Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Ao Te Olhar... Desejei Te Movimentar.

 
O HOMEM DO JORNAL

Não sei quando irão perceber que sou um doente... Sou um maníaco. 
Como são ingênuas as pessoas! Principalmente minha esposa que pensa que sou um homem atencioso, primoroso, bondoso. Com toda a minha fúria, a minha esposa é a única que eu procuro não maltratar. Eu dependo dela. Para mim, ela é como uma mãe que não tenho mais... É mais que uma mãe, pois com ela eu descarrego meus desejos de um homem normal. Eu tenho duas faces... Eu sou um hipócrita, mas quem não é?
Ao chegar em casa depois de tudo que faço, ela me recebe de braços abertos e tudo ali dentro de minha casa, está pronto para ser apreciado e aproveitado como se deve.
A banheira já está preparada com sais de banho e muita espuma, e é nela que eu retiro as impurezas de meu corpo, onde em alguma parte dele, ainda se encontra gotas de sangue. O jantar pronto para ser servido, preparado com muito zelo... Depois de tudo isto, descanso um pouco em meu escritório, onde encontro o meu livro de escrivania. Atualmente estou lendo livros de Giorgio Faletti, eles me ajudam em meu oficio... Esto lendo Io Uccido - "Eu Mato". Leio sempre um pouco, tomando um delicioso chá preparado com carinho e não sei o que contém neste chá, parece afrodisíaco! Depois que tomo, só quero uma coisa... Quero pegar a minha mulher à força para fazer do jeito que eu desejo. Sou eu que exijo prazer.

E assim vou vivendo minha vida, tentando ser uma pessoa discreta. Todas as manhãs encontro em minha escrivania o jornal que minha esposa gentilmente deixou, para que eu possa ler e ver anunciando mais uma morte. Pego o meu jornal, vou para o Café onde frequento, me sento naquela mesma mesa de sempre, peço uma água, um belo café ao creme e começo a ler o meu jornal. Abro nas crônicas porque o que eu quero ler é sobre mais uma morte que aconteceu em dias antecedentes ou até mesmo na noite anterior. Tanto mistério no ar! Atualmente todos ali no bar, não falam outra coisa que não seja estas mortes horrendas. 
"Será quem matou mais uma dama elegante que improvisamente, foi atacada por alguém em uma rua silenciosa, recebendo uma facada fulminante a deixando nua e estirada pelo chão? E porque todas tem em seu rosto, uma marca registrada... Uma letra C, mas o que isto quer dizer?"
Todos estão ali a perguntar e somente eu sei o que significa. Com esta marca, eu quero dizer que a encontrei no Café, apenas isto. Elas não morrem em uma rua silenciosa...

