Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



sábado, 25 de dezembro de 2010

Cantando a Realidade...

Tao Grande é o Sucesso Destes Dois Cantores e Autores!
CESARE CREMONINI E...
LORENZO JOVANOTTI



MONDO!
MUNDO!

Ho visto un posto che mi piace si chiama Mondo
Ci cammino, lo respiro la mia vita è sempre intorno
Più la guardo, più la canto più la incontro
Più lei mi spinge a camminare come un gato vagabondo… 
Ma questo è il posto che mi piace, si chiama mondo!
Eu vi um lugar que eu gosto se chama Mundo
Nele eu caminho, eu respiro, a minha vida é sempre em volta dele
Quanto mais a vejo, mais eu canto mais eu a encontro
Ela me faz caminhar cada vez mais como um gato vagabundo
Mas este é o lugar que eu gosto, se chama Mundo! 

Uomini persi per le strade, donne vendute a basso costo
Figli cresciuti in una notte come le fragole in un bosco
Più li guardo, più li canto più li ascolto
Più mi convincono che il tarlo della vita è il nostro orgoglio
Ma questo è il posto che mi piace si chiama mondo!
Si... Questo è il posto che mi piace…
Homens perdidos por estradas, mulheres que se vendem a baixo custo
Filhos crescidos em uma noite, como morangos em um bosque
Quanto mais eu os vejo, mais eu os canto, mais eu os escuto
Mais me convencem que o tormento de nossas vidas é o nosso orgulho
Mas este é o lugar que eu gosto se chama Mundo!
Sim... Este é o lugar que eu gosto...

Viviamo in piccole città nascosti dalla nebbia
Prendiamo pillole per la felicità... Oh misericordia!
Noi siamo piccoli... Amiamo l’Inghilterra
Viviamo dell’eternità…
Vivemos em pequenas cidades escondidas por neblinas
Tomamos pilulas para a felicidade... Oh Misericórdia!
Nos somos pequenos... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... 

Ho visto un posto che mi piace si chiama Mondo
Dove vivo non c’è pace ma la vita è sempre in torno
Più mi guardo, più mi sbaglio, più mi accorgo che
Dove finiscono le strade e proprio li che nasce il giorno
Ma questo è il posto che mi piace si chiama mondo!
Si... Questo è il posto che mi piace…
Eu vivo em um lugar que eu gosto se chama Mundo
Onde vivo não tem paz mas a vida é sempre em volta dele
Quanto mais me olho, mais eu erro, mais eu percebo que
onde termina as estradas é próprio ali que nasce um novo dia
Mas este é o lugar que eu gosto se chama Mundo!
Sim... Este é o lugar que eu gosto...

Viviamo in piccole città nascosti dalla nebbia
prendiamo pillole per la felicità... Oh misericordia!
Noi siamo piccoli... Amiamo l’Inghilterra
Viviamo dell’eternità… 
Vivemos em pequenas cidades escondidas por neblinas
Tomamos pilulas para a felicidade... Oh misericórdia!
Nos somos pequenos... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... 

Participação de Lorenzo Jovanotti


JOVANOTTI:
Gira e gira e non si ferma mai ad aspettare
Sorge e poi tramonta come un delfino dal mare
Muove la sua orbita leggero e irregolare
Distribuisce sogni e ritmo buono da danzare
Gira e gira e não para nunca para esperar
Surge e depois se esconde como um golfinho do mar
Move a sua orbita ligeiro e irregular
Distribui sonhos e ritmo bom para dançar

Mondo cade, Mondo pane, Mondo d’abitare
Mondo che ci salva, Mondo casa da ristrutturare
Tutto è falso, tutto è vero, tutto è chiaro, tutto scuro
Questo è il posto che mi piace aldiquà aldilà del muro
Mundo cai, Mundo pão, Mundo para abitar
Mundo que nos salva, mundo casa para reformar
Tudo é falso, tudo é verdadeiro, Tudo é claro, Tudo é escuro
Este é o lugar que eu gosto, muito além daqui, muito alem do muro

Viviamo in piccole città nascosti dalla nebbia
Prendiamo pillole per la felicità... Oh misericordia!
Noi siamo piccoli... Amiamo l’Inghilterra
Viviamo dell’eternità…
Vivemos em pequenas cidades escondidas por neblinas
Tomamos pilulas para a felicidade... Oh misericórdia!
Nos somos pequenos... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... 

Viviamo in piccole città nascosti dalla nebbia
Prendiamo pillole per la felicità... Oh misericordia!
Noi siamo piccoli... Amiamo l’Inghilterra
Viviamo dell’eternità… Amiamo l'Inghilterra
Viviamo nell’eternità… Amiamo l'Inghilterra
Viviamo nell’eternità… Amiamo l'Inghilterra!
Vivemos em pequenas cidades escondidas por neblinas
Tomamos pilulas para a felicidade... Oh misericórdia!
Nos somos pequenos... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... Amamos a Inglaterra
Vivemos da eternidade... Amamos a Inglaterra! 

Ho visto un posto che mi piace
Ho visto un posto che mi piace
Ho visto un posto che mi piace
Si chiama Mondo
Si chiama Mondo
Si chiama Mondo
Eu vi um lugar que eu gosto
Eu vi um lugar que eu gosto
Eu vi um lugar que eu gosto
Se chama Mundo
Se chama Mundo
Se chama Mundo

Gira e gira e non si ferma mai ad apettare
Sorge e poi tramonta come un delfino dal mare
Gira e gira e non si ferma mai ad aspettare
Sorge e poi tramonta come un delfino dal mare
Gira e gira e non si ferma mai ad apettare!
Gira e gira e não para nunca para esperar
Surge e depois se esconde como um golfinho do mar
Gira e gira e não para nunca para esperar
Surge e depois se esconde como um golfinho do mar
Gira e gira e não para nunca para esperar! 


Tradutora: Aymée Campos Lucas


2 comentários:

  1. Aymée!

    Belíssimo Vídeo, belíssima canção. Você tem um bom gosto e uma forma inteligente de ver a vida como ela é.
    Parabéns pelas coisas belas que nos presenteia!
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Vamos celebrar estas últimas horas natalinas... BATE O SINO!!!

    DEIXO AQUI:

    "Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.

    Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.

    Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.

    A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.

    A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.

    Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.

    O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.

    Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.

    A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.

    O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.

    E será Natal para sempre.

    Ah! Seria ótimo se os sonhos do poeta se transformassem em realidade."

    (Carlos Drummond de Andrade)

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.