Os InVerSos dEnTROoo De MiM!

Seja Bem Vindo em Meu Blog!
Desejo Muito que Possa Apreciá-lo. São Textos e Poemas Escritos Por Mim.
Eu Gosto Muito de Escrever... Na Verdade, Eu Amo Escrever.



sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Un l'altro inverno senza di te!


Mi Manchi...

Inizio di una nova stagione
Era inverno e lei camminava...
Lei sentiva tanta emozione!
Era inverno e lei pensava...
E com questo inverno la neve dominava!
Era inverno e lei diceva...

- Come stai? Come stai tu? 
Tu che eri quello che io amavo!
Ora che sono qui a guardare 
La neve bianca e pura
Ancora ti sento vicino
Almeno per un piccolo momento
Mi facendo dimenticare questo freddo
Che vuole ancora insistere 
Di esistere dentro di me!


Dove sei? Dove sei tu?
Tu che non mi ascoltavi mai
Tu che adesso non mi vedi più...
Pensi ancora a me?
La mia forza ora sta lontano da me...
I miei pensieri volano verso di te!

Ah se tu fossi vicino a me
In quest' inverno bello e intenso
Il tuo calore sarebbe immenso
Per donarmi tutto che un giorno 
Non hai voluto dare
A me, a me...
Soltanto a me!
A me che ci sono stata per te
Quella che a qualsiasi inverno
Ero pronta a riscaldarti! 


Sono andata via
Quando l'inverno mi faceva troppo male
Portandomi insieme il mio cuore
A cercare un bello arcobaleno 
come un uccello solitario nel cielo 
Purchè il mio Dio potesse prendere cura di lui
Perchè io da sola non sarei stata capace!

Adesso com questa neve bianca 
Io cerco sempre la serenità 
Che tu sei riuscito a portarmi via
Io cerco la felicità
Che tu non mi hai voluto dare!
Sono ancora qui a pensarti
Che adesso tu non prenderai più cura di me
Tu non mi avrai mai
E se tu pensa a me
Questo io non saprò mai
So soltanto che in questo bello inverno 
Sono qui a pensare a te!...
Io penso a te e...
Mi Manchi.


Autora: Aymée Campos Lucas

Um outro inverno sem você!

Sinto sua Falta...

Inicio de uma nova estação
Era inverno e ela caminhava...
Ela sentia tanta emoção!
Era inverno e ela pensava...
E com todo este inverno a neve dominava!
Era inverno e ela dizia...

Como vai? como vai você?
Você que era aquele que eu amava!
Neste instante que estou aqui a olhar
A neve branca e pura
Ainda te sinto perto de mim
Ao menos por um pequeno momento
Me fazendo esquecer este frio
Que ainda quer insistir
De existir dentro de mim!

Onde estai? Onde você esta?
Você que nunca me escutava
Você que agora não me vê mais...
Pensa ainda em mim?
A minha força neste instante esta longe de mim...
Os meus pensamentos voam para perto de você!

Ah se você estivesse perto de mim
Neste inverno belo e intenso
O seu calor seria imenso
Para doar tudo que um dia
Você não quis dar
A mim, a mim...
Somente para mim!
A mim que sempre fui para você
Aquela que a qualquer inverno
Era pronta a te aquecer!

Eu fui embora
Quando o inverno me fazia muito mal
Levando junto o meu coração
A procurar um belo arco íris
Como um pássaro solitário no céu
Para que meu Deus pudesse tomar conta dele
Porque eu sozinha não seria capaz!

Agora com esta neve branca
Eu procuro sempre a serenidade
Que você conseguiu retirar de mim
Eu procuro a felicidade
Que você não quis me dar!
Ainda estou aqui a pensar 
Que agora você não cuidara mais de mim
Você nunca mais me terá
E se você pensa em mim
Isto eu nunca irei saber
Sei somente que neste belo inverno
Estou aqui a pensar em você!
Eu penso em você e...
Sinto sua falta.