Todas elas frequentam o Café Nespresso Krups, o mesmo café que eu frequento todas as minhas manhãs, antes de apreciar mais um de meus dias de predador. Sou eu o serial killer e ninguém percebe.
As mulheres daquele bar são mesmo ingênuas! Acreditam cegamente em homens que as cortejam. Quantas vezes vi entrar uma senhorita sozinha e depois sair acompanhada com algum homem que ali estava. Saem sorridentes como se tivessem ganhado o dia. Ingênuas porque estes homens estão aqui, pretendendo mais uma vez, cortejar uma delas. São apenas aventuras passageiras. No meio destes homens, ali estou a esperar que uma bela mulher saia sozinha, porque é do lado de fora que procuro me aproximar, fazendo com que aceite conhecer a minha livraria. É muito fácil a aproximação, no meio de toda a multidão. Convido sorridente para conhecer a minha livraria... Descrevo toda a beleza que possa existir lá dentro, comparando com a beleza dela e falo: 
"Ainda não teve o privilégio de conhecê-la? Faço questão que me acompanhe... Você precisa de conhecer tudo que tem ali para ser apreciado. Se aceitar te levo imediatamente. Vai encontrar as mais belas estorias que os autores podem nos oferecer. Vai encontrar as estórias de Moby Dick... Sabe que olhando e observando você por toda a manhã, percebi no ar, por você conseguir demonstrar, que você é forte e corajosa como Moby Dick?"
E ela sorri... Ela se contorce de felicidade.
"Fale mais"... Diz ela
"Grande como Guliver... Esperta como Gato de Botas! Muitas vezes ao te olhar, te vi ingênua e singela como Branca de Neve e o melhor de tudo é poder ver em você, um rosto carente, desejante de paixão como Cinderela!
"Que beleza as suas palavras... Nunca ninguém me viu assim." Falou ainda mais sorridente.
"Tudo isto tem em minha livraria, quer ver? Eu lhe mostro tudo que tem ali, até chegar na melhor parte"...
"Qual?" Logo pergunta.
"O romantismo juntamente com o erotismo. Tem cada livro que ao ver as ilustrações a gente não resiste... Ali mesmo naquele chão eu te possuo!"
Falo e elas aceitam. Sinto até que querem ir direto para a prateleira do livros eróticos.
Nem sou tão belo, mas sei conquistar! Como podem acreditar em elogios como estes? Em meias palavras enganadoras. Não tem como definir uma pessoa apenas com um olhar. Estes elogios, são elogios que se usam quando se conhece à fundo uma pessoa. Elas acreditam no primeiro encontro. Parece que necessitam de elogios baratos. Parece que são carentes.
É tudo tão fácil! Vou ao bar, tomo um café, bebo minha água fresca, faço de conta que não estou vendo nada do que está acontecendo ali dentro, procuro ler o meu jornal, enquanto escolho a presa da semana ou muitas vezes, espero 15dias passar ou até meses. 
Depois vem os elogios, a conquista rápida, a satisfação de conseguir levá-la onde quero, mesmo ela sabendo o que vai receber de mim. Carinhos e sexo e... É um prazer conquistado, não sou violento em minha aproximação, nem tão pouco quando as possuo. Procuro conquistá-las suavemente, lentamente dando afeto. Em dias assim, não abro a livraria, permanecemos por todo o tempo juntos e sem pressa. Mostro tudo que elas desejarem ver e depois começo o meu ritual com tamanho desejo. Sinto os corpos quentes sobre mim... Eu as deixo brincar de amar com muito ardor.
Nem sei porque no final de todo aquele sexo desejado, eu mais uma vez, me torno um assassino. Este momento, é o meu maior prazer. É grandioso. Me sinto um vampiro!
Quando leio os jornais, vejo o quanto as investigações estão longe de descobrir quem é o Serial Killer. Não deixo rastros e cada uma, eu escondo em lugares diferentes e distantes uma da outra. Única coisa que coincide, é a marca idêntica que elas recebem em seus rostos, a letra C... Café. 

Nas declarações dos jornais atualmente, dizem que as investigadores pensam que a letra C pode representar um nome de uma pessoa. Estão longe de encontrar a verdade... Me chamo Robert. 
Muito antes de deixá-las em algum lugar, eu calmamente as lavo, retirando sinais que eu possa ter deixado e seus vestidos não estarão mais com elas. Eu os queimo. Que trabalho árduo!
Porque Faço isto? Acho que é só porque não pretendo que elas continuem a me procurar. Não quero que elas atrapalhem a minha vida conjugal. Não desejo que nenhuma delas se intrometam em meu maior particular que é o meu casamento. Meu casamento é tão lindo, tão agradável, tão verdadeiro e prazeroso. Meu casamento é a minha felicidade e não desejo destruir isto.
Muitos se soubessem de mim, poderiam pensar que sou louco. Não... Não sou um louco. Sou doente de desejos. Sou apenas um homem com um tesão incontrolável!

