Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



terça-feira, 3 de agosto de 2010

Meu Primeiro Conto... Mais parece um livro!

Descobertas! 
Introdução 
Costumes Orientais e Desejos Ocidentais.

Acabou a primavera. Sim, mais uma primavera que se foi...
Agora é verão e já estamos em meia estação. Quase época das uvas e também das chuvas!
Eu... Eu? O que dizer de mim?
Eu sou um homem! Um homem que deseja uma vida emocionante, brilhante e digo de passagem que não sou arrogante!
Um homem que por um grande tempo deixou a vida passar sem grandes emoções, sem viver alegrias junto a alguém que um dia foi muito especial pra mim, pra descobrir um outro modo de viver distante do meu País tão belo, tão falado e tão desejado pelos turistas.
Eu sou do Oriente, onde o sol poente reflete nos olhos de quem o admira! Sou um homem de um País em que os princípios são dotados de tamanha rigidez, mas meus pais me educaram com total liberdade de escolha e sensatez.
Meu País é o Egito! E com  muito orgulho eu grito: Eu sou do Egito!
Quando era ainda jovem me recordo que gostava muito de liderar, de governar o meu território. Parecia mais um soldado que um simples civil. Queria sempre manter a ordem no meu bairro e conseguia, eu era viril!
Eu estava sempre em alerta, e não deixava estranhos dominarem lugares que me pertencia, pertencia a mim e aos que ali viviam.
Em minhas recordações, eu era um jovem alegre e muito popular, e sempre conseguia com que todos me ouvissem, me respeitassem. Esse meu jeito de ser não muda, não mudou, e até hoje me vejo uma pessoa que diz o que deve ser feito. Eu penso no que é melhor e as pessoas me escutam, e se não escutar, não tem problema, eu continuo forte no meu ponto de vista. Eu sou assim e muitas vezes pareço ser egoísta, mas não sou!
Sou simplesmente um que encontra a melhor solução e quem eu tenho no meu coração, desejo que estejam do meu lado, me apoiem, porque assim eu consigo caminhar com olhos fechados, encontrando a maneira melhor de viver!
Não sou egoísta, sou intuitivo demais!


Capitulo I
A Busca, O Sonho

Poucos amores eu tive! Na verdade em meu Pais eu amei por muito tempo uma linda jovem e com minhas promessas de amor tenho gravado em minha pele a inicial de seu nome...
Cresci... E crescendo, escolhi uma nova vida, mas deixei meu coração ali no Oriente, com esta linda mulher que conhecia muito bem a minha mente.
Um dia eu a beijei. E seus lábios quando sentia os meus, se tornavam quentes! Mas não passou disto, não porque foi um beijo roubado e sim porque em meu País, tudo é proibido!
Superei essa saudade, superei toda a minha agonia quando soube que o amor dela não suportou a distancia e encontrou um outro alguém para amar. Ela se casou. Isto aconteceria, eu sabia!
Não pude fazer promessas de um amor eterno, porque a escolha que fiz, não poderia fazer com que ela me esperasse. Deveria libertá-la! O que meus pais me ensinaram, foram grandes lições de vida e enganar alguém, foi um dos principais aprendizados que considerava.
Eu sempre quis ser um homem livre, com grandes poderes de escolha mas não era capaz de enganar ninguém dizendo que voltaria, por não saber o que poderia vir ao meu encontro, o que eu poderia encontrar neste novo mundo!
Somente meu Deus sabia! E eu sentia que seria o meu momento, o meu crescimento, a minha independência, a minha liberdade, a minha renovação!
Eu sempre sentia que algo me faltava, que deveria ver com meus olhos como era esse Ocidente onde a liberdade das mulheres eram parecidas com a dos homens.
Eu sempre quis ver essas mulheres de perto, mulheres cheias de vida, que buscam o mesmo que nós.
Agora estou aqui, mas às vezes essa liberdade é restrita, e minhas escolhas não poderiam ser realizadas, porque um estrangeiro que não tem uma documentação correta, não se desenvolve. Eu estava ali para realizar qualquer coisa que me fizesse melhorar e me fizesse crescer, mas o poder desses homens políticos eram totalmente considerados, e assim nossas vidas se fechavam e não passava de um simples trabalho e pouca vida social.
Eu agora me tornei um cidadão deste novo mundo, depois de anos e anos consegui meus documentos, e a felicidade me domina, por ter sido uma conquista árdua mas tão desejada! Agora sou livre nesta gaiola aberta. Agora possa colocar meus pés fora dela e me sentir livre pra conquistar meus sonhos...


