Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



segunda-feira, 2 de maio de 2011

Aventura de Louco...Todo Mundo Quer um Pouco!... XVIII

Onde Nasce uma Paixão!

E assim seguimos a estrada, rumo a casa de Cornélia. Que sensação deliciosa que era estar em cima de um cavalo. Naquele momento, a única coisa que desejei foi aprender a montar, e estar por todo aquele campo, a galopar sozinha. O vento batia em meu rosto e o cheiro de mato tomava conta de meu respiro. Era uma sensação que jamais poderia imaginar que aconteceria comigo.
Nem liguei para Juliano, nem estava me importando de ser ele a guiar aquele cavalo, eu só queria voar e aquele cavalo voava mais que podia!
 Capìtulo 18- Primeira parte

E assim, a estória continua...
Gostos diferentes... Funciona?
Eu gosto de seu sorriso, do seu abraço, do seu olhar...
Amor, você gosta de me amar?
Me ensina a gostar de gato... Que eu te ensino a gostar de cão...
Me ensina a gostar de doce... Que te faço apreciar o sal...
Me ensina a gostar da cidade... Que eu te faço gostar dos campos...
Eu gosto do seu carinho... Dos gestos feitos de coração e tanto da sua proteção!
Eu gosto de você... Eu gosto de te ter...
Se somos diferentes, a gente vai ter de resolver!
Poema de Olívia

Depois de sentir todo aquele vento em minha pele ao galopar, comecei a pensar em Júnior e pensando, criei um singelo poema em minha mente...
"Depois quero anotar este poema para poder relembrar. Muitas vezes, eu não me entendo! Talvez, estava me sentindo culpada. Ele tentou me avisar, mas eu ignorei o perigo de me afastar dele."
Estava pensando quando Juliano começa a falar...
- Olívia, se você quiser eu te ensino a montar, não é difícil. A primeira coisa a fazer, seria te preparar a não sentir medo do cavalo, a confiar nele, porque quando isto acontece, você o domina, ele vai deixar você o dominar e você vai se sentir completamente segura com ele. 
Um cavalo quando conhece bem a pessoa que o domina, ele também passa a confiar do mesmo modo que você confiou nele. Seria como se você passasse a se sentir serena ao seu lado, serem cúmplices.
- Do jeito que você fala, parece até um relacionamento entre duas pessoas que se amam!
- E' igual, Olívia! Será porque a sua irmã consegue dominá-lo e você não?
 - Você está dizendo em um relacionamento ou cavalo?
Ele sorriu com a minha pergunta e respondeu:
- Não sei, ainda, como você é em um relacionamento... Estava dizendo com cavalos.
"Porque ele disse:  a i n d a?  O que passa na cabeça deste homem, meu Deus?"
Eu, de contínuo, analisava cada uma de suas palavras... Interrompi meus pensamentos, quando falei:
- Mas se você disse de ser igual, é como se dissesse que não tenho domínio em um relacionamento.
- Não, Olívia, não foi isto que quis dizer... eu disse de ser igual, mas você pode ter dificuldades com animais e com pessoas você ser altamente capaz. Tem pessoas que tem medo de nadar, por exemplo, mas tem total coragem de saltar de um paraquedas, entende? Estou dizendo que, em qualquer uma destas coisas, terão de ter domínio e confiança em si mesma.
- Minha irmã não tem medo de nada, ao menos aparenta não ter. Eu sinto medo de coisas que nunca experimentei. Eu sinto e, ao mesmo tempo, demonstro de sentir. 
Nós duas somos totalmente diferentes. Muitas vezes, pessoas se aproximam de mim com mais facilidade, porque sentem necessidade de me proteger, só porque eu demonstro ser sensível, minha irmã não, ela parece que nunca precisa de ajuda!
Neste momento, Letícia aproxima de nós com seu cavalo e diz:
- Juliano, quantos anos você tem?
- Eu tenho vinte e nove anos... Por que a curiosidade?
Perguntou curioso ao responder.
- Porque gosto do seu modo de agir, de interagir com as pessoas. Você tem uma facilidade enorme de se expressar, e isto, para mim, muitas vezes se adquiri com o passar do tempo. Se nota que você é um homem maduro e decidido, parece que sabe o que deseja e não tem medo do que poderá vir ao seu encontro.
Letícia responde mostrando admiração
- Você tem razão. Eu sou assim mesmo, já errei muito, mas agora procuro evitar erros. Mas quando se trata de sentimentos no campo amoroso, eu ainda sou um pouco insensato e faço coisas sem pensar, como se agisse com impulsos incontroláveis. 
Concordou Juliano dando mais referencias de sua pessoa.
- O que por exemplo? 
- Eu procuro deixar sinais óbvios, mesmo sabendo que a pessoa possa já estar com alguém, por exemplo.
Responde sorrindo, enquanto eu, próxima daquela conversa, só estava atenta ao que diziam...


