Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



domingo, 8 de agosto de 2010

Tempo que não volta mais!


Recordações! 
 Quem não lembra de momentos como este?
A Escola!
Vive tudo que se pode viver,
E o final é um diploma depois de tanta cola!
Vai me dizer que você não fez isto?
Impossível! Eu não acredito!
No inicio quando descobri que existia a cola,
Eu medrosa como sempre fui, criei coragem,
E a minha primeira cola eu doei!

Sim confesso! Eu era uma doadora de colas.
Quanto trabalho eu tinha,
Em atravessar estas colas 
Em forma de bolas,
Para muitos de meus colegas!
Alguns estavam longe de mim,
Em um oceano sem fim!
Quando o via desesperado,
Parecia que no oceano morria afogado!
Mas mesmo assim eu fazia a minha caridade,
Em questão de profunda amizade!
Fazia meus colegas atravessarem,
Como se fosse uma lancha no mar,
Chegando numa velocidade,
Que ninguém poderia enxergar.
Éramos amigos de verdade!

Aconteceu o primeiro desastre!
Alguém nos denunciou por perceber,
Que estávamos com pontos maiores
Que este grande vilão
Não conseguia haver!
Assim surgiu um grande controle
Do professor que mais parecia um cão!
Retirou a minha prova da carteira,
Dizendo que somente a diretora,
Resolveria esta situação!
Olhando para ele eu disse:
Mas isto é uma besteira
Foi só  uma pequena ajuda passageira,
Na diretora eu não vou não!

Anos se passaram e cansada de doar,
Resolvi também colar,
Pois já estava revoltada de tanto estudar!
Muitos pontos eu perdi,
Colando de amigos que não estudavam
Fazendo de seus dias sempre uma festa
Pois corriam e brincavam,
Soltando pipas no céu azul
Com os ventos que sopravam de norte a sul!

Assim desisti de colar.
Não era a minha natureza,
Criei minha pequena empresa,
Enfim era grande e cheia de proeza!
Nasceu minha fabrica de colas reproduzidas,
digitadas no computador e transformadas
Em miniaturas para aquelas criaturas!
Ganhei dinheiro sem fim,
Podendo comprar de tudo pra mim!
Comprei picolé para o José,
Comprei cocada e coca-cola,
Para todos que jogavam bola,
E assim a empresa cresceu,
E todos recordam o que viveu,
Quando tudo  acabou,
Com um diploma que todo mundo pegou!

Autora: Aymée Campos Lucas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.