Quantas vezes eu vi a minha vida passar olhando lá fora através de uma janela velha e uma rua que só se via pessoas a correr daqui e dali como eu, porque onde vivo tem tantos como eu, tantos do Oriente.
E às vezes me pergunto, porque fiz esta escolha?
Porque saí do Oriente para viver no Ocidente?
Ah essa tal liberdade que todos nós buscamos e que nunca a encontramos! Ela não esta em lugar algum... Ela esta dentro de nós, quando nos libertamos desse modo de viver em que o poder quer dominar e esquecemos de ver que o melhor da vida são descobertas, auto conhecimentos que nos transporta a uma paz interior, fazendo com que nada ali fora te cause inveja, nada te assusta, por nascer uma coragem e uma visão simplificada de tudo que tem ao nosso redor.
Descobrindo isto em mim depois de tanta solidão, eu passei a ver que coisas ao meu redor se tornaram mais belas e agora quando abro minha janela velha eu a vejo diferente e quando a observo, vejo que ela esta assim porque anos e anos se passaram e como tudo nesta vida ela também envelheceu mas olhando detalhadamente, eu a vejo mais bela e quando a fecho, ela continua a me proteger!
E agora, sempre quando olho para fora dela, não vejo somente seres a passar. Eu os observo de um modo mais profundo, como se avaliasse seus pensamentos, suas mentes.
Porque aquela senhora tem tanta pressa?
Porque a criança chora e a mãe ignora?
Esta é a vida como ela é! Seriam tantas as razoes!
Porque uns são tão gordos e outros tão magros? Sei que ansiedade causa danos, fazendo transformar todo um ser os levando a perda de controle alimentar... Tudo isto vem de sofrimento, dores e insatisfações incontroláveis, em que a pessoa não sabe lidar com seus monstros interiores, não conseguem ver que a vida é simples se souber admirá-la com outros olhos!
Como parece estar cansado aquele senhor! Mas mesmo assim, todos os dias ele vem a se sentar no banco desta praça pra alimentar os pássaros pela manhã. Ele nunca se esquece de alimentá-los! Quando ele se for pra uma outra vida, esses pássaros sentirão a falta dele!
Os jovens... Quando os vejo, eu me encho de energia por ver suas faces com semblantes de busca e descobertas que um dia eu vivi, e me pergunto... Será que alguns deles um dia, pensarão como eu? Será que irão descobrir que é em vão essa busca constante a uma riqueza, onde o ego se transforma em arrogância e o domínio junto ao poder, corrói dentro deste ser e... Por às vezes não saberem se controlar, se destroem por si mesmo?
Quando abro a minha janela, eu vejo luz até se for noite, mas luz transportada das estrelas, do luar! E quando respiro este nosso ar, eu procuro respirar e sentir que estou vivo, e que tenho tanto amor pra doar!
A vida corre, mas minha vontade de ser feliz nunca morre!
Eu quero amar novamente. Eu quero sentir o perfume de uma mulher em minha pele. Eu quero abraçar e tocar profundamente essa mulher, sentindo que posso e estou pronto para amá-la.
Quero poder encontrar neste meu novo mundo, uma pessoa simples como eu, que consiga ver o verde das árvores que se modificam a cada dia, transformando lentamente, por mudar as estações do ano.
Quero ver o seu sorriso ao me ver, seus olhos brilharem por estar comigo. Quero fazê-la feliz! E desejo que ela me complete!
Se eu conseguir encontrar esse alguém a me considerar, eu irei fazer de tudo para conquistá-la, quero fazer ela acreditar e confiar em mim e em meus planos, meus projetos que não são poucos.
Encontrar alguém que possa me amar, mas antes de tudo amá-la mais que tudo!
Nesta cidade em que escolhi para viver, encontrei muitas coisas em que minha imaginação buscava. Apesar de lutas árduas, eu me interesso por esta linda cidade, chamada Milão situada bem no alto da Itália, indo ao encontro da França, Suíça.
Milão industrial, Milão Romântica,  Milão produtiva, Milão triste, Milão alegre... Existem tantos modos de se ver esta cidade!
Milão é calma, em Milão se pode ver perfeitamente todas as estações do ano no seu modo mais autêntico. Milão tem uma noite linda, onde as luzes ao iluminar as paredes antigas, causa uma sensação de ter um dia vivido aqui, dentro da historia, antes da guerra.
Eu muitas vezes me transportei para o seu passado, ao olhar suas ruínas que aqui estão sempre em conservação! Milão é mistério, Milão parece um império quando se vê os seus Castelos bem no meio da cidade, levando os turistas muitas vezes a se perguntar quantos anos ela tem de idade.
Território antigo e eu estou aqui, estou pisando, caminhando todos os dias nele, em suas ruas que agora no moderno tem de tudo! A musica e seus grandes cantores todos os dias passam aqui, porque Milão é uma Metrópole,  é a minha cidade, é a cidade que me ensinou a viver, me fez crescer, me deu uma linda profissão, e agora me dará um grande amor! Eu sou seu filho agora, sou filho desta terra cheia de história!
Eu sou um chefe de cozinha. E gosto do que faço e tenho planos de um dia poder ter o meu próprio espaço!