 Letícia continua falando de um modo convicto.
- Como por exemplo minha irmã?
- Letícia! Mas o que você está dizendo?
Me assustei quando me usaram de exemplo.
- Olívia, eu não sou cega e sei que entre vocês está nascendo algo. Juliano não estaria conosco, assim continuamente, se não tivesse tido interesse por você. Afinal, somos dois casais já formados ali no sítio e que motivo Juliano teria de ficar ali, em torno da gente, sabendo disto? 
Geralmente quando situações assim existem, pessoas não gostam de interferir. Mas, como Juliano é impulsivo como explicou, o faz ter coragem de demonstrar o porquê de estar ali...
Fala Letícia confirmando o que pensa de existir.
- Sua irmã é linda e realmente me chamou muita atenção. Mas eu estava ali, Letícia, só porque Lucas me convidou. Eu sou sim, impulsivo, mas jamais iria a um lugar se não fosse convidado e não vejo nada de errado um amigo estar no meio de casais. Afinal, vocês não estariam em orgia, era apenas um encontro casual entre amigos. 
Quanto a sua irmã, se eu pudesse conhecê-la melhor, eu desejaria sim. Desejaria muito, mas acho que cheguei muito tarde.
"Por que ele tem coragem de dizer tudo isto? Por que ele está anunciando para todos o interesse em mim? Eu sinto vergonha quando ele fala assim. Deveria ser uma coisa íntima, sigilosa, mas ele insiste em anunciar."
Quando estávamos quase chegando, podendo avistar a casa de Cornélia, Letícia continua a falar:
- Eu sabia que estava certa! Até um cego pode ver que não estou errada!
Neste momento, me alterei: 
- Por favor, Letícia, eu não quero estar aqui a falar deste assunto. Se existe algum interesse aqui, é só da parte dele, e eu sou pior que um cego, pois, não vi nada disto.
Ele nesta hora gargalhou, por saber o quanto eu estava mentindo.
Me senti aliviada quando naquele mesmo momento, poderíamos descer do cavalo, estando diante da casa de Cornélia.
Era uma casa simples, mas aconchegante. Sua casa havia um toque feminino e  muito pessoal. Ela tinha bom gosto... se podia ver só olhando a entrada da casa com todas aquelas plantas dentro de gaiolas como se quisesse dizer que os pássaros, ali, jamais poderiam ser aprisionados. 


Depois de todos os abraços e sorrisos, ela nos fez entrar querendo mostrar toda a casa. 
Como era linda a casa! Era simples, mas realmente aquele toque feminino a fez diferente.
Cada ângulo da casa se via algo diferente. 
Eu  e Letícia ficamos apaixonadas com tudo que via. 


Ao entrar havia uma pequena saleta que nos levava para os quartos e cozinha... Nesta saleta ela criou uma decoração invejável a meu gosto. 
Em uma parte havia uma parede que em vez de colocar quadros, colocou algo muito diferente. Pareciam peneiras coloridas que vendiam naquela região.
Na outra parede havia em um móvel envelhecido e com muitos retratos colocados dentro de garrafas de vidros.


 Era encantador e tudo muito limpo!
Até Letícia se deslumbrou com o lugar, desejando fazer o mesmo quando a casa retornássemos. 
- Belo! Belo! 
Dizia para Cornélia.
Letícia amava decoração e sempre diz em querer ser uma decoradora e ao ver tudo aquilo a incentivou mais ainda. Ficou muito admirada com Cornélia, pois não a conhecia muito com eu a conhecia. Eu já sabia desse seu amor pela arte e livros.
A casa era toda branca, parecíamos estar na Grécia! Cada ângulo tinha seu toque de mão e ela dizia que havendo as ideias, Antônio as produzia, por ter um grande dom com as mãos em trabalhos artesanais. 
Quando criança seu pai o ensinava, por ter sido um artesão. Agora o pai de Antônio, já não existia mais, mas deixou grandes ensinamentos ao filho.
Não precisava de tanta riqueza para ser feliz e poder criar um cantinho de amor. 
- Agora vou mostrar o meu quarto!


Falou Cornélia toda feliz de nos ver ali. 
Juliano em vez de nos seguir, ficou do lado de fora a conversar com Antônio porque Eduardo ainda dormia... Todos aqueles momentos que estávamos vivendo, eram momentos femininos preferindo não atrapalhar.
E ao abrir o seu quarto, ficamos extasiadas com a simplicidade, criatividade e todo o toque de amor que tinha ali dentro. Tudo muito branco e isto me encantava. 
Havia uma cama muito simples e na cabeceira dela havia um painel com fotos de momentos vividos com Antônio. Era em forma de um coração.


Havia uma pequena cômoda que em vez de usar um espelho, ela criou uma árvore na parede onde as folhagens eram pratos de porcelana.
Letícia desta vez gritou ao brilhar seus olhos:
- Que lindo! Lindo demais, eu tenho que fazer igual a você Cornélia, eu amei tudo! Você é muito criativa. Quero aprender com você como é que se faz.
- Será um prazer poder te ajudar quando desejar. 
Falou Cornélia toda feliz. Seus olhos demonstravam total satisfação de poder ter tido a nossa presença em sua casa.



Depois de apreciarmos este lindo quarto, ela nos levou ao quarto de Eduardo... 
Ele estava dormindo agarrado com seu ursinho predileto. Seu quarto também tinha o seu jeito encantador. 
Flores em bules e xícaras, era lindo demais!
Como poderia existir um lugar tão lindo como aquele perdido em confins. Dizem que os lugares mais escondidos, são os que conseguem fazer nossos olhos se enriquecer, por ter em domínio a natureza!
Não via a hora de poder brincar com aquela criança que ainda parecia um bebe! 
Ele era lindo demais. Eu adoro crianças e por ser filho de Cornélia, teria privilégios.
  