Autora e tradutora: Aymée Campos Lucas

16 comentários:

  1. Aymée... confesso precisei do tradutor pois não sou tão fluente assim.... porém sou apaixonado por isso... o dialeto... uauuuuuu...
    "Non dovrebbe nemmeno essere una poesia, proprio a scrivere questa meravigliosa lingua è l'italiano .. almeno a mio parere .. già mi porta al piacere supremo di vivere."

    Molto bella ragazza
    Un bacio
    Tatto ... um autêntico Brasiliano capisce ?

    ResponderExcluir
  2. Talvez, como esse pássaro solitário que busca o arco-íris, essa bela e triste história de amor e saudade um dia se acabe num belo pote de ouro... ou de amor.

    Lindo, Poetisa. Adorei

    Bjs.

    Marcio

    ResponderExcluir
  3. Queria avisar que vou traduzir o poema amanha ok!
    Assim voces irao sentir mais as palavras...
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Muita nostalgia, Aymee, para um inverno só. O verão virá e, então, libertar-se-á do frio.. frio do passado. Arrepios. Beijos tropicais

    ResponderExcluir
  5. Oi pessoal,
    olha é somente um poema hem!
    Eu nao to sofrendo nada disto nao, kkkkkkk
    eu to é feliz pra caramba!

    Este periodo em minha vida eu to me encontrando cada vez mais com minhas escritas, minha linda neta Rafaela é meu anjo lindo aqui na terra, adoro meus filhos e o que vem acontecendo na vida deles e no amor eu me sinto cada dia mais surpresa com que vem me acontecendo, rsrs

    Era somente uma folha em branco, misturada com ilusao e coisas que um dia vivi e senti...

    Torno a desejar aos meus grandes amigos um FELIZ NATAL e muitas felicidades às realizaçoes que estao por vir!
    Bacioni

    ResponderExcluir
  6. rsrs

    Uma coisa deliciosa na poesia, é que interagimos de tal forma, que fazemos do poeta um personagem. Quando nos acostumamos com isso, fazemos verdadeiras viagens, Aymée.

    Creio que aquele que já fez versos, viaja com mais intensidade, mas, sempre colocamos novamente os pés no chão, pois sabemos que logo, logo, o poeta vem com novas aventuras.

    E você há de convir que, com essa composição primorosa, é para se viajar mesmo... rsrs

    Vou dar um pulinho no teu conto de fadas. To super curioso.

    E sabe que, de um jeito ou de outro, eu já sabia que aquele pássaro acharia o pote de ouro.

    Lindos versos, Poetisa. Bjs.

    Marcio

    ResponderExcluir
  7. Aymée,

    É Inverno. Gélido. Assustador.
    Mas na Primavera, tudo renasce
    e floresce... até o Amor!...

    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  8. Pois é! Belos versos. Verídicos? Não, pois dizem que o Poeta é Fingidor! (Fernando Pessoa).
    Diferente de Mim, pois penso que sou repórter de mim mesmo.(Risos!...)

    ResponderExcluir
  9. Aymée.. como prometido regressei.. rss
    Li a tradução e depois voltei a ler o original sentindo agora a essência das palavras... dôreii !!
    Proveiti pra mór di zôia tudas fotin suas.. xeretar seus amigos... vixí fiz mó fuzarca por aqui... rsss

    Um bejão
    Tatto

    ResponderExcluir
  10. Olá, vim deixar um carinho de amiga, com abraços de paz, beijos no teu coração.♥

    Olavo Bilac

    Natal


    Jesus nasceu. Na abóbada infinita
    Soam cânticos vivos de alegria;
    E toda a vida universal palpita
    Dentro daquela pobre estrebaria...

    Não houve sedas, nem cetins, nem rendas
    No berço humilde em que nasceu Jesus...
    Mas os pobres trouxeram oferendas
    Para quem tinha de morrer na cruz.