Me sinto tão vivo agora e ver a vida passar em uma janela já não quero mais, não é justo. Eu que queria conhecer de tudo, agora quero sentir o amor nascer mais que tudo em mim!
Ah essa vontade de amar novamente! São tantas mulheres lindas que passam na minha frente, muitas vezes com um sorriso em suas faces, que confesso me acalma, me alegra e a vontade de poder conhecer aquela que irá despertar a minha atenção, acalmar meu coração, aquela que dará brilho em meus olhos de tanto desejá-la! Eu a encontrarei, pois sou um que sempre esta em busca de emoções fortes, e descobertas que me dão paz, me fazendo ser alguém maior que já me considero!
E com o passar do tempo, eu comecei a admirar profundamente uma pessoa, que novamente me fez sorrir. E assim observei que eu a desejava, eu queria poder tocá-la chegando a imaginar uma vida longa com ela. Queria tanto estar com aquela mulher que a conquistei! E dias e meses com ela eu vivi, mas não durou, talvez em algo eu errei. Eu não entendia o porque mas aceitei calmamente, vendo que se distanciava de mim. Não pude mais estar com ela. Era tão bela, tinha a pele clara como a nuvem, era tão diferente de mim!
Estranho, porque com a distância, não me lamentei tanto. Acho que foi apenas o começo de um interesse que a muito tempo não soprava como um vento!
Agora penso que não era um amor profundo. Era apenas desejos nascidos em meu ser que pensando me confundo. E sabendo que a solidão vem me dominando, tudo que brilha um pouco, parece amplificar e assim me faz desejar tanto!
Agora sei que não era o amor que venho procurando. Aquele amor que me olha e se sente único!
Amor que transmite e doa à mim todo o seu ser, como eu certamente quero doar!
Amor que me da muita paz!
Amor que me guia em direção de meus sonhos!
Amor que me segue na estrada que juntos escolheremos.
Amor não longe do meu sol, do meu ar. Meu sol, meu ar será o seu também!
E então vivo me perguntando: Isto existe? Existe, ou sou um sonhador?
Deve existir sim, porque se a minha mente é capaz de imaginar tudo isto, creio que deva existir outras mentes que sentem um amor assim,  rico como a luz de Deus, belo como um marfim! Belo como tudo da natureza, onde os olhos de quem vê a simplicidade dela, nos faz encontrar tranquilidade e coragem pra viver!
Eu além de ser do Oriente sou também um muçulmano, e vivendo aqui não deixei de viver as doutrinas de minha religião, pois são doutrinas em que me fez crescer mentalmente, usando o bem como uma forma de auto eficiência, mas sempre respeitando os princípios de outros seres.
Eu sei que vivendo aqui e respeitando esta minha doutrina, faz com que o envolvimento com mulheres do Ocidente seja muito restrito. São raras as mulheres que tem coragem de se relacionar com um muçulmano, por imaginar que iremos privá-las de uma liberdade em que elas acreditam, liberdade em que elas almejam e que muitas conquistaram.
Na realidade elas estão certas, pois muitos muçulmanos mesmo vivendo aqui, continuam com a mente fechada, e não conseguem ver que o mundo esta cheio de modernidades e se não crescermos e vermos que devemos nos adaptar a tudo, não adianta ter saído por ai para explorá-lo, seremos apenas seres que saíram de seus países em busca apenas de dinheiro para construir um futuro e depois voltar para terra de origem.
Mas eu não sou assim, sou muito mais que isto!
Sou um homem que quer conhecer e viver este mundo. Sou uma pessoa que mesmo seguindo minhas doutrinas, sente necessidade de conhecer outros modos de viver e... A liberdade está em um de meus primeiros planos e sei que se tiver uma mulher que queira me conhecer, ela não será privada de nada que posso fazê-la crescer junto a mim.
Esta busca que tenho feito, não foi só pra ter em minhas mãos mais dinheiro, e sim porque eu gosto do que vi, gosto deste modo ocidental onde somos livres, seguindo minhas doutrinas não com tanta rigidez, com tanta autenticidade e foi por isto que estou a viver aqui. Eu me sinto um pouco ocidental.