 
Ao chegarmos na cozinha, Cornélia oferece milho, e isto, era tudo que eu não via a hora de comer.
 - Tem milho cozido, eu preparei, Olivia! Você desejou, então fui logo preparando. Vou servir para vocês e enquanto se deliciam com ele, vou mostrar os fundos da casa, tem um enorme quintal!
E assim fizemos, cada uma com uma espiga de milho na mão, comendo feito loucas... parecia que nunca havíamos provado nada igual. Ela abriu a porta da cozinha nos fazendo ver o vasto campo de gramas e Letícia foi dizendo:
- Olha, Olivia, aqui também tem um chuveiro, lá fora!
E olhando, me encantei não só com o chuveiro, o campo, mas também com a riqueza de detalhes que ela criou, como por exemplo, ao olhar um banco de jardim, ter em cima uma chaleira cheia de flores. Era lindo demais de se ver!
Havia uma muro, perto da casa, que isolava a casa de outra parte das terras, e neste muro ela também teve a sua criatividade, usando vasilhas velhas para plantar as suas flores. 
Cornélia amava a terra, amava plantar. Ela gostava de ver que suas mãos seriam capazes de fazer crescer uma planta ao ponto de desabrochar flores, que ao olhar, pareciam contentes de ter germinado ali, onde encontraria amor!
 

Vendo o sorriso de Cornélia e minha irmã cada vez mais extasiada, querendo entrar debaixo daquela água eu comecei a pensar sobre a  felicidade e amor...
"Amor é uma palavra tão extensa. É muito mais que amar um alguém, é amar a vida, os seres de todas as formas, como por exemplo, não deixando morrer uma pequena planta, se sentir amor por ela!
Amor é muito mais que felicidade! Mesmo estando triste, continuamos a amar e lutar para estarmos serenas. 
Felicidade,  para mim, são momentos que passam em nossas vidas que ao recordar, faz os nossos semblantes sempre estarem radiantes! Nem sempre somos felizes, mas sempre podemos amar! 
Ao relembrarmos coisas que vivemos onde existiu amor, a felicidade pode renascer, mesmo se existiu dor, fazendo recordar momentos divinos como este que estou vivendo! São momentos completos, é um tudo: amizade, beleza de natureza, beijos, prazeres, brigas, degustação, sorrisos, sexo, dor, sofrimento, calor, muito calor. É um tudo..."
Antônio e Juliano estavam sentados em um banco do quintal, quando decidiram sair para buscar o carro de Juliano que estava na oficina. Era com este carro que ele iria connosco para a Chapada dos Guimarães. Saíram dizendo que voltariam rápido.
Letícia, neste instante, falou:
- Não demorar... Eu quero ver o rio que você falou, queria me bronzear. 
Juliano responde que não iria demorar.
Cornélia diz:
- Quando Eduardo acordar, eu levo vocês. Eu adoro aquele lugar, mas nunca vou por sempre estar sozinha. Vou adorar ir com vocês. 
- Faz isto Cornélia, depois, eu vou ao encontro de vocês.
Responde juliano e, em seguida, sai se despedindo com um sorriso para mim.