    Sobre a palha, risonho, e iluminado
    Pelo luar dos olhos de Maria,
    Vede o Menino-Deus, que está cercado
    Dos animais da pobre estrebaria.

    Não nasceu entre pompas reluzentes;
    Na humildade e na paz deste lugar,
    Assim que abriu os olhos inocentes
    Foi para os pobres seu primeiro olhar.

    No entanto, os reis da terra, pecadores,
    Seguindo a estrela que ao presepe os guia,
    Vem cobrir de perfumes e de flores
    O chão daquela pobre estrebaria.

    Sobem hinos de amor ao céu profundo;
    Homens, Jesus nasceu! Natal! Natal!
    Sobre esta palha está quem salva o mundo,
    Quem ama os fracos, quem perdoa o mal,

    Natal! Natal! Em toda a natureza
    Há sorrisos e cantos, neste dia...
    Salve Deus da humildade e da pobreza
    Nascido numa pobre estrebaria.

    FELIZ NATAL!

    ResponderExcluir
  11. A.S. Ola,
    Que belissimo complemento...Poderia ter tido esta ideia para utiliza-los neste poema bem ali no final e terminaria com 2 passarinhos voando juntos na primavera, rsrsrs
    Que bom saber que voce leu o meu poema...

    Agoa vou falar um pouquinho com o meu amigo Machado de Carlos. rsrs
    Ola,
    E' logico que tudo que escrevo tem algo de minha vida dentro, algo que um dia vivi e ficou marcado em memorias, algo que foi forte e profundo... Tem algo que me deu muita felicidade, algo decepcionante, o mesmo algo quando vivi criança e dali surge escrita atraves de vivencia, mas ao escrever eu vou mais além, eu ultrapasso barreiras do tempo, eu vejo aquele personagem agindo, falando chorando, sofrendo, alegre e assim eu coloco vida nele atraves de experiencias vividas, atraves de filmes e livros que vi...

    Este poema foi um pouco baseado também em um filme que vi, na verdade nao o filme e sim o titulo que me levou a esta inspiraçao... Era um filme italiano e eu achei lindo todo o filme e a musica entao maravilhosa!
    O filme se chamava: Dez invernos...(dieci inverni)era a estoria de um casal que se conheceram se apaixonaram mas se separaram e ele nunca se conformou de viver sem ela e estava sempre tentando aproximaçao quando depois de dez invernos distantes algo ira acontecer (nao direi o qu para nao contar a estoriapois vale a pena ver o filme)

    Machado, estou ja treinando e lendo para que meu soneto apareça em uma folha!
    Entao ja que seus versos falam de voce, vou me aprofundar para poder saber de voce!
    A diferença nossa é esta: eu escrevo e voce ao ler entende tudo logo por ser versos com palavras usadas no dia a dia de um ser humano, enquanto voce ao dificultar com as palavras a gente muita das vezes deixa de sentir o que quer sentir porque tem de interronper os versos para saber o que significa... A lingua portuguesa como voce disse tem milhoes de sinonimos, mas eu nao! rsrs me desculpe, rsrs

    Eu conheci Fernando Pessoa atraves de Reggina Moon e me apaixonei com seus versos, e realmente me identifiquei com ele, sua maneira de escrever me envolveu demais!Na sua biografia tem um trecho que li que fala como ele viaja atraves do tempo para escrever criando personagens que nunca viu... Muitas vezes ele se descreve como se fosse uma mulher e eu muitas vezes faço o papel de um homem! rsrs Tenho muitos poemas e também o meu pequeno livro e meu conto de capitulos que sou um homem na estoria... ja fiz o papel até de um morcego, rsrs em conto de fadas!

    ResponderExcluir
  12. Aymée,

    Fico muito contente ao receber os comentários dos amigos, assim como sabendo que você Uma grande Amiga também. E sua amizade, considero, foi um grande presente de Natal!