Capitulo II
O Mendigo

Vivo cada detalhe que passa ao meu redor intensamente para relatar um pouco o meu modo de ser e ver a vida. Vou em busca de meus desejos que em minha vida estão contidos.
E nesta minha busca constante, quero saber onde será que esta a pessoa que vou amar? E assim vivo a observar outras vidas que cruzam por segundos ou minutos nos momentos que me dirijo ao meu trabalho ou em meus momentos de passeios e tranquilidade.
Aqui nesta Metrópole se pode ver de tudo! São tantas pessoas exóticas e muitas vezes com as dificuldades financeiras, fazem com que tenham seu próprio estilo. Para muitos é impossível seguir a moda que em cada estação se modifica como o céu e suas cores, que no passar do dia se transforma veloz!
Um dia desses caminhando me deparei com um mendigo e no momento em que o vi, me fez sorrir extremamente! E se alguém me olhasse, não entenderia porque eu sorria sozinho.
Um mendigo assim eu nunca vi! Este mendigo estava caminhando e ouvindo musica com um fone em seu ouvido, e foi por isso que sorri! Foi o meu primeiro impacto, mas depois surgiu em meu viso o lado tenero e meus pensamentos viajaram naquele momento que para mim foi crucial!
Comecei a pensar milhões de coisas em questão de segundos:
"Que lindo presente para uma pessoa solitária! Talvez com esta musica no ouvido, fará com que ele ganhe vida, sinta vontade de recomeçar, fazer sua barba que está em abandono, tomar um belo banho e buscar novos horizontes como eu sempre faço! Talvez a música lhe de inspiração... Eu quando escuto música com suas letras exuberantes e lindas melodias, me encho de energia!"
E olhando aquele mendigo por tanto tempo, eu simplesmente me transportei para a vida dele... Eu fazia perguntas sem respostas:
" O que o fez ser assim em abandono?
Ele amava a família? E a família dele o amava?
Quando ele abandonou todos da sua família. alguém ficou a procura dele?
Será que ele sabe seu sobrenome? Será que ele tem tudo que viveu em memória?"
Pensei ao observar:
"A musica parece que lhe esta dando paz! Porque o observando, se nota que se move no ritmo dela!
Será que ele se drogava e por isso acabou sem nada?
Será que ele estudou ou se formou e no final enlouqueceu?
Será que ele é lúcido?
Será que bebe ou simplesmente vive esta vida serenamente, sem precisar de nada!
Não! Este homem é carente." Afirmei.
Eu não queria que existisse uma pessoa assim ao mundo.O mundo é grande, tem tanta terra, tanto espaços para se construir asilos ou casas para ser doadas a eles, mas o problema seria manter estas casas. Se fossem doações com propostas de governo, fazendo com que trabalhassem para eles em pequenos e simples trabalhos. Assim eles poderiam haver um recomeço.
Mas será que eles querem ou desejam mudar de vida?
Em um impacto voltei ao real , quando o observei novamente!
"Ele dança!" A música que está tocando, está dando movimento em seu corpo.
"O que será que ele escuta? Se for uma musica que ensina e te guia, o ajudará a refletir. Mas se for daquelas em que mostra sofrimento e perdas, vai atrapalhar!
Como eu estou curioso! Eu estou vivendo por alguns minutos a vida dele e eu preciso saber o que ele está escutando."
E assim eu avancei meus passos e me dirigi a ele, não resisti. E com um impulso, usei meu dedo indicador com bastante temor e toquei este homem!
Senti medo de sua reação, mas tranquilamente ele girou e me olhou sorrindo. Parece não ter medo de nada, por estar acostumado a viver em perigo.
Neste mesmo instante eu sorri para ele e disse:
- Me desculpe a invasão, eu sei que é uma intromissão, mas queria lhe dizer de todo coração que uma cena como esta eu nunca vi não! E vendo um cenário como este, queria te dizer que é a coisa mais bela que pude ver hoje, caminhando por esta estrada. Que belo te ver escutando musica!
Ele respondeu sempre sorrindo:
- Foi um presente de uma criança que passando perto de mim e vendo que eu pedia ajuda, simplesmente me doou este I POD, mas antes de fazer esta doação, ele perguntou ao seu avô se poderia me presentear e o avô com um olhar profundo e suave disse sim!
Ao ver seu neto reagir desta maneira, ele perguntou calmamente: "Porque você quer desfazer da sua música para presentear este senhor?" E a bela criança respondeu:"Ele se parece com você vovô!" 
Meus olhos encheram d'água! Eu ali escutando este mendigo, fiquei extasiado ao me contar esta história e ver que nesta vida quando se é criança, não tem maldade, não tem crueldade. Eu fiquei admirado ao escutar o mendigo falar, porque suas palavras eram palavras com um belo dialecto, parecia não ter sido sempre um homem qualquer. Mas não quis me aprofundar para não me complicar, pois estava ali só de passagem e muita estrada ainda teria de andar.
Assim o mendigo continuou a contar:
- E depois deste lindo presente, aquele senhor olhou e me entregou seu cartão de visita me dizendo de ir ao seu encontro amanhã, pois me dará uma nova vida. Esta criança foi meu anjo de tanto implorar a Deus ajuda! Seu avô irá me ajudar porque esta linda criança pediu!
O olhei e perguntei:
- Senhor qual é o seu nome?
Me respondeu dizendo:
- Meu nome é João, mas todos com quem convivo só me chamam de Janjão!
Continuei:
- Não te incomoda?
- Já me acostumei, eu tentei mudá-los mas não escutam, pobres velhos ignorantes, muitos a vida não ensinou nada!
Ali percebi que falava com uma pessoa culta mas que a vida lhe deu alguma rasteira. Minha curiosidade ia muito além do horizonte, mas me silenciei... Lembrei o que me fez aproximar dele e aquela primeira curiosidade ainda vagava em meus pensamentos e então perguntei:
- Senhor, posso saber o que estava escutando quando dançava alegremente?
Respondeu:
- Bela pergunta! Eu ainda a tenho aqui em minha memória, pois quando jovem esta música virou história!
Não entendi até agora, como uma criança como aquela escutava heavy metal!
Eu escutava Pink Floyd... A música era Time e eu dançava porque pensava: Chegou meu tempo e já era hora!