- Mas, onde estão os namorados?
- Foram no armazém para controlar o carro, logo estarão aqui. Lucas vem nos buscar, pois amanhã, bem cedo, iremos na Chapada. Seu irmão também vai.
Responde Letícia enquanto eu comia o milho verde. Ela colocou um panelão deles na nossa frente e eu comia um pensando em comer outro.
Cornélia ficou surpresa e fala:
- Juliano vai com vocês? Não deveria... O que vai fazer no meio de dois casais?
- Lucas o convidou, dizendo que ele conhece aquele lugar como ninguém, e assim, poderá nos orientar. Ele aceitou, mas para dizer a verdade, eu acho que Juliano...
- Letícia, não inventar! Já vai você falar o que não existe.
Falei nervosa. Tudo isto estava me deixando constrangida.
Deixei Cornélia curiosa e desconfiada.
- Falar o quê? Não vai me dizer que Juliano está...
- Sim, ele está louco por Olívia!
- Verdade? Minha Nossa Senhora do Socorro, o que vocês estão me contando? Olívia, minha Bonequinha, não dê confiança para meu irmão, não vai estragar o que você tem conquistado. Júnior é uma pessoa maravilhosa com você, não merece isto e meu irmão é impossível, não leva nada a sério. Ele pode te machucar, por isto. Eu vou ter que falar com ele.
Falou Cornélia bem nervosa.
- Não, Cornélia, não! Por favor, não fale nada com ele, afinal, não existe nada disto, e se todos começarem a falar, ai sim vai ferver esta situação, até chegar nos ouvidos de Júnior e isto, eu não desejo.
Cornélia, eu achei o seu irmão lindo demais quando o vi, lá no hospital. 
Eu vou contar para vocês, mas por favor, quero que guardem segredo disto, ouviu, Letícia? Eu não contei isto para ninguém, mas quando o vi, lá hospital, além de chamar muita a minha atenção... minha nossa, Cornélia, seu irmão é lindo demais e não só lindo, mas também, o jeito dele que parece do jeito que eu gosto. Ele é decidido no que faz... então, lá no hospital, quando saí do quarto onde estava Eduardo, ele pegou na minha mão sem que eu esperasse, mas eu gostei.
- Ai minha Nossa Senhora do Amparo, este meu irmão ainda vai me deixar louca! Só faz coisas sem pensar, onde já se viu agir assim... 
Falou Cornélia ainda mais nervosa.
- E, por que você ficou calada em, minha irmã? Confessa vai... você gostou, por isto, ficou quieta ao ponto de dar esperanças para ele. 
- Não, eu não pretendia isto. Letícia, eu estou com Júnior e estou gostando e quero levar a sério a minha história com ele. Se Lucas não tivesse levado Júnior na rodoviária, talvez, tudo agora, fosse diferente. Poderia ter levado os dois, assim, eu poderia ter escolhido. Seria bem melhor, do que iniciar a ficar com alguém sem ter tido a oportunidade de escolher.
- Você tem ideia do que está falando, Olívia? 
Fala Letícia irritada comigo continuando a falar:
- Isto que você está dizendo, é como se dissesse que está com alguém só por não ter outro. Então, como você pode dizer que isto é amor. Isto não passa de uma aventura e você não consegue entender. Não se pode dizer que está amando alguém, em menos de um mês, isto não existe, Olívia. Ainda mais agora, ouvindo você dizer que não teve escolha.
Ela estava irritada... Cornélia estava ali só observando Letícia falar, parecia estar gostando.
- Nós estamos aqui nesta aventura, nem o meu namoro de quase três anos não sei se vai continuar. Você, Olívia, sabe o quanto uma distância pode atrapalhar... pois, você já viveu isto, e te fez sofrer. O que você tem de fazer, minha irmã é curtir estes momentos que não voltam mais.
- Nisto a sua irmã tem razão, Olívia  Tudo ainda é muito cedo para saber o quanto isto pode ser amor de verdade, daqueles que a gente não deseje que termine nunca. 
Falou Cornélia.


- Olívia, lembra quando chegamos e... ao ver Júnior você não o desejou, e eu te incentivei dizendo de aproveitar os momentos e se caso nascesse algo entre vocês, não deixasse de aproveitar? Me lembro de dizer que era uma coisa passageira, mas que estaria por toda a vida dentro de seu ser.
- Sim, eu me lembro...
- A culpa não foi de Lucas por você tomar a decisão de estar com ele, você desejou. Agora, surgiu Juliano e está confundido a sua cabeça para te mostrar que, tudo isto, é apenas aventura. Mamãe tem toda razão quando disse para você não se prender a nada, pois existe esta distância, é demais.
Na minha opinião, você tem mais é que dá uns beijos em Juliano...
Aconselha Letícia.
- Letícia, mas o quê está dizendo? Eu não quero fazer isto.
Respondi.
- Eu acho que ela não deve fazer. Meu irmão eu conheço. Ele pode tentar sem fim de estar com ela, mas é só fogo de palha, está sempre iniciando algo, mas quando a gente vê já não quer mais.
Falou Cornélia.
- Mas, Cornélia, é isto que estou dizendo, fogo de palha. Olivia deveria fazer o mesmo com eles, e viver um fogo de palha. Tanto, ela vai embora, daqui a alguns dias, e seria um pecado ela não provar o beijo de Juliano. Ele é seu irmão, mas para quem não o vê como um irmão, sente desejos, porque seu irmão é um gato! 
Se eu estivesse no lugar de minha irmã, a cada moita fechada que existisse, eu escapava com ele para beijá-lo. Tanto, ele sabe que será o outro, não vai poder fazer nada.
Falou dando enormes gargalhadas junto a Cornélia que além de rir, dizia:
- Vai ser o outro, mas tentando convencer de ser único, igual muitas mulheres procuram fazer, enquanto, o outro vai ser chifrado!
- Parem, vocês estão ofendendo quem eu gosto muito! Júnior não será um chifrudo, não,  ouviram.
Falei ofendida e enraivecida.
- Se depender de meu irmão, bonequinha, ele vai ser sim. Eu conheço meu irmão e sei do que pode fazer.
Responde Cornélia.
- Letícia, você falou dele ser o outro e não poder fazer nada para atrapalhar o meu namoro, mas sempre escuto dizer que homens não aceitam isto, e vão logo dando um ultimato, ou eu, ou ele. Não fazem como mulheres que vão empurrando e aceitando. 
- Quem foi que te disse isto? José de Alencar, Castro Alves? Porque do jeito que você está falando, só se você andou viajando no túnel do tempo, porque neste nosso tempo moderno, os homens estão  querendo que você tenha uns dez relacionamentos para não encher a paciência deles. Acredita em mim maninha, eu sei o que estou dizendo... eles gostam disto!
Esclarece Letícia o meu ponto de vista. Então, falo.
- Letícia, você fala de um jeito que parece que já experimentou. E namorado, até hoje, você só teve dois, então me explica isto minha irmã... você andou traindo Lucas?
Perguntei muito curiosa quando Cornélia fala:
- Espera! Não responde agora porque tenho de pegar Eduardo, ele está chorando, mas eu não quero perder nem um minuto desta confissão. 
Cornélia estava muito agitada e alegre, éramos a sua alegria e se o assunto era homens, ela adorava. Correu o mais rápido que pôde para pegar seu filho e quando voltou estávamos em silencio comendo milho a esperar por ela. Ao voltar, disse que Eduardo voltou a dormir e foi logo pedindo para continuarmos. Letícia deveria se confessar...