    Fiquei muito contente também com o meu Amigo, até então, oculto ao receber pelo correio um Livro: - O Caçador de Pipas!

    Quanto aos sonetos, escolhi este sistema, pois podemos sintetizar uma emoção em quatorze versos. No entanto, procuro sempre palavras mais fáceis para que os outros possam ler com facilidade.
    Mas em seu caso, acho que você fica um pouco distante da nossa linguagem, porque fala e pensa com outro vernáculo em seu dia-a-dia. Acho normal isso. Caso eu falasse a língua italiana e vivesse nela, como você, penso que acharia dificuldade com outro linguajar, mesmo que seja a língua de nossa origem.

    Um Grande Abraço! Obrigado pela sua visita!

    E.T. Adoro os sonetos de Florbela Espanca, considero Florbela como a Rainha da Poesia Portuguesa, embora ela tenha vivido momentos psicológicos terríveis que a levou a morte, através de um suicídio.

    ResponderExcluir
  13. Gostei da tua poesia.
    És poetisa...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Para os amigos blogueiros
    Vai meu abraço fraternal
    Amigas e amigos Brasileiros
    Eu vos desejo um feliz Natal

    descendo de um nobre povo
    neste cantinho do mundo
    desejo-vos prospero Ano Novo
    felicidade amor e saúde

    espero contar sempre consigo
    neste ano que vem já ai
    será um prazer meu amigo
    eu estarei sempre por aqui

    Anca io penso a té
    I te devere pensar a me rrs

    Um beijinho.
    José.

    ResponderExcluir
  15. Olá Aymée!

    Que bom que você esteve em meu cantinho!
    Realmente eu havia ficado muito triste com a ausência do meu Amigo Oculto, Daniel Sávio http://danielsfcarlos.blogspot.com/. Penso que ele deve ter entendido de outra forma o espírito do Amigo Oculto através do sistema virtual. Mas depois fiquei surpreso e contente com o recebimento do presente (O Livro). São coisas que acontecem.
    Naquele dia 12 de dezembro eu não via à hora, em nosso fuso horário, de chegar à passagem para o outro dia e, eu postar os sonetos que lhe fiz com muito carinho. Meio sorrateiramente, havia deixado em seu blog uma visitinha, mas fiquei com medo de que você descobrisse. Para compor os sonetos foi fácil; pesquisei o seu blog inteiro e mentalizei os seus pensamentos, para lhe fazer algo, que talvez lhe agradasse.
    Quanto à linguagem eu acho normal, pois tive um amigo professor de línguas, que recebia cartas de um amigo árabe. As mensagens chegavam misturadas com inglês, espanhol e português, porque vivera em todos os países. Quando chegavam as cartas, precisavam ser decifradas entre as confusões de línguas.
    Pois é, dez anos não são dez dias. Realmente nosso cérebro grava apenas as coisas mais comuns em nossa rotina.
    Dizem que quando pensamos em uma língua é porque já a dominamos por inteira. Eu gostaria de pensar em inglês, mas não sei nada de inglês.
    Mas escrever como você escreve é muito bom, pois você coloca em prática sua linguagem natal e sem esquecê-la, por isso este contato com os amigos é muito importante.
    Sempre penso em seu um cidadão do mundo, mas para isso precisamos de uma língua Universal para que todos entendam. Aquele amigo que lhe disse gostava de pregar o Esperanto, pois o Esperanto pode ser entendido no mundo inteiro. Uma língua feita em laboratório.
    A nossa língua? Nunca nos esqueceremos dela, mas existem gírias que são somadas todos os dias no dicionário.
    Não sei como você me lê, pois uso o Windows em Português. Penso que alguma modificação deve haver quando minha mensagem chega até você.
    Escreva-me sempre! E escreva sempre!
    Beijos!...

    ResponderExcluir
  16. Oi, querida! Vi seu comentário no meu blog e vim conhecer o seu. Estou seguindo. bjo.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar... A sua opinião, para mim, é muito gratificante.