Capitulo III
O Recomeço

E naquele instante, eu estava ao lado de João com muita satisfação! Que lição que me doou quando ligou seu IPOD e me mostrou aquela música.
Me vi mais ignorante que ele, pois enquanto ouvia a música, João a traduzia para mim, ele sabia o inglês e eu não! Mas já me contento pois falo árabe e consegui depois de um certo tempo ler e escrever italiano e isto é um grande feito, considerando a diversidade das duas línguas.
Ouvindo aquela música sentado em um banco que encontramos bem ali em uma praça, comecei a meditar enquanto ele degustava um sanduíche que comprei para ele. Parecia sentir tanta fome!
Meus pensamentos se distanciaram por alguns instantes daquele lugar...
"Sociedade que corroí... Aquele velho fazendo caridade que talvez na vida ainda nunca tinha feito, mas que uma criança o repreendeu e abriu seus olhos! Ou será que esta criança é assim porque este velho senhor o ensinou desde cedo em pensar nos outros, nos que sofrem?
Este Senhor se demonstrou muito rico. Como será que ele conquistou seu império? Com lutas e muito esforços dando valor ao mais simples ajudante? Ou cresceu derrubando outros, passando por cima de tantos, fazendo os mais fracos de seu escravo e tirando o poder de outros que muitas vezes pensavam que tinham encontrado, depois de lutas sem conforto?
Eu sempre penso que ninguém neste mundo, enquanto for dependente de homens de poderes, homens ricos, terão um conforto seguro.
Alguém pode vir e te derrubar nesta sociedade insólita, onde a idade não conta. Crescer é perder se for um dependente. Não sempre mas muitas vezes isto fala mais alto.
Por isto que sonho em ter o meu restaurante, onde eu possa governar e impor minhas opiniões sem medo, administrando e fazendo gerar trabalho para tantos que ali crescerão junto a mim, recebendo sempre boas recompensas, por saber o quanto é difícil perder depois de servir por anos."
Naquele instante meus olhos encheram d'água ao olhar João comer e sorrir, enquanto repetidas vezes tocava a mesma musica.
Eu sou assim, choro por ver a beleza em pequenas coisas, pois amplifico e vivo aquele momento como se fosse eu.
Logo em frente avistei uma barraca que vendem artigos chineses e falei:
- Quando terminar seu sanduíche, quero te levar ali!
E apontei ao local.
Entrando na loja lhe comprei um par de sapatos e meias, cuecas branca,  uma calça que deixava seu corpo livre e uma camisa lisa cor azul.
Com as sacolas em suas mãos, falei:
- João este endereço que lhe dou, é de um restaurante onde trabalho e amanhã antes do seu encontro, quero que venha ao restaurante e traga todas estas roupas, porque ali você irá encontrar um amigo meu que vai cortar seu cabelo,  fará sua barba e terá um banheiro a sua disposição para se lavar e vestir tudo!
Então ele me respondeu:
- Eu pego o seu endereço e vou muito feliz, mas por favor, as roupas leve agora com o Senhor porque senão pessoas que vivem onde eu vivo, irão me pedir e outras sem que me peçam, irão pegar e... Quando ali chegar, não terei mais nada em minhas mãos. Esta é a minha vida, hoje eu tenho algo em minhas mãos e no amanhã seguinte, ela parece que nunca existiu.
Me emocionei ao ver suas lágrimas derramarem de fronte a mim!
E assim eu fiz! Eu ajudei aquele homem. Não pude fazer como o Senhor rico mas um pouco de amparo eu pude doar!
Eu sou assim, eu acredito na força de quem deseja algo. No meu modo de ver a vida, no meu modo de pensar, eu não seria jamais um mendigo, pois consigo ver em um pequeno espaço meu crescimento. Se eu cair eu me levanto, lentamente mas eu não me arrendo fácil!
Meu pai sempre me dizia: "Filho, olhe sempre a estrada à sua frente. Não perca tempo olhando para os lados. Siga em frente!"
Nem sempre um ser é assim, mas eu sempre procurei seguir este conselho. E olho muitas vezes como meu pai, procurando ver o que tem na minha frente, sempre!
E aquele mendigo estava diante de mim, por isso o notei.
E pela manhã, ali estava João entrando no restaurante, e os olhos de quem estava ali se abriram para o fato de ver ali dentro, aquele homem sujo e todo barbudo!
De repente chegou meu patrão e me conhecendo muito bem, imaginou que tudo aquilo tinha uma razão. Mas mesmo assim, se aproximou com olhos de raiva ao mendigo que me fez gritar naquele salão:
- Nem queira colocar a mão! Não assuste este senhor, ele está aqui por minha causa. Ele é meu amigo e agora muito mais que um irmão!
Meu patrão assim respondeu:
-Te conheço muito bem e confio plenamente em você! Você sabe o que faz!
Me olhou profundamente e sorriu.
João passou horas ali comigo e juntamente com meu amigo que cuidava dele e o preparava. Quando saiu todo pronto, as pessoas olhavam admiradas, estava diferente e causou grande admiração a toda gente!
Naquele instante eu telefonei ao homem velho que o aguardava, dizendo que meu amigo o preparava, para o encontro que ele tanto esperava!
Meu amigo João  foi ao encontro muito limpo e feliz. Como era belo o João! Olhos verdes como as folhas, que antes se escondia por detrás de tanta barba em seu rosto, e tanto desgosto!
Olhando sempre em frente continuei a seguir minha estrada, e agora o que nela vou encontrar?
Dias se passaram e aquela mulher é sempre ali na minha frente. Tão bela, tão serena, tão distante. Mas sempre na minha frente!