- Claro que eu andei traindo o Lucas! No inicio, sim, pois ele era um mulherengo de primeira. Você se lembra quando Pedro levou um amigo, para passar um fim de semana em nossa casa, quando Lucas teimou comigo, querendo ir em uma excursão, onde não queria me levar?
Falou Letícia.
- Sim, me lembro, foi com ele?
Perguntei.
- Quem é Pedro?
Perguntou Cornélia curiosa, não entendendo bem as coisas.
- Pedro é o ex namorado de Olívia.
Respondeu Letícia continuando....
- Pois então, foi com ele, o amigo de Pedro. 
Lucas inventou esta viagem só com amigos e dizia que eu não poderia ir. Fiquei muito enraivecida e desconfiada, porque ele e os amigos estavam sempre em confidências... Então, quando ele foi, no mesmo tempo, chegou o amigo de Pedro, e ai, não pensei duas vezes.  Estava com muita raiva dele. Eu sabia que ele poderia me trair quando estivesse longe de mim, por isto, fiz o mesmo.
- Mas, que ideia mesquinha, Letícia, não se faz uma coisa errada só porque pensa que alguém possa fazer primeiro com você. Não sei com quem você aprende estas coisas, porque com nossa mãe seria impossível aprender. Mas, ele descobriu?
Perguntei querendo saber se Lucas aceita algo assim.
- Claro que não! Ele terminaria comigo na hora, você conhece Lucas, ele nunca poderia aceitar... Estas coisas a gente nunca fala, Olivia, vai para o túmulo com a gente!
Respondeu Letícia com a maior naturalidade. 
- Não disse! Eu estava certa quando te falei que tem coisas que vão para o túmulo com a gente. Sua irmã pensa como eu. Não digo que deveríamos sempre errar e esconder, mas tem coisas que erramos e falar seria o fim, uma catástrofe!
Falou Cornélia toda satisfeita de ter razão.
- Olívia, eu queria te dizer outra coisa para finalizar este assunto e para te convencer de fazer o que você deseja.
Falou Letícia.
- O que é? Quero que saiba que não desejo nada! Tanto, não vou seguir seus conselhos mesmo. Você não me convence porque eu sei o que eu quero!
- Quero te dizer que Júnior não é este santinho apaixonado não, viu! 
Lucas conta que ele não tem paradeiro. Adora viajar e, cada fim de mês, vai em algum lugar e cada lugar tem uma aventura, ele não se prende com nada, adora a liberdade dele. 
Talvez, com você tudo vai mudar, mas este é o jeito dele e seria muito difícil depois de estar longe de você, não fazer mais as coisas que fazia. 
Olívia, Júnior é uma bela pessoa, mas é muito jovem e seria difícil se prender por este motivo e também, por ainda não ter uma profissão onde poderá levar um relacionamento a sério. Ele pode até estar desejando, mas é difícil.
Tudo isto que vocês estão vivendo são lindos sonhos, eu gosto de ver vocês juntos e são sonhos que até poderão se realizar, mas ele terá de mudar muito. Você nem tanto, mas ele sim. Você para dizer a verdade, teria de mudar para o outro lado, sendo mais livre e não se preocupar tanto, para não sofrer.

Fiz um silêncio dentro de mim quando ouvi minha irmã falar tudo aquilo. Ela com toda a sua realidade consegue me ferir. Eu sou muito romântica e acredito em amor... Acredito que alguém possa amar tanto um outro alguém, ao ponto de lutar para estarem juntos e minha irmã falando, tirou esta pequena esperança que estava nascendo em mim. Mas irmã é assim, quer o nosso bem e se a gente vai para a lua, uma irmã procura trazer a gente para a terra.
Cornélia percebeu a minha tristeza e disse:
- Bonequinha, você não pode se abalar por tudo que sua irmã falou, e sim estar contente em saber que não pode confiar tanto, vai ter que observar muito. Lembre-se que sua irmã só quer o seu bem. 
Agora, até eu queria que você beijasse meu irmão, porque realmente ele é lindo!

Neste momento, Letícia fala:
- Não falei nada disto para te deixar triste. Eu quero que a Olívia, aquela que está vivendo tudo isto, esteja aqui nos alegrando e agora, vamos logo para aquele rio nadar. Será que Eduardo vai acordar ou não, vai lá, Cornélia, acorda ele...
- Vou agora acordá-lo, já passou da hora de dormir. Foi só melhorar um pouquinho que está levado como nunca, vocês vão ver o quanto eu sofro com as suas agitações!
Falou Cornélia entrando para buscá-lo.
Pouco tempo depois, nos dirigimos para as areias do rio, Letícia estava louca de vontade de se bronzear. Nos divertimos muito com Eduardo depois que acordou,  parecia que me conhecia por não ter tido vergonha de estar perto de mim a brincar.
Por todo o caminho estávamos a falar ainda sobre os namorados. Tudo que Letícia via pelo caminho, dizia que Lucas iria gostar.
Não sei porquê minha irmã teve coragem de fazer aquilo no passado, mas sei que atualmente ela ama demais Lucas e é muito amada por ele. Ela não seria mais capaz de magoá-lo, acho que não... 