Autora do conto: Aymée Campos Lucas
Autora da Tela: Sueli Gallacci


Sueli, como havia te prometido, hoje decidi criar um dos contos, olhando a sua obra de arte.
A autora desta tela, é para mim uma pessoa maravilhosa e admirável, ao qual me considero amiga. Com ela posso ser eu, posso brincar, falar o que penso porque somos muito parecidas e conseguimos nos entender muito bem.
Sueli tem dois Blogs... A Cor Da Gente e Cronicas & Agudas. 
Em A Cor Da Gente se encontra suas obras de arte, ela expõe e nos ensina todas a técnicas de uma pintura. Ela não esconde segredos... Gosta de ensinar, talvez por amar tanto esta bela arte.
Seu blog é um encanto. Eu adoro, apesar de ultimamente ela não está tão presente como antes.
Aprendi muito com ela, apesar de saber que não sou capaz de criar uma tela. Aprendi para saber apreciar como se deve.
Ao olhar para as suas telas, além de observar o que ela ensina, eu procuro movimentar as suas pinturas... Invento. Procuro também dar um nome diferente, só para brincar com ela, e com isto vendo esta tela que se chama: Café que é criação de Sueli, eu modifiquei dizendo de se chamar: O Homem do Jornal... Um homem nada Formal!
 O conto eu sei que é um pouco exagero, porque nenhum crime é perfeito.


Foi assim que tudo aconteceu... Eu enviei um recado para ela e aqui mostro um pouco dele:

Olá,
Memorável! Eu fiquei daqui encantada! Fitei em minha mente para não esquecê-lo.
Quando vi anunciar a sua postagem no meu blog, pensei que você estaria mostrando o trabalho de algum artista que você admira.
Ao ver a sua assinatura na tela fiquei novamente deslumbrada!
Sueli não tenho palavras para dizer o quanto amei este quadro. Parabéns mil vezes pela a sua dedicação!
Eu queria conseguir ser assim na minha escrita... Cada vez mais ser admirada!

Lendo a sua explicação, você dizia uma coisa que já tinha percebido antes que lesse o que escreveu. Percebi que quanto mais distante a pessoa,  mais os rostos desapareciam, focando mais aquele senhor com o jornal. Achei este detalhe muito interessante.
Me deu a impressão que no quadro houvesse uma estória para contar e o personagem principal seria o homem do jornal. 
Olhando para este seu quadro se pode escrever mais de uma estória, criar movimento nele, dar vida a este homem, contando que no seu dia a dia, ele é um solitário em busca de momentos... 

E Sueli me respondeu:

Aymée, querida,
Sinta-se a vontade para criar uma história para o homem do jornal rsrs. Tenho certeza que com sua criatividade a história será linda e emocionante.

Beijos Carinhosos Amiga linda que amo! 
Aymée Campos Lucas

13 comentários:

  1. Que maravilha, Aymée!
    Quase caí duro!
    Enquanto eu lia, pensava se você teria criado este conto a partir da figura, e isto me foi confirmado no final!
    Quanta criatividade!
    Sem desfazer outras obras tuas, a que mais me agradou foi esta, pelo impacto acumulado em tão poucos parágrafos!
    Mas, por que o estilo de escrever algumas frases com tamanhos de letras diferentes?
    É alguma técnica para obter determinado efeito?
    De qualquer forma, isso é o de menos, pois acho que você se superou!
    Abraços, Ragazza!

    ResponderExcluir
  2. Olá Leonel,
    Eu andei sumida de seu blog e peço desculpas... Fazem duas semanas que estou doente e nesta semana estive de cama, por causa de uma gripe muito forte... Aqui chegou o Outono e quase ninguém se livra das alergias. Desta vez ela atacou até meus olhos e perdi toda a minha voz.
    Agora falando do conto:
    Que bom que gostou, rsrs Eu estava achando que exagerei, mas vindo de você este elogio eu fiquei numa satisfação imensa.
    Pois então, pra você ver... O homem só estava sentado e eu criei tudo isto, imagine se a tela se mexesse então, kkkkk
    Na verdade a ideia é criar dois contos com o Homem do Jornal e depois ver qual deles será o melhor, rsrs Será dose dupla. Eu já tenho o segundo conto em pensamentos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Leonel esqueci de responder à sua pergunta.
    As letras grandes são para destacar o texto que é também grande. Assim quando alguém começa a ler e pensa em desistir, ao olhar algumas frases do texto e achar interessante, recomeçam a ler, para ver do que eu falava. rsrs Nao sei se está funcionando, kkkk Quase todas as visitas ultimamente, tem sido para pegar imagens. Acho que se e não colocasse imagens em meu blog, poucos me visitariam, hehehe Mas os meus poucos, valem mil!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Veramente bello... rss

    Nem carecia das letronas, ficou supimpa!