Epilogo
O Amor Encontrado!


Como pode uma pessoa estando tão distante, chamar assim a minha atenção?
Estou dentro de um ônibus que sempre me leva ao trabalho e é ali que eu sempre a vejo!
Eu gostava tanto de encontrá-la dentro do ônibus e algumas vezes os horários não coincidiam.
Fazia tempo que eu estava vivendo onde este ônibus passava e somente no início do ano de 2009 foi que comecei a observá-la... Talvez ela tenha se mudado recentemente, pois antes nunca havia notado aquela presença linda e silenciosa.
Era tão bom vê-la que me irritava quando não a encontrava ali dentro! E em pensamentos dizia: " Espero que não tenha se mudado"
Muitas vezes antes de entrar no ônibus, do lado de fora a procurava, e isto se tornou obsessão!
Era um desejo forte que me fazia sentir vontade de me aproximar!
Um rosto lindo mas tão distante! Olhava sempre para fora da janela. Ela olhava para o nada. Ela nunca me via. Eu entrava e fazíamos um percurso de quinze minutos, mas ela não me notava!
Era sempre com um olhar distante que qualquer pessoa ali dentro poderia fazer barulho, mas nada a tirava daquele seu mundo distante.
Passei a observar melhor, e o que notei era que ela viajava com sua mente, olhava para o nada e viajava.
Eu sou muito observador e aquilo me intrigava. Muitas curiosidades vinham em meus pensamentos. Queria saber o que estava pensando e queria descobrir como fazer com que ela me notasse.
Eu digo sempre que sou um guerreiro e não desisto fácil das coisas que desejo e almejo!
Sou um conquistador e vou sempre em busca do que penso de ser melhor para mim e enquanto não a conquistasse eu não desistiria! Será uma de minhas maiores realizações e darei muito valor. Sei que estará sempre comigo, sempre ao meu lado, não abandono algo que me esforcei e lutei por haver!
"Olha para mim Bela dona!" Somente um segundo me bastava.
"Olha para mim um minuto apenas que eu farei todo o resto!"
Sentia vontade de falar com ela sempre, mas achava que o motivo de estar distante poderia ser porque era casada, era feliz e que era tão fiel que seus olhos o respeitava, e ninguém teria lugar em seu coração!
Linda! Linda para meus olhos! Eles brilhavam ao vê-la. 
Em minha casa quando estava sozinho olhando à janela eu sempre pensava nela!
Os meses estavam passando velozes, parecia impossível a aproximação mas eu não desistia.
Passou primavera, passou o verão, chegou o inverno e era início de estação. 
Conquista difícil! Porque eu não desistia? Não resistia quando a via! Ela era a mulher que eu queria!
No inverno ela se vestia sempre com uma jaqueta preta, seus olhos eram verdes, a pele branca, branca, totalmente branca! Seu rosto para mim tinha os traços perfeitos e uma vez a vi sorrir quando falava ao celular e o seu sorriso era espontâneo, natural e sem se preocupar com ninguém ali por perto, ela sorria! Sorria também com seus olhos e assim eles se fechavam como se sorrisse, era lindo de se ver!
E hoje ela olhou para mim! Que linda! Ela olhou repetidas vezes para mim e sua timidez a fazia esconder seu olhar, e muitas vezes mordia seus lábios porque sentia vontade de sorrir para mim, mas era como se não pudesse.
Ela realmente é muito tímida! Amei aquela expressão, amei aquele olhar escondido em um sorriso contido!
E assim... Depois que me olhou, eu fiz minha parte até o dia que consegui me aproximar de verdade!
