estaria por ajuda-lo!
O aeroporto estava cheio de pessoas, não conseguia acha-lo, mas quando olhei para Hema  para dizer em mudarmos de direçao ela o beijava!
Os dois se beijavam...


E assim comecei a caminhar pelo aeroporto quando... Na minha frente uma linda ruiva procurava algo desesperadamente... Procurava Peter, me procurava e quando me viu seus olhos sorriram e eu corri ao seu encontro e a apertei com toda a minha força olhando profundamente em seus olhos dizendo  com uma voz tremula:
- Eu te amo! Eu te amo mais que meu respiro! 
- Peter, sofri sem você! sofria a cada dia quando não pude mais te ver! Eu te amo!


Inglaterra... Estamos felizes aqui, e crescendo a cada dia profissionalmente e nosso amor é sereno do jeito que sempre desejei! 
Quando olho para Hema a vejo perfeita como rosas em um buque! Eu a amo!


Autora: Aymée Campos Lucas

Este Livro de Bolso eu escrevi em quatro dias! Eu gostei do que fiz e me sinto orgulhosa em conseguir escrever um livro com poucos dias. Espero que alguém o leia!

15 comentários:

  1. Eu li! rsrsrs
    Gostei do final, mas o desenrolar dos acontecimentos foi genial! Isso aqui podia virar uma novela!
    Parabéns Aymée!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Giordano!
    Nossa alguem leu!!! E foi Giordano... E tambem duas amigas que sempre falo no orkut... Recebi elogios, e estou muito contente.
    Giordano, eu estava doida para add mas poderia ter feito muito mais nesta historia...
    Poderia movimentar o vilao criando mais desordem, mas como era para add em um blog pensei que nao deveria fazer tantos capitulos.
    Deveria ter escrito a cena em que tentava seduzir Hema e mostrar sua defesa chutando onde nao devia, kkkkk
    Se voce conseguiu ler até o fim significa que é uma leitura ligeira e que prende o leitor, foi assim que voce se sentiu lendo? Estou curiosa em saber, deveria fazer o motorista pegar a mulher querendo dar uma surra em Erick, mas Erick teria uma arma contra ele, fazendo ele ficar sem saida, realmente poderia virar novela. E a tal amiga de Hema poderia atrapalhar a vida de Hema se eu fizesse ela querer Peter, kkkkk ai sim o bicho ia pegar!Guerra de mulheres, guerra de cabelo! kkkkk
    Essa amiga poderia se aliar ao vilao, John e no final cadeia para os dois ou fugir do Pais, rsrsrs Nossa isto daria mesmo uma novela!

    ResponderExcluir
  3. rsrsrsrs
    Uma novela ou um livro. Não um pequeno, mas daqueles bem grandões, rsrsrs.
    Você devia investir mais nisso...

    Quando começou, achei que seria mais simples, mas de repente acontece muita coisa, e tudo vira de cabeça pra baixo.
    Li até o fim porque queria saber como tudo ia terminar.

    Parabéns, é uma bela estória de amor.

    Se eu a tivesse escrito, provavelmente não teria um final feliz. Tenho tendência a finais tristes. Mas vou deixar esses finais para outra hora...

    ResponderExcluir
  4. Uma história que começa bem singela e depois se torna uma profusão de confusões e jogos de amor.

    Achei o máximo!

    Ainda bem que ele conseguiu cortar o circulo vicioso e junto a Hema viver feliz para sempre.

    um dos motivos pelos quais eu gostei do texto, é que são personagens muito humanos, que nós encontramos no colégio, na padaria, na rua, na vizinhança. Enfim.

    Mais uma vez parabéns por escrever tão bem assim.

    ResponderExcluir
  5. Aymée, que legal te ver de volta!
    Mas, que enorme post, vou levar um tempo pra ler e depois comento!
    Desta vez, ao invés de publicar em capítulos, veio logo o livro todo!
    Lembra o que você me falou sobre posts muito longos?
    Mas, não tem nada, a expectativa é sempre boa...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Por algum motivo que eu desconheço, o teu blog não estava mostrando atualizações na minha página...
    Hoje apareceu como nova postagem (seis horas atrás), mas vejo que a data já é bem antiga...E tem outras anteriores que também ainda não havia lido...
    Alguma zebra nesse blogger!
    Mas, aos poucos, vou me atualizar!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. FELIZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
    MUITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    FELIZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
    PORTE TER DE VOLTA .O LEO TEM RAZÃO NO QUE DEIXOU ESCRITO,VOU TBM LEVAR UM TEMPO PARA LER,MAS VOU CONSEGUIR ,RSRSRSRSRRS
    TE ADOROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    BJSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  8. Hoje passo para te desejar Feliz Natal e um 2013 em GRANDE.
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  9. Este poema-comentário
    É coletivo, ao contrário
    De outros, individuais;
    Feito com tesoura e cola
    Como um trabalho de escola
    Para afixar em murais.

    Tantos amigos eu tenho
    E a todos eles venho
    Desejar bom Ano Novo
    Repetindo com preguiça
    Esta mensagem postiça:
    Bom recomeço, meu povo!

    ResponderExcluir
  10. Ler-te é um doce fascinio!...

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  11. De novo...
    você aparece,
    InVerSos passados,
    com data antiga,
    no topo da lista
    dos meus prediletos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Barcellos, e me desculpe por não poder ser mais participativa como desejo. Aqui, tudo mudou demais e com todas mudanças que tenho vivido, fiquei sem internet.
      Eu gosto muito de você e de seus escritos e fico triste por nao poder estar em ação aqui para ler!
      Beijos

      Excluir
  12. Foi bom teu blog reaparecer como atualizado na mminha lista, apesar da data antiga!
    Finalmente li todinho este lindo conto que é a tua cara, cheio de tramas intrincadas, encontros e desencontros, como costumas criar!
    Em quatro dias, foi mesmo muita inspiração!
    Gostei muito!
    Parabéns, Aymée!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leonel,
      Como vai você?
      Olha eu estou sem internet, faz 4 meses que não posso usar e aqui no blog fazia mais de 1 ano que não conseguia nem entrar... quando consegui entrar eu resolvi republicar este conto, para fazer com que o meu blog tornasse a ficar ativo, mas depois disto, não conseguia ver mais nada. Hoje, consegui e fiquei feliz em poder ver alguns recados, principalmente o seu.
      Esta estoria foi a minha primeira aventura em escritas maiores e naquela época, colocava as virgulas tudo errado. Agora, melhorei somente um pouquinho, rsrsrs

      Excluir
  13. Alô, Aimée!
    Teu blog reapareceu na minha página...
    Deve ter sido que você conseguiu acesso novamente...
    Saudade dos teus escritos!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...