    FicaBemMoça escrevedeira..
    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  5. Ayméeeeee, vc é muito criativa! Quem mais poderia pensar em algo assim? rsrs. Vc transformou o ‘meu homem do jornal‘ num serial killer, mal posso acreditar! rsrs. Genial!!!

    E olha que engraçado, quando pintei eu pensei em um homem pacato a caminho do trabalho numa repartição pública qualquer... Uma paradinha no café todas as manhãs para ler seu jornal – um hábito saudável e relaxante para enfrentar mais um dia estressante e rotineiro rsrs.

    Mas sabe, amiga, o que é fantástico numa pintura é isso mesmo! De uma imagem estática, cada observador cria mentalmente a ‘sua própria história’, vê um detalhe a mais que outros talvez não vejam... Quando monto uma composição para pintar, tenho todo o cuidado de criar ‘um ponto de interesse’ que prenda a atenção do observador: seja pelo emprego de cores quentes e complementares, ou pela colocação de uma figura em primeiro plano. No caso dessa obra ficou evidente que o protagonista é o homem do jornal, e foi exatamente essa a minha intenção!

    Obrigada por tudo, amiga... Já te disse, vc é 10... 100... 1000!!! rsrs

    Ah! Já ia esquecendo, eu pintei outro ‘Café’. Entreguei a pintura ainda molhada, sem fotografar por que minha cliente tinha pressa em terminar a decoração do apê pra casar. Mas ainda vou fotografar e postar. Aguardemos, portanto, a próxima história rsrs.

    Estou temporariamente afastada da blogosfera, com muito trabalho atrasado, mas volto em breve com força total!

    Bjos, Linda e mais uma vez BRIGADÃO, Viu!

    ResponderExcluir
  6. Bom... não é mistério, porque é escrito na primeira pessoa.
    Não é suspense, porque o leitor é informado de tudo.
    Não é policial, porque não narra a investigação...
    Será crônica? Não... Um conto criminal? Talvez... Um estudo psicológico? Não sei.
    Só sei que é bom pacas!
    Parabéns Aymée... aplausos!

    ResponderExcluir
  7. Já ia esquecendo: fundo musical perfeito! Não conheço a música, mas o acompanhamento em dois únicos acordes traz a sensação sombria de repetição inexorável, enquanto as variações da linha melódica dão o tom perfeito de romances fugazes...

    ResponderExcluir
  8. Olá a todos,
    Estou aqui doida para responder a todos, mas não estou resistindo em responder primeiro Barcelos, porque ao ler o seu ponto de vista, senti uma vontade imensa de dizer o que pensei:
    Para mim é um conto criminal, levado a um estudo psicológico.

    Eu estudo mentes de pessoas, gosto disto, eu tenho capacidade de analisá-las e sempre dou o tiro certeiro.
    E quando escrevo, eu invento mentes que muitas vezes pedem ajuda.
    O Homem do Jornal, (não sei se você reparou em meu texto), mostrei que ele com toda a calma, está mostrando o seu desespero.
    Ele já assumiu que é um doente, mas ainda não sabe o quanto. Teve a coragem de escrever como se quisesse gritar que isto que ele faz, está prejudicando a sua vida... Aquela vida que ele preza, mas... A falta de controle, é um prazer maior, lhe dá vigor!
    Eu penso que quando uma pessoa, de repente anuncia ou grita de alguma forma, (a dele foi escrevendo) significa que quer parar mas não consegue. E' um pedido de ajuda por saber que erra incontrolavelmente.

    E' um homem inquieto por dentro e o sexo o acalma. Sao tantos modos de suprir isto... Viajar, escrever, praticar esportes, criar alguma obra de arte e aprender a amar verdadeiramente sem se preocupar com outras mulheres que ele vê de alguma forma, um pouco vulgar.
    Agora, por ele ter matado, teme. Não será jamais um confessante, pois sabe que de uma prisão não sairia, mas pede socorro, como se pedisse que o destino o modificasse. Enquanto isto vai continuar... E' como um viciado, um fumante, um alcoólatra com a diferença que a vida dele continua bela e as outras tem um fim.