Me recordo perfeitamente daquele dia em que a convidei para assistir Avatar! 
Não sabia o que fazia perfeitamente. Era o meu primeiro encontro com ela, e justamente em um cinema? Em um cinema não se pode falar!
Sei que ela adorou a idéia e que tudo correu como desejei. Era o aniversário dela! 
Eu a conheci justamente no dia do seu aniversário, uma data inesquecível, e que alguma razão deva existir! 
Eu amei tudo que vivi naquele momento que recordaremos por toda a nossa vida!



Atualmente estamos juntos! Uma única pessoa, um único sol, única lua, único pedaço de chão! Pele na pele, total energia! E quando nossos corpos se encontram, esquecemos que o mundo existe!
Agora quando ela me olha e sorri sempre me diz:
- Amor você é tudo para mim!
E eu sempre pergunto por gostar de ouvir constantemente esta frase:
-Tudo?
Ela responde :
- Sim...
- Descreve amor como é esse tudo!
- Meu ar, minha força, meu desejo, minha dor, minha alegria, meu oxigênio! Tudo amor! Tudo isso e muito mais!
Eu a conquistei! Sim, eu a conquistei, mas não me considero um vitorioso! 
Me considero uma pessoa em que a vida lhe trouxe grande sorte! Porque a amo! 
Seus olhos são meus, o seu amor é meu e é grande!
Um certo dia a gente conversando, ela me contou porque olhava para o nada!
Me contou que seu coração estava solitário, sofrido, mas esperançoso por poder conhecer a pessoa que iria tomar conta dele. Me contou que pensava em alguém tão distante da Itália e que por grandes motivos que nesta vida existe, havia distanciado dela. Existiu muito silêncio que a fez desistir, refletir e ver que a vida dela estava à espera de um alguém para viver aqui perto do seu ser carente!
Por isto era distante de tudo e me vendo eu a intriguei a tal ponto que até mesmo ela começou a sentir uma enorme vontade de sempre me encontrar naquele ônibus, de poder me conhecer realmente porque quando não me via sentia já a minha falta!

Quanta historia poderia já contar sobre nossa vivência, nossas alegrias e nosso crescimento juntos, mas penso de não ser necessário, pois a síntese de tudo, é o nosso amor que vai crescendo como uma fruta no bosque, crescendo como uma criança que aprende a cada dia uma nova lição de vida, cresce como um filhote que saiu de seu ninho para conhecer o que a vida tem a oferecer. Este amor cresce e se defende com quatro braços entrelaçados e protetivos e assim crescendo, nos conhecemos como ninguém possa imaginar! 
Basta um olhar para nos entendermos e cada olhar tem seu dizer.
Olhar de pedinte, olhar de tristeza, alegria, nervosismo transportado da vida lá fora, angústia e saudade quando ela sente falta de sua mãe! E quando estou distante dela, ela sabe o quanto sinto sua falta, quando no telefone dou aquele respiro sem fim! Eu faço assim sem perceber e ela logo diz:
- Esta sentindo a minha falta amor! Você respirou forte agora!
Não preciso dizer o quanto nos entendemos, nada explicaria a sintonia deste amor, mais que este lindo conto!
Tudo que eu vivo e sinto junto a este amor que me envolve tanto, me fez desenvolver esta história, escrevendo o que penso, o que vivi e o que vivo  atualmente em minha vida. 
A minha constância e desejos relatei em folhas. Escrevi cada momento que vivi aqui neste novo mundo Ocidental a espera de ser feliz com alguém, que me entenderia e me conheceria ao profundo, escrevi para estar em memoria o que tenho sentido.