Por todo caminho que fazíamos, víamos tanta beleza... Árvores cheias de flores, o sol a brilhar no nosso rosto, e eu vivendo alguns momentos de reflexão, falei: 
- Eu queria dizer a vocês que não faria tudo isto que Letícia me propôs. Não faria... realmente, tudo isto para mim é pura folia! 
Se eu decidisse ficar com Juliano, mesmo que fosse só neste período de ferias, primeiro eu falaria com Júnior e terminaria o nosso namoro. Eu não teria coragem de magoá-lo. Na minha opinião, fazer certas coisas cria uma grande mágoa. 
Tudo que eu vivi até agora com ele foi muito bom, apesar de sermos diferentes. Ele tem seu jeito divertido, brincalhão e também carinhoso. 
Eu gosto quando ele me faz carinho, gosto quando ele olha para mim, gosto de tudo que vivi com ele, nada foi ruim. Ele é protetivo comigo, e mesmo achando ele diferente de mim e também, depois de tudo que você falou, me fazendo pensar que ele não conseguiria estar comigo quando formos embora, eu ainda não teria coragem de magoá-lo por nada deste mundo. Se estou sentindo outras vontades, eu vou procurar canalizá-las e procurar transmitir à ele, mais ninguém!
Falava, depois de pensar muito.
- Cornélia, esta minha irmã teria que renascer novamente. Este modelo não existe mais e caso entre em pane, a gente nem encontraria peça novas para poder consertar.
Letícia ao falar fez Cornélia sorrir muito. Achou seus pensamentos muito original.
- Vocês podem achar graça e absurdo mas não vou fazer nada que me disseram porque não adiantaria trocar de namorado, o melhor a fazer é tentar se entender. 
Vocês mesmo me disseram que os homens são todos iguais, então te pergunto: para que mudar?
Falei entrando em contradição com Letícia e ela respondeu:
- Sim é verdade são todos iguais mas os efeitos colaterais que alguns conseguem causar são  fenomenais, diferente demais! 
E é ai que esta  chave do segredo... Prazeres diferentes. O seu corpo sente quando uma pessoa te provoca enorme desejo. Lucas não pode me tocar, basta um simples toque em meu corpo que eu me sinto nas nuvens...
Olivia o que você sentiu quando Juliano tocou em sua mão? Porque você se calou? São perguntas que você teria de ter respostas. Quando você estava no cavalo com ele o que sentiu? Olivia, ele no cavalo tocou novamente em você... Eu vi ele pegando em sua mão mas não falei nada. Como foi minha irmã? Porque você continuou calada? 


Cornélia me olhava com carinho, demonstrando em seus olhos que Letícia estava certa em tudo que dizia então respondi:
- Eu me calei porque o seu modo de agir me surpreendeu demais. No hospital eu tremi quando me tocou, minha barriga gelou e... No cavalo eu deixei sim ele o tempo todo fazer carinho em minhas mãos. Me calei porque senti o mesmo que senti naquele momento do hospital, mas não magoaria Júnior, não teria coragem. Vou fazer como vocês me falaram, vou levar para o túmulo tudo que senti.
- Eu acho que você deve refletir muito e procurar não errar, porque seu coração está muito dividido.
Quando Letícia falou isto eu concordei com tudo que falou, mas fiquei em silêncio. Realmente não sabia mais o que deveria fazer. Em algumas coisas acho que minha irmã estava certa...
Depois de caminharmos indo ao encontro daquele rio, avistamos aquele areia que nos deixou fascinada. Isto sim é algo que não poderíamos deixar de viver porque é puro prazer!


Autora: Aymée Campos Lucas
Aventura de Louco... Todo Mundo quer um Pouco.
Capitulo 18 - Parte final
Todos os direitos reservados 

Elenco musical deste capitulo:
Travis - Sing
The Parlotones - Pretend
Travis - Writing To Reach You
The Pixies - Here Comes Your Man
Pink - Please Don't Leave Me
Alanis Morissette - You Learn
Titas - E' Preciso Saber Viver
LifeHouse - Take Me Way
As músicas foram retirados do meu blog, porque o programa 4Shared não estava funcionando corretamente.


Para quem desejar ler o inicio do meu livro, este é o Link:


Quando escrevia este capítulo, comecei a pensar que meus fiéis leitores não teriam tanta paciência em ler, porque tem um lado muito feminino nele,  que é quando eu mostro a casa de Cornélia e toda a sua decoração, em vez de mostrar parte da estória e toda a sua agitação. Mas quero que saiba que ao escrever uma parte do texto eu me senti longe de mim quando falava do amor e felicidade.
Quando mostrei para minha nora Ingrid, ela se deslumbrou com que leu, dizendo que iria copiar para colocar no seu perfil do facebook. 
Me lembro de ter dito: pode copiar, mas não esqueça de colocar o nome do autor e...  falando, sorriamos!
Achei necessário mostrar como vivia Cornélia porque ela, por toda a estória,  fará grande parte deste livro. Se tornou a melhor amiga de Olívia.