    Eu quis mostrar um homem impuro, falso com ele mesmo e que já consegue admitir um pouco, o que é... Ele só não aceitou ainda dizer que é um louco, rsrs
    Acho que ele pensa que só porque frequenta um café, sorri para as pessoas, lê, ter um trabalho, um casamento, pode se sentir uma pessoa normal, mas um homem com descrições como este personagem, se fosse descoberto, só mesmo uma prisão perpétua para entender do que foi capaz ou o que ele é na verdade... Em filmes que eu vi, acho que raramente um Killer vai para uma prisão, eles se matam primeiro.

    Ele deseja que tenha fim, por isto escreve, querendo que alguém as encontre e sabe lá onde ele vai deixar estas escritas para ser descoberto. E agora já foi, porque eu mostrei para o mundo inteiro, kkkkkkkkkkkkkkk Foi eu quem encontrou a carta debaixo de um vaso de planta do Café Nespresso Krups que nem existe, kkkkkk Acho que a louca aqui sou eu, rsrsrs.

    Barcelos este assunto vai longe, porque o que andei lendo sobre o killer de Firenze me deixou muito impressionada.
    Eu vou escrever os nomes do elenco musical... Eu esqueci disto, sempre faço e desta vez esqueci.
    Depois vou no seu blog para te enviar o vídeo em pessoa e explicar quem é.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. O Barcellos escreveu uma outra coisa que eu também notei e esqueci de comentar: como encaixou bem esse fundo musical!
    Uma idéia: na próxima o cara é um suicida!
    Parabéns também à sua genial amiga Sueli Gallacci, cuja obra inspirou esta projeção!
    Como tem talentos soltos por esta blogsfera!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Olá Sueli, ontem não pude responder à você, mas queria te dizer que quando criei este conto, cheguei a ficar preocupada de você não gostar do que eu fiz com o seu Homem do Jornal.
    No início, não sei se você se lembra, eu tinha pensado como você... O homem pacato, etc... mas depois quando decidi escreve, pensei: "Não, não não, este quadro merece Gloria! A estória tem de ser forte, penetrante, que possa deixar todos eufóricos, rsrs e deu certo.
    Oh coisa boa que é ter escrito um conto através de seu quadro. Foi muito bom e hoje já está pronto o segundo conto. Dois em Uma... Dois contos e uma imagem, rsrs Todo mundo vai entrar no meu blog para ver quem são estes dois que estão em uma, rsrs

    Queria te pedir mais uma coisa... Se você me permitiria de continuar criando contos com suas telas. Te prometo que farei o meu melhor. Quero muito mostrar a vida como ela é através de suas imagens se você me permitir.
    Beijos grandes, te gosto muito.

    ResponderExcluir
  11. Olá Xipan,
    Amigo do peito, amigo leal... Que bom que gostou. Achei tao carinhoso você dizer: "Não carecia das letronas" rsrsrs três simples palavras que diz tudo!

    Quanta a gripe eu já melhorei, mas aqui em casa todos se contaminaram e agora talvez, tudo pode iniciar. Por todo o outono é assim. ou ter te tomar fortificante, kkkkkkkkkkkkk
    Obrigada sempre pelo seu carinho.

    ResponderExcluir
  12. Como vai Aymée?
    Legal seus textos. Gosto muito de lêr e encontrei nesse espaço muita coisa interessante que vale a pena lêr. Coisa rara na rede atualmente.
    Estarei seguindo e acompanhando seu trabalho. Se desejar conhecer meu projeto no Construindo História Hoje. Fica aqui meu convite: http://www.construindohistoriahoje.blogspot.com
    Saudações cordiais.
    Leandro CHH

    ResponderExcluir
  13. Mega interessante. Muito bom mesmo. O homem do jornal virou um assassino em série. Ele mesmo se entregou para nós em detalhes enquanto saboreava um café. Típico de psicopatas, não demonstram sentimento, dor, tristeza, pena, dó, ou reação quando veem mortes brutais, com muito sangue. Tratam estupro, assassinato, como mordida na maçã. E você foi perfeita. Parabéns. Bjo...

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.