Escrever não é diferente de nada do que fazemos. Escrevendo eu me transportei a uma grande viagem... E aqui deixo o melhor de mim para você amor! 
São simples palavras que saem do meu ser, onde a principal pessoa que desejo que leia seja você! 
Meu amor eu sou tão feliz agora ao seu lado que farei de tudo para não te perder! 
Aqui eu escrevo para você porque escrevendo me leva à você. Descobri que escrever é como construir uma casa, é como o plantio de uma árvore ou como preparar um grande prato como faço no restaurante, daqueles bem saborosos que fazem com que as pessoas voltem.
Aprendi que escrever é um construir atenciosamente. E para chegar a um fim em que pessoas possam apreciar, deverá ter um belo alicerce.
Este alicerce, fez a minha mente vagar tranquilamente como um vento e o construir deste conto cresceu em uma velocidade por sentir que o alicerce era perfeito pra suportar tudo que vinha a pensar e produzir e...Depois de tudo isto, chegou a um final por querer chegar, interrompendo a minha escrita... 
Ao seu lado esta escrita jamais teria fim. Mas é apenas um conto e não uma vida! 
Assim faço o meu final cheio retoque... Uso as cores como se usa em uma parede, faço um o embelezamento procurando palavras de emoção!
Muitos poderão se emocionar... Outros poderão se cansar ao ler, interrompendo a leitura em busca de algo que possa lhe agradar mais. 
Mas se gostar, ele vai retornar para conhecer todo o meu trabalho, fazendo com que eu possa construir novos alicerces.


Quem escreve, aprende a mostrar os seus pensamentos imagináveis, querendo construir sempre algo sólido para no final existir um belo acabamento, fazendo muitos refletirem de seu modo, levando a uma viagem imaginável do mesmo modo em que escritor viveu.
Cada leitor verá algo que outro não viu, terá uma visão diferente! Muitos comentarão um com outro o que leu, o que sentiu ao ler, muitos criticarão, muitos sentirão inveja por não serem capazes, muitos te elogiarão. Eu sei que cada critica, cada inveja, cada elogio, me levará a melhorar meu caminho, minhas novas escritas, fazendo o leitor desejar sempre ler tudo que escrevo!
Esta é parte de minha vida...
O meu amor por ela só aumenta, ela me faz um homem completo e feliz! 
Eu quando olho em seus olhos eu me acalmo, porque tem sempre um belo sorriso a doar para mim! Seu olhar e seus dizeres para mim são ouro, são aprendizado! 
Eu amo esta mulher em que um dia fixei meus olhos e pensei que seria ela a pessoa justa em minha vida, conseguindo me fazer um homem que ao olhar o ontem e o hoje, tudo é diferente!
O meu grande amor é do Ocidente, onde criei raízes deixando uma vida no Oriente indo em busca deste meu novo mundo ocidental. 
Aqui deixo em memorias parte desta vida que se tornou grande ao lado dela, mesmo sendo uma vida tão simples... 
E eu fico a imaginar... Se um dia muitos lerem este conto irão me conhecer. Posso até um dia não existir mais, indo embora desta vida, desta terra tão desejada, que mesmo assim vou existir, fazendo parte de uma historia, no meio da poeira de uma prateleira
Eu estarei ali a aguardar que alguém comece a folhear o livro de contos deste autor desconhecido, encontrando em meio a algumas páginas um pouco de minha história!
Obrigado meu amor por você existir em minha vida, eu sou feliz, eu me realizei, eu me encontrei!
Você é tudo para mim hoje e sempre! Bahebk
أحبك!

Autora: Aymée Campos Lucas

Um comentário:

  1. Alô, Aymée!
    Quer dizer que foi assim que tudo começou?
    Quero dizer, a escrever ?
    Acho interessante quando uma mulher escreve descrevendo os sentimentos de um homem...
    Às vezes, o homem que ela idealiza para si mesma!
    Muito boa a história do mendigo que gostava de Pink Floyd. Foi um prazer ouvir de novo TIME!
    Eu curti muito essa e outras do mesmo grupo, nos anos 70!
    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.