13 comentários:

  1. É, parece que pelo menos nas locações, quase tudo o que aparece na estória existe na realidade!
    Quanto ao resto, é complicado saber o que é real e o que é romance...
    Mas, a Cornélia parece estar mais com os pés no chão, e a doença pegou nas irmãs!
    Ambas já falaram em passar os respectivos pra trás! Ooops! Isto não é pra falar! Tem que levar para o túmulo! Hehehehe!
    Vamos ver!
    Abraços, Aymée!

    ResponderExcluir
  2. O legal de ler sobre os locais onde se passa a história, passa ao leitor a certeza de que a autora é uma pessoa detalhista, e eu gosto de detalhes, e que você transforme isso em um livro logo pra eu poder comprar na loja e sair falando por aí, tá vendo a autora, eu conheço ela :-)

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Dj este seu carinho!
    Sabe Dj eu adoro escrever e nao quero mais parar... Eu já estou com mais três ideias para criar outros livros.

    Vou continuar com Circulo Vicioso onde a historia dará continuidade em Londres, revelando coisas que antes não havia em mente e que agora ao pensar dará um super livro. Circulo Vicioso... Mente Suja e Perigosa, eu escrevi em 4 dias apenas.
    Quando escrevi, eu o chamei de livro de bolso por ter sido o meu primeiro livro e por estar postando no blog não poderia ter tantos capítulos(foi o que pensei na época) pois quando o postei, eu postei em uma só pagina. (Quem se interessar em ler esta nos marcadores livros ou textos populares do lado esquerdo, mas se ler deixa um recado por favor, para saber o que achou.)

    Tem um outro livro e nao vejo a hora de começar. Ele vai se chamar Vem comigo! (ainda é um titulo provisório) Neste livro eu resolvi sair de casa aqui em Milão e no sair vou fazer tudo que me der na telha... Coisas que não faço nunca! Vou fazer com um detalhe, vou inventar tudo mas mostrando como é esta cidade.

    Tem um outro que já escrevi alguns capítulos, mas parei, para poder escrever Aventura de Louco todo Mundo quer um Pouco.
    Parei porque as ideias que apareciam na minha mente depois de um certo tempo eram ideias de Aventura de Louco fazendo não conseguir me concentrar nele. O livro vai se chamar: Era você que me seguia? Este eu quero criar um mistério onde o leitor nao vai conseguir saber quem seguia, só o escritor e o casal que descobre no inicio do livro quem seguia.
    O livro da inicio com eles descobrindo, onde terá uma morte e depois disto o livro volta ao passado e o escritor escreve a Vida daqueles personagens amedrontados por ter um que nao dava paz. Este livro será muito difícil de criar, mas vou tentar.

    Bem eu disse que amo escrever, mas nao sei correr atrás deste sucesso, nao tenho tempo, nao sei como fazer, então escrevo através do blog até achar uma editora que acredite em mim, serão elas que terão de me achar,kkkkkkkkkkkkkk

    Escrever é maravilhoso mas toma tanto o tempo da gente. Muitos diriam que atrapalha viver, porque a gente fica sentada em um lugar silencioso a imaginar em vez de viver por ai e... Em parte isto é verdade. Cada capitulo que eu escrevo eu utilizo todo o meu tempo livre, nem nos blogs eu consigo ir. O meu orkut e facebook eu nem abro mais,raramente entro rsrsrs quem dirá sair por ai, rsrsrs

    Foi uma decisão que tomei e quero levar adiante porque eu acredito em mim!
    Bjs Dj

    ResponderExcluir
  4. Leonel, quanto as duas traidoras, rsrsrs eu resolvi fazer a sua ideia funcionar, mas tirei um pouco o corpo fora da Olivia por ser sonhadora, e coloquei irmã por ser realista.

    Queria mostrar que mulher também nao è fácil e existem cada uma mais maluca que outra para achar um jeito de trair. Tem vez que trair é consequencia, kkkkkkkkkkkk
    Mas tem tipos de mulher que é tão medíocre que perde o senso da amizade e esquece todos os princípios que poderia dar a ela, uma bela imagem, onde todos pudessem admirar.
    A vida é muito suja... E isto eu já vi de perto, é fácil falar.

    Bjs Leonel e obrigada sempre por estar lendo este livro!
    Tenho um carinho enorme por você!

    ResponderExcluir
  5. Aymée minha querida escritora, o namorado de Olívia caiu no meu conceito. Trair não seria a questão pq o caráter de Olívia não deve mudar só pq o dele é deturpado. Mas seria o caso sim de Olivia repensar, se é alguém assim que ela busca. Assim para um compromisso sério. Para um casamento. Uma família. Aguardo os próximos capítulos. Uma ótima terça pra ti. Bjs da Joii.

    ResponderExcluir
  6. Realmente me perdi um tanto em detalhes que por minutos de leitura me fizeram imaginar uma pausa pra "papo de muié"... rss Desculpe, é que não tenho toda essa sensibilidade querida Aymée... Prestei mais atenção nos detalhes do armazém ( pois já vivi no interior em locais muito parecidos ).
    Quanto ao namoro de Olívia, me parece certo que será outro e não o atual... bom sei lá, só me parece.
    Esta deslumbrante a estória e se eu raspar com um editor, vou dar uma pusta buzinada nas zôreias dele... kkkk Xácumigo !!

    Beijo talianinha...
    Tatto

    ResponderExcluir
  7. Ola Joii,
    Olha eu acho que você vai gostar do final deste livro. Já foi escolhido e será alegre e surpreendente.
    Eu tento mostrar neste livro o quanto a vida real pode mudar caminhos, trazer para nos alegrias e muitas vezes falta de esperança. Mas se soubermos analisarmos, conseguiremos achar o que pode ser melhor para nos.
    Viagens são sempre aventuras e muitas vezes nao podemos esperar tanto delas. Mas tem coisas que mexem tanto com o coração da gente que somos capazes de fazer de tudo para conquistarmos o que desejamos...
    Você vai gostar sim do final, eu tenho certeza!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Uma história interessante e diferente. Gosto quando o escritor escreve com imensos detalhes a cena onde tudo se passa e eu consigo acompanhar a par e passo, os sentimentos e toda a paisagem! Adorei a visita á casa de Cornélia onde cada compartimento foi minuciosamente narrado (e mostrado) e a minha veia de decoradora ficou fascinada! Tanta coisa bonita para decorar uma casa e na maior das simplicidades, O que vence aqui é a criatividade e imaginação!
    Como irá acabar esta história? Com o coração ou com imaginação??
    Parabens
    Beijocas.
    Graça

    ResponderExcluir
  9. Ola Graça,
    "Como vai acabar esta história" rsrs
    O bom de escrever é esta sensação de poder criar algo que até o final se torna mistério, e escrevendo aqui no blog eu pude sentir isto dos leitores. vi de perto a sensação que o leitor tem ao ler algo que eu escrevi.
    Se fosse um livro daqueles ao qual uma pessoa compraria em livrarias, eu nao sentira isto, nao saberia o que pensam...
    O blog me deu esta oportunidade... A oportunidade de experimentar os meus escritos e ver que quem os lê gostam muito.

    A sua pergunta eu responderia assim:
    Este livro vai terminar com a imaginação do Coração... O Coração dará tanta alegria à todos vocês, eu tenho certeza. Eu digo isto convicta, porque deu a mim ao imaginar... Deu também à minha Nora quando falei para ela todo o final... Eu via no rosto dela a alegria e a sensação de prazer ao me escutar. Ela tem apenas 20anos e esta adorando a estoria.

    Graça quero dizer a você o quanto eu gosto de ter você aqui no meu blog lendo esta Aventura, é para mim um enorme prazer!
    Que bom que gostou da decoração da casa de Cornélia. Tem um capitulo la no inicio em que ao chegar no sitio Olivia descreve todo o sitio, mas la eu nao ilustrei, teria que criar em sua mente o que descrevi. O sitio também ficou muito criativo e foi tudo imaginação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Ola Xipan,
    Eu nao respondi a você antes... Você nao pode imaginar e preciso te dizer o quanto estou honrada com a sua ajuda.
    Será que eu encontrei um agente? kkkkk
    Minha Nossa Senhora do Amparo, Minha Nossa Senhora do Socorro, minha Nossa Senhora da Misericordia como diria Cornélia, rsrsrs eu daqui dava gritos em silencio de emoção... Meu coração se emocionou demais em saber que você realmente esta acreditando em mim!
    Você já imaginou se isto se realiza? rsrs
    Será como seria se este livro existisse? Será que aceitariam a capa feita por você? Será que a gente ganharia um dinheirinho, será, será... mil perguntas eu tenho para isto.
    Você nao imagina o que você conseguiu criar aqui em minha mente com esta sua sugestão, melhor dizendo esta sua ajuda que mais parece de um anjo protector!
    Beijos amigo do coração!

    ResponderExcluir
  11. Ahhhh!! Aymée querida minha talianinha... rss
    Eu ainda nem fazi nada, só sugestionei e quero sim que se possível for desenhar a capa deste maravilhoso livro que peguei como afilhado... rss
    Gosto um tantão dos seus escrevimentos e ficaria muito feliz se Eu conseguisse alguém pra edita-lo.
    Não sei, mas dizem que quem com fé acredita com amor sera atendido... tô torcendo pra isso ser verdade....
    Nem é pelo dim dim.. ( que sempre é bem vindo ) mas por nossa amizade e carinho que tens por mim... Vou lutar pela causa , pois é nobre.

    Um Grande beijo deste amigo doido... rss
    Tatto

    ResponderExcluir
  12. Êita... que macaco mais mau educado... rss

    "FELIZ DIA DAS MAMÃES QUERIDA AYMÉE"

    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  13. Aymée, apesar de não ser muito fã de "dias" eu te felicito pelo dia das mães.
    Te enviei uma mensagem sobre a tua rua, com imagens.
    Hehehehe!
    Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...